24 Ago, 2017

Por que Nikola Jokic é o MIP da temporada

João PortugalAbril 1, 20178min0

Por que Nikola Jokic é o MIP da temporada

João PortugalAbril 1, 20178min0

Parece que há muito pouco entendimento no que toca à votação para MVP da fase regular. Harden, Westbrook, Leonard, Lebron são os 4 nomes que ainda aparentam ter chances de vencer o prémio individual mais desejado na NBA. Parece, também, que há demasiado entendimento para atribuir o Most Improved Player of the Year (MIP) a Giannis Antetokounmpo. No FairPlay, vamos analisar o caso do outsider Nikola Jokic, que quase levou os Denver Nuggets aos playoffs, quando nada o fazia prever.

Esta semana foi a mais penosa da época para o poste sérvio que actua nos Nuggets. A sua equipa perdeu dois jogos consecutivos, incluindo contra o rival directo na luta pelo 8º e último posto de acesso aos playoffs na Conferência Oeste. Depois de derrotarem Denver, os Portland Trail Blazers ganharam ainda aos 3ºs classificados Houston Rockets, cimentando a sua posição à frente dos Nuggets, estando agora numa série de 5 triunfos consecutivos. Para piorar as coisas, Jusuf Nurkic teve a sua melhor performance da carreira (33 pontos em 12-15 de lançamentos, 15 ressaltos) precisamente contra Jokic, pouco mais de 1 mês depois dos Nuggets o terem trocado para Portland para dar mais espaço para Jokic se transformar numa estrela.

Os dois franchises foram de uma situação de empate na tabela para uma enorme vantagem dos Trail Blazers, o que coloca a equipa do Oregon, segundo os modelos dos sites de apostas, com 90% de hipóteses se apurar, contra apenas 10% dos Nuggets. O principal argumento que Jokic tinha para igualar Giannis Antetokounmpo, de que ambos foram o jogador mais importante da sua equipa na caminhada para os playoffs, está muito perto de ir por água abaixo. Se os Milwaukee Bucks também falharem, então a corrida fica muito mais aberta, com Otto Porter Jr. com argumentos por ser o candidato de uma das melhores formações da NBA.

Gary Harris e Nikola Jokic são dos Nuggets [Foto: Isaiah J. Downing-USA TODAY Sports]
 

Ainda assim, os Denver Nuggets são uma das equipas mais agradáveis de ver na liga, principalmente, porque têm um poste com uma visão de jogo e uma criatividade tremendas, com dotes ofensivos como poucos Bigs na NBA. O franchise do Colorado tem o 5º melhor ataque da temporada (109.9 OffRtg), o 2º melhor desde o All-Star break (113.3 OffRtg), e o melhor nos últimos 15 jogos com 114,5 pontos marcados por 100 posses de bola.

As duas grandes virtudes de Jokic, lançar e passar a bola, são as duas coisas que têm feito os Nuggets tão bons no ataque neste período. Desde o All-Star break, são 2ºs em Effective FG% (55,2%), um valor ajustado para a percentagem de lançamentos de campo de por um triplo valer 1,5 vezes mais que um duplo; 1ºs em True Shooting % (59,1%), fórmula que tenta medir a capacidade de um jogador ou equipa a lançar a bola, medindo tanto os lançamentos de campo como os livres; 5ºs em Assist% (62,8%), a percentagem de lançamentos marcados que foram assistidos; 2ºs em Assist Ratio (19,3%), a percentagem de posses de bola da equipa que terminam com uma assistência e lançamento marcado. (valores retirados de NBA.com/stats)

Top10 do modelo TPA [Fonte: NBAMath.com]
 

Nesta tabela do site NBA Math. podemos ver que Jokic já figura no top10, logo no seu segundo ano de competição. TPA, a abreviatura de Total Points Added, é uma fórmula matemática que representa quão superior é o impacto de um jogador em relação ao jogador médio da NBA, cujo score é sempre 0. Está divido em ataque (OPA – Offensive Points Added) e defesa (DPS – Defensive Points Saved).

Uma das grandes limitações de Jokic para ganhar o prémio de MIP será a sua menor utilização em relação aos outros candidatos. Na tabela acima fica bem, com apenas 1778 minutos, o menor entre os 10 melhores, conseguir ter um valor tão alto. Por outro lado, há muitos analistas que ao votarem no MIP, preocupam-se menos com os minutos jogados dos jogadores, porque quanto mais utilização, mais fácil é melhorar os números de um ano para o outro, acabando por muitas vezes os jogadores fazerem mais porque têm muito mais minutos em vez de fazerem mais, mantendo a utilização.

Os melhores 5’s dos Nuggets [Fonte: NBA.com/stats]
 

Dos line ups com pelo menos 60 minutos de utilização, apenas 4 têm Net Rating, ou seja, nesses 5’s os Nuggets são melhores que o adversário, qualquer que ele seja, em 15, 7.1, 4.3 e 3.5 pontos por 100 posses de bola. Em todos eles é sempre o ataque que faz a diferença, com uma percentagem muito alta de cestos marcados após assistência, sendo que a combinação Gary Harris-Nikola Jokic figura sempre. São os dois jovens com mais potencial no plantel e aqueles que o front office devia claramente construir em torno de. Fundamentalmente, são dois jogadores que precisam de ter, pelo menos, mais dois bons defensores consigo em campo – um Big e um extremo. Parece redundante, porque são duas condições quase sine qua non no basquetebol actual.

Jokic está em 5º na lista de melhores atiradores ao cesto, com 58% de FG, enquanto que Gary Harris está a assumir-se entre a elite dos melhores lançadores de longa distância com 42,7% 3pt (5º). Produção ofensiva é algo que não vai faltar em Denver nos próximos anos.

A evolução de rookie para sophomore [Fonte: NBA.com/stats]
 

Para terminar, porque uma das componentes mais importantes da atribuição do prémio de Most Improved Player é a evolução das estatísticas individuais de um ano para o outro, aqui está a transição de Jokic do primeiro para o segundo ano de carreira. Mais 5.7 minutos por jogo, mais 6.3 pontos marcados, está a pulverizar as FG%, eFG% e TS% (já explicadas mais acima). Duplicou o número de assistências sendo que 26,4% dos cestos dos colegas de equipa, quando Jokic está em court, são assistidos por si. Nos ressaltos está a caminhar na direcção certa, apesar de ainda não ser um grande ressaltador. Um Net Rating de 5,1 pontos por 100 posses de bola é extremamente encorajador. Tudo isto com somente mais 3,4% de usage rate (% do tempo que um jogador tem a bola em seu poder).

Mais uma vez, reitero que o seu ponto fraco é a defesa. É problemático o suficiente que o impeça de ser uma estrela? Nem por isso. Caminhamos para uma liga cada vez mais dominada pelo ataque, com os Off Rtg a rebentar escalas, os recordes de triplos a cairem a duas semanas de terminar a fase regular. Claro que quando duas equipas com ataques fenomenais se defrontam, aquela que conseguir defender melhor tirará sempre vantagem, mas a tendência é para que seja cada vez mais difícil defender cada posse de bola. Talento ofensivo como o que Jokic tem é raro. Para as posições 4 e 5, os jovens europeus estão a rechear a NBA, sempre com skill sets variados. O velho continente é, talvez, a melhor plataforma de desenvolvimento de jovens que queiram ingressar na NBA, mesmo não existindo o talento que encontramos pelas universidades americanas.

Concluindo, será que os jornalistas e analistas que podem votar nos prémios da fase regular já consideram o impacto de Nikola Jokic forte o suficiente para votarem nele acima do Greak Freak ou de Otto Porter Jr? Se eu votasse teria o meu voto, como teve na minha antevisão da temporada aqui no FairPlay. Depois de falhar redondamente em muitas previsões, também está na altura de acertar nesta. Numa fase em que a carreira de Novak Djokovic está a ser afectada por várias lesões, a porta para herói desportivo nacional está escancarada e Nikola Jokic tem tudo para ser o desportista sérvio do futuro. Não se esqueçam que ele foi Campeão do Mundo de sub19, em 2013 e medalhado de prata nos últimos Jogos Olímpicos. E para a despedida, deliciem-se com as melhores assistências do Joker!

PS: Enquanto escrevi este texto, Jokic fez isto contra os Hornets.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter