25 Set, 2017

Nas Teias da Durantula

João PortugalJunho 3, 20177min0

Nas Teias da Durantula

João PortugalJunho 3, 20177min0

Ninguém nos Cavs consegue parar Kevin Durant; Steph Curry também foi sensacional e não há muito que possam fazer para pará-lo também; Enorme jogo defensivo de Klay Thompson. Warriors resolvem em 3 períodos e estão 13-0 nos playoffs. Lebron entrou muito forte mas o problema foi a defesa; Tristan Thompson mal se viu; Warriors muito perdolários debaixo do cesto; Vitória por 22 acabou por ser curta para a diferença exibicional.

Os Cavaliers vinham de uma semana de descanso, enquanto que Golden State estava à 9 dias sem jogar, o que levou a muitas posses de bola sem grande interesse nos primeiros minutos. JR Smith abriu o marcador para Cleveland com um triplo quase da bancada e teve o poder de acordar Kevin Durant. Foi como se o primeiro período tivesse sido um tubo de ensaio para mostrar aos seus adversários, principalmente a Lebron James, que ele não é Harrison Barnes. Nenhuma das experiências tentadas pelos Cavs resultou. Em poucos minutos marcou atancando em dribble para o meio, fugiu nas costas de James para um alley oop a passe de Draymond Green e logo a seguir executou um mid range com precisão mesmo na frente de Lebron.

Porém não foi só Durant, rapidamente se percebeu, ainda no primeiro período, vai ser muito fácil marcar pontos no garrafão dos Campeões. Ao longo de toda a partida Lebron só contestou 3 lançamentos perto do cesto, Tristan Thompson  6, só Kevin Love fez um bom trabalho nesse capítulo com os adversários a marcarem apenas 3-11 debaixo do cesto contra si. Também é preciso dizer que os melhores momentos de Lebron na partida, foram no primeiro período onde conseguiu ser dominante não importando quem o defendesse.

Um duelo cestos entre Kyrie Irving e Steph Curry nos minutos finais do período colocou a Oracle em alvoroço e quando Iguodala marcou o triplo no último segundo, depois de estar 3-27 de 3pt durante os playoffs, foi a loucura total. 35 pontos! 35 é o número mágico dos Warriors esta temporada, não só por ser o que está na camisola da Durantula. Quando Golden State marca 35 ou mais no primeiro período está, desde ontem, 22-0.

O regresso do melhor Iggy [Fonte: USAToday.com]
 

Um último apontamento que retirei dos primeiros 12 minutos, é que quando Draymond Green foi para o banco com 2 faltas, bem cedo, Tyronn Lue decidiu retirar Tristan Thompson para jogar com Love a poste e isto leva a duas coisas: os Cavs ficam mais dificeis de defender, mas perdem o seu melhor defensor e ressaltador. Os Warriors tiveram 8 ressaltos ofensivos contra 7 defensivos do seu adversário no primeiro período.

O segundo período foi o princípio do fim dos Cavs. Não, não é um exagero. Sim, eu sei que a diferença ao intervalo foi só de 8. Os primeiros 3 minutos deste período foram com Lebron James em court, sem descansar, e com Steph Curry e Kevin Durant no banco. Estes são os minutos que os Cavs são obrigados a ganhar, por muitos pontos! A vantagem dos Warriors aumentou. Tyronn Lue até aproveitou para pôr James no banco uns minutos já que o plano não resultou. Se isto acontecer sempre que Curry e KD estiverem a descansar, a Final terminará 4-0. Os primeiros 4 minutos e meio de Cleveland deram origem a 9 posses de bola, 4 pontos e 6 turnovers. Not good, Bob!

A meio do período, os Warriors estavam 13-26 debaixo do cesto, muito muito mau. Nos jogos seguintes este número vai melhorar certamente e se Golden State continuar a ter 56 oportunidades de marcar debaixo do cesto como teve neste jogo 1, vão ter 60 pontos fáceis, no mínimo, o que obrigará os Cavs a marcar 120+ para terem hipóteses de não perder 4-0. Cleveland terá que inverter o impossível, diminuir os ataques ao cesto adversários, e contestar os lançamentos. Tristan Thompson não pode voltar a jogar apenas 22 minutos e ter uma participação tão pequena na partida, foi apagado completamente.

Faltavam 3 minutos para o final do segundo período e os Warriors tinham 1,22 pontos por posse de bola, um valor elevadíssimo, lançando apenas 43% FG e só com 3 triplos marcados, só que tinham uma enorme vantagem nos lançamentos tentados porque os Cavs perderam a bola 12 vezes contra apenas 1 dos Warriors, que terminaram o primeiro tempo com 20 assistências.

O famoso olhar de KD para Rihanna [Fonte: ABC7 San Francisco]
 

Desses 12 turnovers, 7 foram de Lebron James, muito por culpa de Golden State não ser uma equipa qualquer. James chegou diversas vezes a um ponto no ataque em que teve que inventar um dos seus passes mágicos à procura de um triplo no canto para se libertar da pressão asfixiante que é ter KD ou Iggy com braços enormes sempre à sua volta e os Warriors conseguem tapar todas essas linhas de passe. Contra outras equipas, elas estão lá, apesar de escondidas, até Lebron vai cometer turnovers quando saltar para passar a bola.

O jogo ficou resolvido no terceiro período, a Durantula e Curry estiveram indestrutíveis, Tristan Thompson continuava invisível, Irving teve tremendas dificuldades em finalizar ataques ao cesto, tão bem defendido por Klay Thompson, que mesmo terminando 3-16 FG, foi o melhor defensor de perímetro de Golden State. Não foi tudo mau para os Cavs, houve aspectos positivos, como Richard Jefferson ter sido o melhor role player e o lançamento exterior de Lebron funcionou durante alguns minutos. Porém, se o melhor jogador que Cleveland tem para defender KD for um senhor que fará 37 anos daqui a 18 dias…

Os melhores minutos dos Cavs também coincidiram com Mike Brown a receber um SMS ou um beep de Steve Kerr do balneário porque James Michael McAdoo entrou em court a certa altura no terceiro período e a vantagem diminuiu isntantaneamente para 12 pontos. Logo a seguir voltou um line up com Draymond Green a 5 e voltou a aumentar para 20. Take that for Data!

Quando tudo voltou ao normal, o jogo ficou decidido. 1,208 pontos por posse de bola para os Warriors com 50 pontos no garrafão. 0,94 pontos por posse de bola com apenas 26 no garrafão para os Cavs. A principal conclusão a retirar do jogo 1 é que Kevin Durant não tem ninguém que o pare. Basta a ameaça de triplo de Curry para que a Durantula tenha domínio completo da área pintada adversária. E não, a resposta não será o Lebron James que jogou nesta partida. Quando James foi o defensor em situações de lançamento, os Warriors marcaram 19 pontos, 7-11 FG, colocando em palavras, bastante fácil.

Não posso terminar este artigo sem relembrar os adeptos da NBA o que vale ter Steph Curry a 100%. O ano passado Tristan Thompson, Lebron James e Kevin Love aguentavam as trocas defensivas e faziam um bom trabalho em contestar um Steph com menor capacidade de explosão. Isto foi o que aconteceu quando o bloqueio de Pachulia obrigou James a “defendê-lo“. Os Warriors estão agora 13-0 nos playoffs com um diferencial pontual de 219, quase 17 por partida.

Um já está, faltam 3 [Fonte: CBSSports.com]


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter