21 Nov, 2017

XXV Taça Vale do Tejo

João BastosMarço 4, 201710min0

XXV Taça Vale do Tejo

João BastosMarço 4, 201710min0

Abrantes voltou a acolher a Taça Vale do Tejo, a competição destinada às selecções regionais de infantis e juvenis. A 25ª edição da única competição interassociações do país foi pela primeira vez consignada na Política Desportiva Nacional da Federação Portuguesa de Natação

A Associação de Natação do Distrito de Santarém voltou a juntar em Abrantes todas as suas congéneres de Portugal continental. Em competição estiveram 255 nadadores, representando 11 selecções regionais nos escalões de infantis e juvenis, disputando 18 provas.

Em cada uma das provas, as selecções fizeram-se representar por um nadador juvenil e um nadador infantil, sendo que a classificação final era obtida através do somatório de todas as provas e todas as categorias.

O Vale do Tejo estendeu-se a Portugal continental

A grande novidade da 25ª edição da Taça Vale do Tejo foi a sua inclusão na estratégia desportiva da FPN, sendo esta competição enquadrada na Política Desportiva Nacional como acção a desenvolver pelas Associações Territoriais.

Uma conquista para a organização da Taça que vinha sendo perseguida e merecida há várias edições, uma vez que desde a edição de 2014 que as 11 Associações Regionais de Natação de Portugal continental marcam presença nesta prova.

Naturalmente, desta vez não foi diferente e a disputar a histórica 25ª edição da Taça Vale do Tejo, estiveram as seguintes selecções:

  • Associação Regional de Natação do Nordeste
  • Associação de Natação do Centro Norte de Portugal
  • Associação de Natação de Coimbra
  • Associação de Natação do Distrito de Leiria
  • Associação de Natação de Lisboa
  • Associação de Natação do Minho
  • Associação de Natação do Distrito de Santarém
  • Associação de Natação do Alentejo
  • Associação de Natação do Algarve
  • Associação de Natação do Interior Centro
  • Associação de Natação do Norte de Portugal

Por naturais constrangimentos, apenas as Selecções da Associação de Natação da Madeira e da Associação de Natação da Região dos Açores não marcaram presença em Abrantes.

A Taça que divide o Eixo Norte-Sul

A História da Taça confunde-se com a rivalidade entre a ANL (Associação de Lisboa) e a ANNP (Associação do Norte de Portugal). Depois de quatro anos consecutivos de vitórias dos lisboetas (que se seguiram a três anos consecutivos de vitórias dos nortenhos), a ANNP levou o troféu para o Porto em 2016, mas em 2017 havia um ligeiro favoritismo para a selecção da capital.

Também na tabela de recordes da Taça (sem contemplar os que foram batidos nesta edição) há uma predominância das duas Associações que dividem entre si 22 dos 36 recordes da TVT – 13 para ANL e 9 para ANNP. A terceira Associação com mais recordes da Taça é a Associação do Nordeste (ARNN) com 5 recordes, todos da responsabilidade de dois nadadores (Ana Margarida Guedes e Koen Weustink)

Fonte: ANDS

Lisboa volta a levar a melhor

Confirmando o favoritismo, a Selecção da Associação de Natação de Lisboa levou a Taça Vale do Tejo, reconquistando o troféu que tinha perdido no ano passado.

Os jovens lisboetas conseguiram obter 354 pontos, suportados fortemente pelas 14 vitórias nas 36 provas. O domínio foi mais notado no escalão de juvenis, onde a ANL venceu 8 provas (o dobro da segunda melhor selecção no escalão).

Foto: Fair Play

A ANNP deu bastante luta no sentido de conservar a Taça em seu poder, mas os 320 pontos finais não chegaram. Se no escalão de infantis apenas 5 pontos distanciaram Lisboa do Norte, no escalão de juvenis a ANNP foi apenas a 4ª melhor selecção, hipotecando assim as hipóteses de reconquistar o troféu.

O terceiro lugar do pódio ficou para a Associação de Natação do Centro Norte de Portugal, que repetiu a posição do ano passado. A Associação sediada em Aveiro contabilizou 299 pontos.

A restante classificação ficou ordenada da seguinte forma:

4. Selecção de Coimbra – 281 pontos;
5. Selecção de Leiria – 248 pontos;
6. Selecção de Santarém – 221 pontos;
7. Selecção do Algarve – 219 pontos;
8. Selecção do Minho – 155 pontos;
9. Selecção do Interior Centro – 149 pontos;
10. Selecção do Alentejo – 100 pontos;
11. Selecção do Nordeste – 60 pontos.

Record Nacional para Carolina Fernandes

Individualmente, o grande destaque foi a performance da infantil-B Carolina Fernandes, em representação da Associação de Natação do Centro Norte de Portugal.

A nadadora do Galitos de Aveiro nadou os 50 metros livres no tempo de 28.82, estabelecendo novo record nacional do seu escalão, batendo o anterior máximo que era pertença de Ana Margarida Guedes, do Ginásio Clube de Vila Real, que tinha nadado em 28.89. Bateu também as suas adversárias um ano mais velhas (a classificação era conjunta entre Infantis A e B) e venceu a prova.

Carolina Fernandes no topo do pódio dos 50 livres – categoria infantil | Foto: Fair Play

7 novos recordes da Taça

A edição de 2017 da Taça Vale do Tejo apagou 6 marcas da anterior tabela de recordes e inscreveu 7 novas marcas. Confuso? É que nos 100 livres femininos, o record infantil caiu duas vezes; a primeira na segunda série da prova e a segunda na terceira série.

Os novos 7 recordes foram bem distribuídos entre categorias e géneros, uma vez que foram 4 no escalão de infantis e 3 no escalão de juvenis; 4 no feminino e 3 no masculino.

Os novos recordistas da Taça Vale do Tejo são:

  • Tiago Rodrigues (Infantil), ANNP – 50 livres: 25.51
  • Ricardo Silva (Infantil), ANDL – 100 costas: 1:01.71
  • Mariana Cunha (Infantil), ANNP – 100 livres: 1:01.76
  • Maria Pereira (Infantil), ANL – 100 livres: 1:01.67
  • Rafael Aires, Renato Frischknecht, Ricardo Ferreira, Goncalo Ferrão (Juvenil), ANL – 4×100 estilos: 3:57.68
  • Inês Silva (Juvenil), ANC – 100 mariposa: 1:04.14
  • Rafaela Azevedo (Juvenil), ANL – 100 costas: 1:02.86

Rafaela Azevedo a caminho do record juvenil dos 100 costas da Taça Vale do Tejo | Foto: Fair Play

Ana Pina e Pedro Santos, os mais pontuados

O troféu para os melhores desempenhos é outorgado com base na tabela FINA que classifica a valia dos tempos numa escala de 0 a 1000, sendo que 1000 pontos é a pontuação de todos os recordes do mundo.

Na Taça Vale do Tejo, as melhores pontuações feminina e masculina foram ambas obtidas na prova de 400 metros livres.

Do lado feminino foi Ana Sofia Pina, da Selecção Centro Norte Portugal, que venceu a prova no tempo de 4:27.17, equivalente a 676 pontos.

No sector masculino foi Pedro Santos, da Selecção de Natação do Norte de Portugal que levou o troféu, com os seus 4:02.18 que lhe valeram 673 pontos.

Ana Pina e Pedro Santos no pódio | Foto: Fair Play

“É uma prova única a nível nacional”

Em declarações ao Fair Play, João Loureiro, Presidente da Associação de Natação do Distrito de Santarém fez um balanço positivo da XXV Taça Vale do Tejo, destacando que “estiveram presentes 11 das 13 Associações Regionais, 255 atletas, sendo bem evidente o espírito competitivo nos escalões de infantis e juvenis”.

O organizador da prova referiu ainda que “esta é uma prova única a nível nacional e direccionada aos escalões que mais precisam de incentivo”, salientando ainda o papel da Câmara Municipal de Abrantes que “tem sido inexcedível no apoio dado à realização desta prova”.

Para as próximas edições, João Loureiro revela a ambição da prova, motivada pelo seu enquadramento na Política Desportiva Nacional para os escalões de infantis e juvenis e espera poder contar, já na próxima edição, com as Associações de Natação da Madeira e Açores.

O Presidente da ANDS referiu ser “um orgulho para a ANDS e para a Câmara Municipal de Abrantes receber esta prova e ainda reconhecido o mérito da organização, por parte das outras Associações”

Foto: Fair Play

“Decidimos apadrinhar esta Taça como competição de nível nacional”

O Presidente da Federação Portuguesa de Natação, António José Silva, considerou de grande importância enquadrar a TVT na Política Desportiva Nacional.

Em declarações ao Fair Play referiu que a FPN “decidiu apadrinhar uma prova que já tem uma tradição muito grande a nível de selecções regionais” e que “tinha todo o cabimento promover esta competição a uma Taça Nacional inter-associações”

Alinhando com as intenções do Presidente da ANDS, o Presidente federativo disse que a FPN vai “fazer todos os esforços para que na próxima edição possamos contar também com a Madeira e os Açores, abrangendo assim todo o território nacional”.

Assinatura do protocolo “Portugal a nadar” | Foto: Fair Play

“Este protocolo valoriza o esforço feito pela Câmara Municipal de Abrantes na promoção do desporto”

Paralelamente à competição, foi celebrado um protocolo entre a Federação Portuguesa de Natação, a Associação de Natação do Distrito de Santarém, a Câmara Municipal de Abrantes e o Clube Náutico de Abrantes no âmbito do “Portugal a nadar”.

Maria do Céu Albuquerque, Presidente da Câmara Municipal de Abrantes confidenciou ao Fair Play que este protocolo “consolida o esforço que Abrantes tem feito na promoção do desporto, valoriza a utilização do complexo de piscinas e reforça a capacidade da Escola de Natação, gerida pelo Clube Náutico de Abrantes, de continuar o excelente trabalho que tem vindo a desenvolver”.

Abrantes tem acolhido as últimas edições da Taça Vale do Tejo e a autarca afirma que “a aposta é para continuar. O complexo de piscinas de Abrantes foi construído não só para aumentar a qualidade de vida dos munícipes, mas também para desenvolver quadros competitivos, por intermédio do movimento associativo, que possam competir a nível regional, nacional e internacional”.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter