13 Dez, 2017

Os Europeus: Tiago Costa

João BastosJunho 27, 20174min0

Os Europeus: Tiago Costa

João BastosJunho 27, 20174min0

Com a convocatória da selecção portuguesa para os campeonatos da Europa de Juniores, o Fair Play inicia uma série de 13 artigos para apresentar os 13 nadadores presentes em Netanya (Israel)

O Meeting Internacional do Porto constituiu a última oportunidade para os nadadores juniores portugueses fazerem marcas de acesso aos Europeus do escalão. Com a selecção definida, iniciaremos o desfile dos nadadores que representarão Portugal no certame. Fá-lo-emos diariamente até dia 28 de Junho (primeiro dia de competições em Netanya) e por ordem alfabética.

Tiago Costa

Nome: Tiago Cunha Costa
Data de Nascimento: 02/05/1999
Clube: Sporting Clube de Portugal
Treinador: Aurélien Gabert (Centro de Alto Rendimento – Rio Maior)
Provas: 100, 200 e 400 metros livres

Foto: Inês Fernandes

Historial

O nadador lisboeta é atleta do Sporting desde sempre e também desde sempre que é um especialista nas provas de livres, nas diversas distâncias (até nos 5 km indoor onde já foi campeão nacional juvenil-A, com a melhor marca de sempre dos campeonatos).

Mas em infantil-B, nas suas primeiras provas extra-regionais, foi nos 200 mariposa que obteve as suas melhores classificações, o 6º lugar no zonal da zona sul e o 14º lugar no nacional de infantis.

Na época 2012/2013, quando era infantil-A, a sua melhor classificação no torneio zonal da zona sul foi nos 400 estilos, com o 12º lugar e nos nacionais voltou a ser nos 200 mariposa que teve o melhor desempenho, sendo 22º classificado.

Depois de no escalão infantil ter tido classificações na metade de baixo da tabela classificativa, no escalão de juvenis tudo mudou e Tiago Costa passou a estar mais perto dos lugares do pódio. Foi 5º nos 1500 metros livres nos zonais de juvenis da zona sul e voltou a ser 5º na mesma prova nos nacionais da categoria juvenil-B.

Nos nacionais do escalão, o seu melhor foi o 10º lugar (de novo nos 1500 metros livres).

A época de juvenil-A foi talvez a época de maior afirmação do sportinguista que começou logo com o primeiro pódio zonal da sua carreira. Foi terceiro classificado nos 400 estilos e 1500 livres no torneio disputado em Leiria, em 2014.

Nos nacionais de juvenis, juniores, seniores e absolutos de piscina longa fez melhor e foi vice-campeão nacional juvenil-A dos 200 estilos, juntando o terceiro lugar nos 400 metros estilos. Volvidos uns meses terminou a época sendo o 6º melhor juvenil nos 100 metros mariposa.

O ano passado cumpriu o seu primeiro ano de júnior, iniciando a época com o 5º lugar nos 200 estilos nos campeonatos nacionais de juniores de piscina curta. Já em piscina longa voltou a ser o 5º melhor júnior mas nos 1500 metros livres.

No Open de Portugal foi o 8º melhor nadador do país nos 200 e 400 metros livres (melhor júnior nos 200).

Finalmente chegamos à presente época: a melhor da sua carreira até agora. Abriu logo com o seu primeiro título nacional. Foi nos nacionais de juniores de piscina curta, no Funchal, com a vitória nos 200 metros livres à qual acrescentou um 2º lugar nos 100.

Também em piscina longa foi campeão dos 200 e vice-campeão dos 100, mas foi nos 400 metros livres que conseguiu o mínimo. 4:01.52 foi o tempo que é record pessoal e que o confirmou na selecção para Israel.

A sua progressão nas provas que nadará em Israel foi a seguinte:

Fonte: Swimrankings

Antevisão

Quanto mais longa a prova, melhores hipóteses de uma boa classificação Tiago Costa tem.

Nas três provas que nadará em Israel é o 53º da start list nos 100 livres, 45º nos 200 livres e 37º nos 400 livres. Os seus objectivos passarão por bater os seus recordes pessoais e assim como os outros três portugueses inscritos nos 400 livres, baixar dos 4 minutos pode ser um objectivo bem real.

No entanto não é de descartar chegar a uma final. É que a estafeta portuguesa é uma das 12 inscritas nos 4×200 livres, onde Portugal deverá alinhar com Tiago Costa, Tiago Campos, Roberto Gomes e José Lopes/António Pinto. Sendo que Hungria, Grã-Bretanha, Polónia, Espanha, Itália, Rússia e Israel são inacessíveis, o 8º lugar será disputado (previsivelmente) entre Dinamarca, Suíça e Portugal.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter