20 Nov, 2017

Os Europeus: Rafaela Azevedo

João BastosJunho 23, 20174min0

Os Europeus: Rafaela Azevedo

João BastosJunho 23, 20174min0

Com a convocatória da selecção portuguesa para os campeonatos da Europa de Juniores, o Fair Play inicia uma série de 13 artigos para apresentar os 13 nadadores presentes em Netanya (Israel)

O Meeting Internacional do Porto constituiu a última oportunidade para os nadadores juniores portugueses fazerem marcas de acesso aos Europeus do escalão. Com a selecção definida, iniciaremos o desfile dos nadadores que representarão Portugal no certame. Fá-lo-emos diariamente até dia 28 de Junho (primeiro dia de competições em Netanya) e por ordem alfabética.

Rafaela Azevedo

Nome: Rafaela Gomes Azevedo
Data de Nascimento: 21 de Janeiro de 2002
Clube: Sport Algés e Dafundo
Treinador: André Ribeiro
Provas: 50, 100 e 200 metros costas

Foto: Luís Filipe Nunes

Historial

Dos 13 artigos sobre os convocados para os Campeonatos da Europa de Juniores, o de Rafaela Azevedo será o mais curto. Isto porque a nadadora algesina ainda é juvenil!

A mais nova de uma linhagem de campeãs, Rafaela sempre representou o Algés e chega a estes campeonatos antes do tempo porque é, de facto, um dos maiores talentos produzidos em Portugal.

A história remonta apenas à época 2013/2014, a sua primeira época em competição. Começou por ser bi-campeã zonal infantil-B da zona sul, nos 800 livres e 200 costas, ficando no 2º lugar nos 100 costas e nos 200 livres.

Nos nacionais de infantis, já se impôs como a melhor costista da sua idade, vencendo as provas de 100 e 200 costas na categoria infantil-B. Na prova mais longa ficou a centésimos do record nacional.

Recordes esses que viriam na categoria seguinte. Como infantil-A, estabeleceu dois novos recordes nacionais da categoria, ambos nos 200 metros costas (um em piscina curta e um em piscina longa), ambos no mês de Junho. O primeiro em piscina curta, em casa, no Torneio do Centenário do Sport Algés e Dafundo, e depois em piscina longa no Memorial Morena.

No mês seguinte, nos nacionais de infantis, não melhorou as marcas mas chegou para ser novamente campeã nacional dos 100 e 200 costas.

Em juvenil-B, ou seja, no ano passado, iniciou a época sagrando-se tetra-campeã zonal. Venceu as suas provas clássicas (100 e 200 costas) e ainda os 100 e 800 livres. Nos nacionais de juvenis, sem surpresa, foi a campeã nacional juvenil-B dos 100 e 200 costas.

Nos campeonatos do escalão, no final da época passada, voltou a conseguir vencer as suas duas provas de eleição, mesmo nadando contra nadadoras um ano mais velhas.

Esta época, enquanto juvenil-A, voltou a repetir os títulos zonais dos 100 e 200 costas. Já nos nacionais, adicionou mais uma prova ao seu leque de títulos: 50 costas. Assim, foi campeã nacional nos 50, 100 e 200 costas. Nos 50 e 100 metros superiorizou-se inclusivamente às nadadoras seniores, sendo campeã absoluta.

Em resumo, Rafaela Azevedo é das poucas nadadoras portuguesas que, para já, pode dizer que foi sempre campeã nacional nas mesmas duas provas, em todos os campeonatos nacionais que nadou.

Foi com o tempo de 1:04.44 aos 100 metros que Rafaela conquistou o direito de estar em Israel.

A sua progressão nas provas que nadará em Israel foi a seguinte:

Fonte: Swimrankings

Antevisão

A benjamim da equipa, pela sua idade, só deve ter dois objectivos: aquisição de experiência internacional e desfrutar ao máximo de uma competição deste nível. Só depois virá a possibilidade de record nacional (o dos 100 metros está a 52 centésimos de distância; o record de juvenil-A é melhor que o de juniores) e só depois pensar em passar as eliminatórias.

Este último objectivo até pode ser inadvertidamente atingido, uma vez que nos 50 metros tem boas possibilidades de chegar à meia final. É uma prova onde centésimos significam lugares na tabela classificativa, mas na qual o seu tempo daria 18º lugar no ano passado.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter