18 Out, 2017

Os Europeus: José Lopes

João BastosJunho 22, 20174min0

Os Europeus: José Lopes

João BastosJunho 22, 20174min0

Com a convocatória da selecção portuguesa para os campeonatos da Europa de Juniores, o Fair Play inicia uma série de 13 artigos para apresentar os 13 nadadores presentes em Netanya (Israel)

O Meeting Internacional do Porto constituiu a última oportunidade para os nadadores juniores portugueses fazerem marcas de acesso aos Europeus do escalão. Com a selecção definida, iniciaremos o desfile dos nadadores que representarão Portugal no certame. Fá-lo-emos diariamente até dia 28 de Junho (primeiro dia de competições em Netanya) e por ordem alfabética.

José Lopes

Nome: José Paulo Lopes
Data de Nascimento: 16 de Outubro de 2000
Clube: Sporting Clube de Braga
Treinador: Luís Cameira
Provas: 800 e 1500 metros livres e 400 metros estilos

Foto: Arquivo Pessoal

Historial

À semelhança de Jorge Silva, também José Lopes é do Braga “desde pequenino”. De resto, a carreira de ambos tem encontrado bastantes paralelismos, inclusive o facto de se terem apurado para os Europeus de Juniores logo no primeiro ano.

O agora especialista de provas de fundo, conquistou o seu primeiro título de relevo numa prova que muitos nadadores não gostam de nadar: foi campeão zonal infantil-B dos 200 mariposa, prova onde também obteve a melhor classificação nos nacionais de infantis, entre as 4 provas individuais que nadou: foi 8º.

Na categoria de infantil-A não foi sequer ao pódio nos zonais e a melhor classificação nos nacionais foi um 12º lugar, mas evidenciava uma evolução das marcas consistentes e, sobretudo, mostrava que ainda estava longe de se especializar numa técnica ou distância.

Chegou então a época de juvenil-B e voltou a subir ao lugar mais alto do pódio do zonal da zona norte, sendo campeão zonal da categoria nos 1500 metros livres. Foi também nesta categoria que se deu início a sua afirmação a nível nacional. Nos nacionais da categoria subiu quatro vezes ao pódio, com destaque para o título de vice-campeão nacional juvenil-B nos 1500 metros.

Foi vice de categoria e posteriormente vice do escalão, mas para além dos 1500, também foi dos 400 metros livres.

No ano seguinte aumentou a fasquia. Foi bi-campeão zonal juvenil-A e em Abril chegou o primeiro título de campeão nacional, e não veio sozinho. Foi bi-campeão nacional juvenil-A nas provas que se começaram a tornar a sua especialidade, os 400 e os 1500 metros livres. Ainda foi duas vezes vice-campeão nacional (nos 200 e 400 estilos, fazendo as dobradinhas para o Braga com Jorge Silva) e bronze nos 200 costas.

No campeonato nacional de juvenis, voltou a conquistar 5 medalhas, desta vez nenhuma de primeiro lugar, encontrando nessas 5 provas os outros dois nadadores juniores de primeiro ano que vão estar em Israel: o já citado Jorge Silva e Roberto Gomes.

Já nesta época José Paulo teve a sua desforra, nos campeonatos nacionais de juniores e seniores de piscina curta, onde superou esses (e outros) adversários em cinco provas, tendo-se assim tornado penta-campeão nacional. 400, 800 e 1500 livres, 200 estilos e 200 costas foram os títulos conquistados.

Nos nacionais de juniores de piscina longa foi campeão nacional dos 200 costas, vice-campeão nacional dos 800 livres e 200 estilos e terceiro lugar nos 1500 metros livres e 400 metros estilos. Mas foi precisamente nas eliminatórias desta última prova que ficou muito próximo dos mínimos para Netanya. Foram 11 centésimos de frustração que o separaram do Europeu.

Mas José Lopes resolveu o assunto no Meeting Internacional de Coimbra, cumprindo o mínimo na prova de 1500 metros livres, fazendo-o muito à vontade, de tal forma que dos três portugueses convocados para nadar a prova, passou a ser aquele com melhor record pessoal.

A sua progressão nas provas que nadará em Israel foi a seguinte:

Fonte: Swimrankings

Antevisão

É extraordinário que numa prova como os 1500 metros livres, que no ano passado só teve 16 inscritos, Portugal consiga ter três nadadores apurados. Sendo José Paulo o nadador com o melhor tempo de inscrição entre os três, será o que terá maiores ambições de conseguir um lugar mais destacado.

Mesmo nas edições com mais inscritos, os seus 15:50 dariam sempre um lugar entre os 16 primeiros. E o dos 800 não anda lá longe.

José tem tempos de valia superior em piscina curta, mas parece agora começar a aproximar os desempenhos em piscina longa. Se fizer algo equivalente aos 15:21.79 que tem nos 1500 em PC, nadará num tempo a rondar os 15:46 em PL, aproximando-se bastante do record nacional júnior-B que é de 15:43.55.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter