23 Ago, 2017

Os Europeus: Giovanna Vargas

João BastosJunho 17, 20174min0

Os Europeus: Giovanna Vargas

João BastosJunho 17, 20174min0

Com a convocatória da selecção portuguesa para os campeonatos da Europa de Juniores, o Fair Play inicia uma série de 13 artigos para apresentar os 13 nadadores presentes em Netanya (Israel)

O Meeting Internacional do Porto constituiu a última oportunidade para os nadadores juniores portugueses fazerem marcas de acesso aos Europeus do escalão. Com a selecção definida, iniciaremos o desfile dos nadadores que representarão Portugal no certame. Fá-lo-emos diariamente até dia 28 de Junho (primeiro dia de competições em Netanya) e por ordem alfabética.

Giovanna Vargas

Nome: Giovanna Vaz Vargas
Data de Nascimento: 8 de Março de 2000
Clube: Desportivo Náutico da Marinha Grande
Treinador: Pedro Lopes
Prova: 100 e 200 metros mariposa

Foto: Pedro Vasconcelos

Historial

Giovanna Vargas cumpriu toda a sua carreira, até ao momento, no Desportivo Náutico da Marinha Grande e, ao contrário de muitos dos seus colegas que integram a selecção que vai estar presente no Europeu, que tiveram uma notoriedade na natação nacional mais tardia, Gio venceu logo 5 provas na primeira prova de nível nacional (ou no caso, zonal) que nadou, ainda na categoria infantil-B.

No mesmo ano, em Julho, fez ainda melhor: foi campeã nacional infantil-B em todas as provas individuais que nadou, acrescentando duas estafetas do DNMG (só ficou a faltar os 4×100 livres). Foi campeã nos 800 livres, 100 e 200 mariposa, 200 e 400 estilos, 4×100 estilos e 4×200 livres. Foi a nadadora mais medalhada e a infantil-B mais pontuada pela tabela FINA.

Mudou a época, mudou a categoria (infantil-A) mas a nadadora marinhense manteve o registo: 6 títulos zonais e 3 nacionais, denotando já uma “selecção natural” de provas nas quais seria mais especialista. Foi a melhor infantil do país nos 100 e 200 mariposa e 400 estilos.

No escalão de juvenis, o nível competitivo aumentou, mas Giovanna respondeu bem. Foi campeã nacional juvenil-B dos 200 mariposa, fazendo melhor que as nadadoras juvenil-A, e no Open de Portugal voltou a confirmar-se como a melhor juvenil a nadar 200 mariposa, vencendo a final de juvenis. Mais importante que isso, foi nesta categoria que veio o seu primeiro êxito internacional. Nos Multinations Youth, no Chipre, conquistou o bronze nos 200 mariposa, o que demonstra bem a capacidade de superação da nadadora marinhense nos momentos chave.

Com naturalidade no ano seguinte, na categoria juvenil-A, impôs-se com maior autoridade no seu escalão (sempre nos 200 mariposa) e começou a alcançar pódios nacionais absolutos. Foi campeã juvenil-A e 3ª absoluta nos campeonatos de juvenis, juniores, seniores e absolutos. Já no Open de Portugal, no final da época, foi superada por uma nadadora que será sua colega de selecção em Netanya: Inês Henriques.

Inês e Giovanna continuaram a protagonizar uma rivalidade dos 200 mariposa que se prolongou para o escalão de juniores, fazendo ambas evoluir bastante nesta prova. Se no primeiro ano de júnior, Inês conseguiu uma ligeira vantagem que a levou a qualificar-se para os Europeus de Hodmezovasarhely, este ano foi Giovanna que passou a ter o melhor record pessoal.

A sua progressão nas provas que nadará em Israel foi a seguinte:

Fonte: Swimrankings

Antevisão

Giovanna Vargas foi a última nadadora a garantir a vaga nos Europeus. Os 13 nadadores que compõem a selecção estão lá com inteiro mérito, mas no caso da nadadora da Marinha Grande houve um sentimento de justiça acrescentado porque inúmeras vezes esteve perto do mínimo, mas só conseguiu na derradeira hipótese.

Nos nacionais de Coimbra e Meeting de Coimbra, a mariposista bateu na barra, procurando sempre o mínimo tanto nas finais como nas eliminatórias. Foi no Meeting Internacional do Porto que os mágicos 2:16.98 surgiram e com eles o carimbo no passaporte para Israel.

Alcançada esta fase, as perspectivas são boas. O tempo de Giovanna daria acesso à meia final em qualquer edição dos CEJ, mas há que ter em conta que para o obter, a nadadora teve de prolongar o seu pico de forma durante mais de um mês e esse dado pode fazer mossa.

Os 200 mariposa femininos é uma prova bastante emblemática para a natação portuguesa, uma vez que foi onde o nosso país obteve o primeiro título europeu de juniores, por intermédio de Ana Francisco, em Genebra’95. 22 anos volvidos, continuamos a produzir bons talentos nessa variante. Giovanna Vargas é, sem dúvida, um deles.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter