25 Set, 2017

Os Europeus: Beatriz Viegas

João BastosJunho 16, 20174min0

Os Europeus: Beatriz Viegas

João BastosJunho 16, 20174min0

Com a convocatória da selecção portuguesa para os campeonatos da Europa de Juniores, o Fair Play inicia uma série de 13 artigos para apresentar os 13 nadadores presentes em Netanya (Israel)

O Meeting Internacional do Porto constituiu a última oportunidade para os nadadores juniores portugueses fazerem marcas de acesso aos Europeus do escalão. Com a selecção definida, iniciaremos o desfile dos nadadores que representarão Portugal no certame. Fá-lo-emos diariamente até dia 28 de Junho (primeiro dia de competições em Netanya) e por ordem alfabética.

Beatriz Viegas

Nome: Beatriz Mendes Viegas
Data de Nascimento: 19 de Agosto de 2000
Clube: Tavira Natação Clube
Treinador: Ricardo Minhalma
Provas: 50 e 100 metros livres e 50 metros mariposa

Foto: Luís Mestre

Historial

Beatriz Viegas nada desde sempre no clube de Tavira, um clube que – sobretudo no sector feminino – se tem afirmado no panorama nacional, tendo sido a 4ª melhor equipa feminina nos campeonatos nacionais de clubes da 1ª Divisão, este ano.

Beatriz Viegas distinguiu-se como a principal protagonista da equipa nessa competição, que foi o corolário da presente época da algarvia que tem sido de grande evolução.

Antes disso, passamos “em revista” a sua carreira até agora.

Desde o escalão de infantis que a nadadora tavirense mostrou talento para as provas de livres. Nos seus primeiros nacionais, na categoria infantil-B, a sua melhor classificação foi na prova de 100 livres, onde obteve o 10º lugar. No ano seguinte, no segundo ano no escalão, chegou ao pódio do torneio zonal da zona sul (3º lugar aos 100 livres) e a nível nacional foi 7ª classificada, também nos 100 livres.

Com a chegada ao escalão de juvenil, chegaram também as provas de 50 metros, onde Beatriz começou desde logo a exibir a sua aptidão para a velocidade. Foi campeã nacional juvenil-B dos 50 livres, superando as nadadoras do escalão A, e vice-campeã nacional dos 100 livres. Chegaram também os primeiros recordes nacionais. Em Abril de 2014, na Taça ANDS, estabeleceu um novo record nacional Juvenil-B dos 50 metros livres em piscina curta.

No segundo ano de juvenil, o modelo dos campeonatos alterou-se e as provas de 50 metros disputaram-se por absolutos (todos os escalões). Foi a melhor juvenil nos 50 livres e a segunda melhor nos 50 mariposa.

No ano passado, já enquanto nadadora júnior, nadou os 100 livres pela primeira vez abaixo de 1 minuto. Foi nos nacionais de juvenis, juniores e absolutos, em Oeiras. Foi apenas o prólogo do que veio a ser a presente época, a melhor da sua carreira.

2016/2017 começou logo como o record nacional júnior dos 50 livres em piscina curta, a “jogar em casa”, no III Meeting Internacional do Algarve. Em Abril foi a Uster e trouxe de lá o record nacional júnior-17 anos dos 50 livres (Piscina Longa), ficando a apenas 1 centésimo do máximo do escalão nos 100 livres, mas com mínimo para os europeus, quer nos 50, quer nos 100 livres (antes do período para obtenção desses mínimos).

O record na prova de 100 metros viria nos nacionais de Coimbra, onde confirmou o mínimo e obteve a medalha de bronze absoluto.

A sua progressão nas provas que nadará nos Europeus foi a seguinte:

Fonte: Swimrankings

Antevisão

Beatriz nadará provas muito competitivas e onde Portugal não tem grande tradição, no entanto, ela é a melhor júnior portuguesa de sempre dos 50 e 100 metros livres e as tradições têm de ser iniciadas algum dia.

Isto para dizer que, sobretudo na prova mais curta, tem boas hipóteses de chegar (pelo menos) à meia final. O seu record pessoal dar-lhe-ia 7º lugar nas eliminatórias em 2016 e em 2014, mas uma prova de apenas uma piscina é bastante imprevisível.

Na prova de 100 metros é difícil fazer previsões, já que na última edição os 57.63 dariam o 35º lugar, mas nas duas edições anteriores davam meia final. Também os 50 mariposa foram muito mais fortes em 2016 do que nas edições de 2014 e 2013.

A forma que Beatriz Viegas já exibiu esta época abre boas perspectivas para o que pode vir a ser este torneio para ela. Em 2016/2017 já tirou mais de um segundo ao seu melhor dos 50 livres e mais de dois segundos ao melhor dos 100, o que retira muita pressão para os Europeus, porque aconteça o que acontecer em Israel, esta época já tem um balanço altamente positivo.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter