19 Fev, 2018

[Super Sprint] David Grachat de prata

João BastosDezembro 11, 20173min0

[Super Sprint] David Grachat de prata

João BastosDezembro 11, 20173min0
A natação adaptada voltou a levar a bandeira portuguesa ao topo do mundo. Pelo segundo mundial consecutivo, David Grachat chegou às medalhas

O Mundial de Natação Adaptada “World Para Swimming Championships” decorreram entre os dias 2 e 7 de Dezembro, na Cidade do México. Portugal subiu ao pódio por intermédio de David Grachat


Durante toda a semana passada, a Cidade do México recebeu os melhores nadadores de natação adaptada do mundo. Depois do Mundial ter estado cancelado devido ao terramoto que assolou a capital mexicana em Setembro último, o Comité Olímpico Internacional conseguiu restabelecer a normalidade dos trabalhos da organização e voltou a confirmar as datas iniciais.

Assim, Portugal esteve no México representado com três nadadores: David Grachat, Ivo Rocha e Marco Meneses.

No Super Sprint de hoje contamos como foi a carreira dos três portugueses por terras de mariachis.

David Grachat

O mais experiente dos três nadadores, que no ano passado esteve presente nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro e já contava com uma medalha de bronze em Mundiais no seu currículo, fez valer os seus pergaminhos e fez ainda melhor, trazendo do México a medalha de prata nos 400 metros livres, na categoria S9.

O nadador de 30 anos, da GesLoures, percorreu a distância em 4:31.09, sendo apenas superado pelo italiano Federico Morlaccchi.

Grachat, desta forma, fez mais uma vez subir a bandeira nacional no maior palco mundial da modalidade.

Para além dos 400 livres, ainda nadou os 50 e os 100 livres, onde fora 5º classificado nas finais de ambas as provas.

Foto: cm-loures

Ivo Rocha

O nadador do Feira Viva participava nos seus segundos Mundiais, depois de ter estado em Glasgow, em 2015.

Desta feita foi nadar 100 costas, 100 bruços e 200 estilos e deu boa conta do recado. O seu melhor resultado foi o 5º lugar na final dos 100 bruços, na categoria SB5 com o tempo de 1:47.94 numa prova onde o vencedor, o espanhol Antoni Ponce bateu o record do mundo.

Nos 100 costas ficou um lugar abaixo, ou seja, no 6º posto da final SB5.

Os 200 estilos não lhe correram tão bem, tendo sido desclassificado.

Foto: Ivo Rocha

Marco Meneses

O mais jovem dos três nadadores portugueses em prova, e o único estreante em mundiais, Marco Meneses, da equipa d’O Crasto não acusou a pressão da estreia e foi o único a trazer recordes nacionais.

Foi nos 100 costas na categoria S11, com o tempo de 1:17.89, que lhe deram o 4º lugar a pouco mais de 1 segundo de distância do bronze.

Com este tempo, Marco superou o seu próprio tempo de 1:21.98, que era o record nacional em vigor desde Julho deste ano e fez mínimos para ingressar no projecto paralímpico Tóquio2020.

Nos 50 livres também foi desclassificado, mas para os registos ficou a boa estreia do nadador de apenas 16 anos.

Foto: FPN


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter