20 Out, 2017

A festa dos clubes – 4ª divisão

João BastosNovembro 27, 201610min0

A festa dos clubes – 4ª divisão

João BastosNovembro 27, 201610min0

Abrantes recebeu o Campeonato Nacional de Clubes das 3ª e 4ª divisões, a única competição nacional de natação pura onde apenas há títulos colectivos. É, assim, uma competição onde os clubes apostam forte e, sobretudo nas divisões inferiores, o ponto alto para muitos nadadores que têm nesta prova objectivos bastante definidos no que a campeonatos nacionais diz respeito.

A quarta divisão é o primeiro patamar competitivo em termos colectivos na natação portuguesa. A competição é dividida nos escalões masculino e feminino, 24 equipas em cada um deles, que competem em 13 provas individuais.

As provas são 50, 100, 400 e 800 metros livres, 100 e 200 metros costas, 100 e 200 metros bruços, 100 e 200 metros mariposa, 200 metros estilos e as estafetas de 4×100 metros livres e 4×100 metros estilos.

A cada classificação é atribuída uma pontuação (1º – 25 pontos, 2º – 23 pontos, 3º – 22 pontos, …, 24º – 1 ponto). No final, o campeão masculino e feminino é determinado pelo somatório dos pontos de todas as provas individuais, subindo os 4 primeiros clubes à 3ª divisão e descendo à fase de qualificação do próximo ano os últimos 4.

Do pódio da qualificação para o título de campeão

O Clube de Propaganda da Natação (CPN) protagonizou uma meia surpresa ao sagrar-se campeão nacional da 4ª divisão feminina. Apesar de ser uma das equipas favoritas à subida de divisão, qualquer equipa a sagrar-se campeã que não o Estrelas de São João de Brito constituiria uma surpresa.

CPN venceu a 4ª divisão feminina | Foto: Facebook Lfnunes
CPN venceu a 4ª divisão feminina | Foto: Facebook Lfnunes

Para além disso, o CPN tinha sido apenas 3º classificado na fase de qualificação para esta 4ª divisão o que enaltece bastante o trabalho desenvolvido pelo clube de Ermesinde em apenas um mês.

Os 281 pontos finais foram conseguidos na base da homogeneidade de classificações alcançadas pela equipa, que variou entre os dois primeiros lugares (200 mariposa e 100 costas) e os dois oitavos (200 estilos e 400 livres).

A experiente Carolina Silva contribuiu com um 1º lugar nos 200 mariposa, um decisivo 3º lugar nos 100 mariposa (as adversárias mais directas ficaram abaixo do 13º) e um 4º lugar nos 100 livres. A júnior Carolina Santos venceu os 100 costas, ficou em 2º nos 200 costas e fez 6º nos 50 livres. A brucista Joana Maia ficou com o 2º lugar em ambas as provas de bruços (100 e 200) e a fundista Mariana Costa obteve um 3º (800 livres) e dois 8ºs (400 livres e 200 estilos). Nadou ainda Joana Jacinto na estafeta de livres.

As estafetas classificaram-se no 2º (4×100 estilos) e 4º lugares (4×100 livres).

Contra todos os prognósticos, o Estrelas de São João de Brito quedou-se pelo 2º lugar geral. Apesar de ter sido a equipa com mais vitórias (5 em 13 provas) e com a nadadora com melhor performance da competição (Victoria Kaminskaya nos 200 bruços), as galácticas ficaram a três pontos do CPN – 278 pontos.

A olímpica Kaminskaya na fase final de preparação para o Campeonato do Mundo de Piscina Curta, que decorre em Windsor, de 6 a 11 de Dezembro – e terá cobertura FairPlay – não participou na segunda jornada e “apenas” contribuiu com 2 primeiros lugares individuais (200 bruços e 200 costas) e abriu a estafeta vencedora de 4×100 estilos.

Kaminskaya apenas participou no primeiro dia de competição | Foto: Lfnunes
Kaminskaya apenas participou no primeiro dia de competição | Foto: Lfnunes

Mas o ESJB, que há muitos anos que não tinha uma equipa feminina a disputar o nacional de clubes, não vive apenas da Victoria. Maria Pereira fez os lugares 1 (nos 50 livres), 2 (nos 100 costas) e 3 (nos 100 livres), Catarina Sequeira ganhou os 100 bruços, foi quarta classificada nos 800 livres e foi 14ª nos 100 mariposa, uma prova que não é de todo a sua especialidade e que constituiu a pior classificação da equipa. Soraia Ribeiro, a mais experiente da equipa, foi 2ª classificada nos 200 estilos, 3ª nos 400 livres e 8ª nos 200 mariposa. Completou a equipa Carolina Gomes nos 4×100 livres.

Como já referido, a equipa do Professor Júlio Borja venceu os 4×100 estilos, mas na última prova cedeu o título ao quedar-se na 11ª posição nos 4×100 livres perdendo aí 7 pontos para o CPN.

O Clube de Natação de Torres Novas completou o pódio, o que por si só já é uma merecedor de destaque, mas conseguiu-o com uma particularidade: as nadadoras mais “velhas” da equipa têm…15 anos.

A equipa do CNTN | Foto: Lfnunes
A equipa do CNTN | Foto: Lfnunes

As jovens do CNTN tiveram uns campeonatos em grande, cuja subida de divisão foi ameaçada no início da segunda jornada, mas o problema foi resolvido de forma brilhante ao vencerem as duas últimas provas da competição.

Carolina Neves venceu os 100 livres, os 400 livres e fechou a estafeta vencedora de 4×100 livres, para além do seu terceiro lugar aos 400 livres. Inês Duarte fez 3º aos 100 costas, 6º nos 200 bruços e 10º nos 100 bruços, Inês Ramos foi 5ª classificada nos 800 livres e nos 200 costas, Beatriz Casal foi 10ª nos 50 livres e Beatriz Reis fez 12º nos 200 mariposa e 13º nos 100 do mesmo estilos. As irmãs Marta e Rita Oliveira também nadaram, na estafeta vitoriosa de 4×100 livres.

Na estafeta de 4×100 estilos o CNTN obteve o 4º lugar. Na geral final o clube torrejano obteve 254 pontos ocupando confortavelmente o terceiro lugar.

Fora do pódio mas com direito a subida de divisão ficaram as nadadoras do Clube de Natação de Rio Maior com 237 pontos.

O CNRM começou e terminou da melhor forma estes campeonatos (1º lugar na 1ª prova e 2º lugar na última prova), mas o facto de não ter verdadeiras especialistas nalgumas provas levou a que a meio da competição estivesse fora dos lugares de subida.

A equipa feminina do CNRM | Foto: Facebook Secção Natação CNRM
A equipa feminina do CNRM | Foto: Facebook Secção Natação CNRM

Os 13 anos de Mafalda Rosa não foram impeditivos para ter vencido os 800 livres. posição à qual juntou o 4º lugar nos 400 livres. Maria Beatriz Leal foi 3ª nos 50 livres e 5ª nos 100 livres. Cátia Agostinho foi 4ª nos 100 bruços, 6ª nos 200 mariposa e 11ª nos 200 bruços. Maria Beatriz Dias fez 4º lugar nos 200 costas, 6º nos 200 estilos e 19º nos 100 mariposa (ela que tem em livres o seu melhor estilo) e finalmente Ana Beatriz Rodrigues foi 14ª nos 100 costas.

As nadadoras de Rio Maior foram segundas classificadas nos 4×100 livres e décimas aos 4×100 estilos.

O Bairro dos Anjos e o Vitória de Guimarães estiveram sempre na luta pela subida de divisão, terminando com 224 e 222 pontos, respectivamente. Já as equipas do Ginásio de Santo Tirso, Lousada SXXI, Sporting de Espinho e O Crasto terão de competir na fase de qualificação do próximo ano.

Como curiosidade, apenas duas nadadoras fora das quatro primeiras equipas logrou vencer provas individuais. Foram elas Mariana Martins, Feirense, aos 100 mariposa e Ana Pina aos 200 estilos, d’O Crasto, o clube que ficou na 24ª e última posição, o que é bastante revelador da importância do colectivo nesta competição.

Domínio nortenho

A quarta divisão masculina acabou com dois clubes históricos nos dois primeiros lugares. A equipa masculina do Ginásio de Vila Real à procura de seguir as pisadas da equipa feminina (que milita na primeira divisão) e a equipa masculina do Vitória de Guimarães que em 2014 competia na 2ª divisão.

Tal como o FairPlay prognosticou, o Ginásio Clube de Vila Real levou o título para Trás-os-Montes. Os 276 pontos, as quatro vitórias em treze provas e a melhor performance da competição (Alexandre Ribas nos 100 livres – 719 pontos) foram argumentos mais que suficientes para os vilarealenses terminarem com 14 pontos de avanço sobre os vimaranenses.

GCVR campeão da 4ª divisão masculina | Fonte: Facebook Natação GCVR
GCVR campeão da 4ª divisão masculina | Fonte: Facebook Natação GCVR

O ex-Sporting Alexandre Ribas contribuiu sozinho com 73 pontos, fruto dos dois 1ºs lugares (aos 100 livres e 100 costas) e do 2º lugar aos 800 livres. Para além de ter aberto a estafeta de estilos e fechado a estafeta de livres, ambas vencedoras (mais 50 pontos). Koen Weustink fez 3º (200 costas), 4º (100 mariposa) e 5º (200 mariposa). O brucista Pedro Silva foi 3º classificado nos 100 bruços e 4º nos 200. Luís Carvalho aos 200 estilos e José Matias aos 50 livres foram ambos 7ºs classificados, enquanto Tomás Barros foi 14º aos 400 livres.

O Vitória de Guimarães vendeu cara a derrota, tendo vencido três provas individuais, mas não aguentou com uma segunda sessão demolidora do GCVR. 262 pontos foi o score dos minhotos.

Equipa do Vitória de Guimarães | Foto: Facebook Lf Nunes
Equipa do Vitória de Guimarães | Foto: Facebook Lf Nunes

O múltiplo recordista nacional dos escalões de formação, Rui Costa, igualou Ribas ao vencer duas provas (400 e 800 livres) e ser segundo na terceira (200 estilos). Pedro Fernandes venceu os 50 livres, foi 5º nos 100 livres e 8º nos 200 bruços. João Costa foi 5º nos 200 costas e 8º nos 100. André Oliveira foi 6º nos 200 mariposa e 8º nos 100. Luís Gomes foi 5º nos 100 bruços.

Nos 4×100 livres os vimaranenses foram 2ºs classificados e nos 4×100 estilos foram 4ºs.

No terceiro posto, com 249 pontos, ficou o Condeixa Clube. À semelhança da equipa terceira classificada no sector feminino, também esta equipa é muito jovem, abrindo boas perspectivas de futuro, nomeadamente já para o próximo ano na terceira divisão.

Os jovens nadadores do Condeixa | Foto: Facebook Lf Nunes
Os jovens nadadores do Condeixa | Foto: Facebook Lf Nunes

André Costa (15 anos) venceu os 100 e os 200 mariposa e foi 3º nos 400 livres (fez apenas menos um ponto que Alex Ribas e que Rui Costa nas suas provas individuais), Duarte Sousa (14 anos) foi o 2º dos 200 bruços e o 6º dos 100. José Cunha (15 anos) foi 5º aos 800 livres, 7º aos 100 livres e 12º aos 50 livres. Pedro Araújo (16 anos) fez 9º aos 200 estilos e 13º aos 100 costas e Tomás Miguel (14 anos) foi o 9º classificados dos 200 costas.

Em ambas as estafetas os jovens de Condeixa fizeram 5º lugar.

O Desportivo de Gouveia foi a quarta equipa a subir de divisão.

Foto: Facebook Lfnunes
Foto: Facebook Lfnunes

O duplo segundo lugar de Pedro Ribeiro (100 e 200 bruços) a somar ao 6º dos 200 estilos, o segundo (100 mariposa), terceiro (100 livres) e quarto (50 livres) lugares de Dmytriy Martinenko, o 6º (aos 800 livres) e duplo oitavo (400 livres e 200 mariposa) de Alessandro Carvalho, o duplo 16º de João Saraiva nas provas de costas e ainda o 2º lugar nos 4×100 estilos e o 4º nos 4×100 livres (nas quais, para além dos citados, participou também Pedro Prazeres) deram ao Desportivo de Gouveia o total final de 246 pontos que valeram as chaves da terceira divisão, a apenas três pontos do pódio.

O Palmela tinha legítimas aspirações à subida e esteve na luta, mas um arranque em falso da segunda jornada (11º aos 800 livres, 15º aos 200 mariposa e 14º aos 200 bruços) hipotecou as hipóteses do clube da Península de Setúbal, ficando a 7 pontos da subida.

Para a fase de qualificação do próximo ano seguem a Associação Estamos Juntos, o Naval Povoense, o Sertã e o Naval da Nazaré.

Veja os resultados completos e acompanhe também o resumo da 3ª divisão do Campeonato Nacional de Clubes.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter