20 Nov, 2017

Borda D’Água #6: De Tamila a Ledecky passando pelo COI

João BastosJunho 5, 20174min0

Borda D’Água #6: De Tamila a Ledecky passando pelo COI

João BastosJunho 5, 20174min0

Três notícias aparentemente não relacionadas, mas com muito em comum tiveram muito eco na comunidade nacional e internacional da natação. Os intervenientes foram Tamila Holub, Katie Ledecky e o Comité Olímpico Internacional. Perceba a relação

Começando pela primeira notícia, que é aquela que mais interessa aos portugueses, ficamos a saber na semana passada que a campeã da Europa, Tamila Holub, irá estudar nos EUA e representar a equipa de natação da North Carolina State, a 7ª melhor equipa feminina universitária no último NCAA.

Será treinada por Bradon Holloway, e terá como colegas de equipa nomes como Ryan Held (ouro olímpico dos 4×100 metros livres pelos EUA), Andreas Vazaios (o campeão europeu dos 200 estilos, na mesma prova onde Alexis Santos foi bronze) ou Anton Ipsen

O historial do clube na formação de nadadores de fundo é um excelente cartão de visita para Tamila Holub, ela que na entrevista que deu ao Fair Play já tinha assumido que gostava de ter uma experiência de treino internacional.

Tamila Holub. “Já comecei a fazer a contagem decrescente para Tóquio”

Tudo se conjuga para que Tamila possa dar um salto de gigante rumo ao topo mundial e que a sua “contagem decrescente para Tóquio” entusiasme todos os que vibram com a natação portuguesa, porque, à conta desta sua decisão, Tóquio pode ser um pequeno passo para a nadadora do Sporting de Braga mas um grande passo para a natação portuguesa!

#GoPack

Foto: FPN

Passando para Katie Ledecky, a enérgica americana continua a fazer das suas. Na quinta-feira passada, logo a abrir a etapa de Santa Clara das Arena Pro-Swim Series, marcou o tempo de 15:35.65, o 5º melhor tempo de sempre, atrás de outros 4 tempos seus, constituindo-se como a líder mundial do ano por meio minuto de diferença para a húngara Boglarka Kapas.

Ainda está a 10 segundos do seu record do mundo estabelecido em Kazan, nos mundiais de há dois anos, mas mesmo assim chega para fazer melhor que a 2ª melhor nadadora de sempre nos 1500 metros. Mais um feito notável, que para Katie Ledecky é só uma 5ª feira normal.

A americana detém agora 7 das 10 melhores marcas de sempre na prova:

  1. Katie Ledecky, Kazan (2015), 15:25.48
  2. Katie Ledecky, Kazan (2015), 15:27.71
  3. Katie Ledecky, Gold Coast (2014), 15:28.36
  4. Katie Ledecky, Shenandoah (2014), 15:34.23
  5. Katie Ledecky, Santa Clara (2017), 15:35.65
  6. Katie Ledecky, Barcelona (2013), 15:36.53
  7. Lotte Friis, Barcelona (2013), 15:38.88
  8. Lauren Boyle, Kazan (2015), 15:40.14
  9. Katie Ledecky, Mesa (2015), 15:42.23
  10. Kate Ziegler, Mission Viejo (2007), 15:42.54

Katie Ledecky, ou como chegar ao topo do mundo em apenas 20 anos

Finalmente, a terceira notícia, a qual as duas nadadoras anteriormente visadas terão muito interesse em conhecer o desfecho.

À semelhança da Olimpíada do Rio de Janeiro, a FINA fez um requerimento ao Comité Olímpico Internacional para incluir no programa olímpico da natação mais 10 provas (50 bruços, costas e mariposa masculinos e femininos, 4×100 livres e estilos misto, 800 livres masculinos e 1500 livres femininos).

Naturalmente que se dependesse da opinião de Ledecky e Tamila, a prova de 1500 metros livres femininos já estava mais que aceite no calendário. E à luz do critério da igualdade entre géneros, chega a ser aberrante que haja uma prova de fundo para as mulheres e uma diferente para os homens.

Apesar disso, os observadores internacionais não crêem que nenhuma das provas propostas seja incluída no programa de Tóquio 2020, mas até pode haver um pormenor que fará pensar os responsáveis do COI. Previsivelmente, Katie Ledecky e Simone Biles serão as grandes atracções dos JO de Tóquio.

Com a perda das referências Michael Phelps e Usain Bolt, uma decisão que favoreça o espectáculo de ver Ledecky a levar mais um ouro e dar-lhe a hipótese de ser a mulher com o maior número de vitórias na mesma edição (Kristin Otto conseguiu 6 em 1988) pode fazer o COI ceder…à quarta tentativa.

Por aqui, já sabe que para não perder um lance (ou uma braçada), siga-nos no facebook ou twitter e subscreva a nossa newsletter.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter