21 Nov, 2017

As 10 melhores performances dos Europeus de Juniores

João BastosJulho 2, 20178min0

As 10 melhores performances dos Europeus de Juniores

João BastosJulho 2, 20178min0

Terminados os Campeonatos da Europa de Juniores, fazemos o balanço da competição, indicando 10 provas onde os juniores europeus nadaram que nem gente grande

Foram vários desempenhos de grande nível os que se assistiram em Netanya de 28 de Junho a 2 de Julho. O Fair Play destaca o seu top-10:

1. Kristof Milak (Hungria): 200m mariposa – 1:53.79

Foto: MTI

Esta é muito destacada de todas as outras. Um tempo absolutamente extraordinário, e não só para o nível do escalão de juniores.

O tempo do húngaro é record mundial de juniores (por mais de 1,5 segundo) e, mesmo considerando que os recordes mundiais de juniores são reconhecidos há muito pouco tempo, dá para ter uma ideia da expressividade deste tempo em comparação com os 1:53.93 que Michael Phelps fez com um ano a mais do que Milak (ainda júnior de primeiro ano) e que, na altura, foi record do mundo absoluto.

No ranking do ano, o tempo do húngaro dá-lhe a segunda posição, apenas atrás do japonês Masato Sakai. Milak vai estar nos mundiais de Budapeste mas nos 100 mariposa, uma vez que nos 200, nos nacionais da Hungria, ficou atrás do medalha de bronze olímpico Tamas Kenderesi e do campeão europeu Laszlo Cseh, mas agora tem melhor tempo (esta época) que ambos. Quem sabe se não fará o seleccionador húngaro mudar de planos…

2. Nicolo’ Martinenghi (Itália): 100 metros bruços – 59.23

Foto: Swim4Life

O italiano tem tido uma época de grande nível, o que já fez com que o tivéssemos destacado como um dos nadadores sub-20 a observar no mundial de Budapeste.

Nos Europeus de Juniores esteve imparável e deixou o melhor para o fim. Os 59.23 nos 100 metros bruços é o novo record mundial de juniores, melhorando os 59.31 que o italiano já tinha feito na semana passada, nos nacionais italianos.

Com esta marca, Martinenghi ascende ao 5º lugar do ranking mundial e, a continuar esta evolução, pode já ser um candidato às medalhas na Hungria. Provavelmente terá de baixar dos 59 segundos para esse efeito, mas essa barreira já não está longe.

3. Polina Egorova (Rússia): 100 metros costas – 59.62

Foto: Getty Images

Egorova foi a MVP dos Europeus, conjuntamente com a húngara Ajna Kesely. Nadou os 100 e os 200 costas com novos recordes dos campeonatos, saindo de Israel com 3 ouros e 4 pratas.

Polina já era a melhor russa do ano nesta prova, mas no último dia dos campeonatos da Europa de Juniores fez melhor e bateu o record dos campeonatos que era pertença da sua compatriota Daria Ustinova, com 1:00.25 e ainda o record europeu de juniores.

Os 59.62 colocam a russa no #10 do ranking de 2017 e, tendo à sua frente 4 americanas, começa a ser uma séria candidata a chegar à final do Mundial.

4. Polina Egorova (Rússia): 200 metros costas – 2:08.97

Entre a performance dos 100 e dos 200 metros costas, é difícil escolher onde Egorova esteve melhor, mas como nos 100 fez record da Europa, colocamos o tempo da prova mais longa fora do pódio.

Nos 200 costas foi a primeira nadadora de sempre a baixar dos 2:09 nos campeonatos da Europa de Juniores, batendo, mais uma vez, o tempo de Daria Ustinova, a campeã mundial de juniores, que tinha sido campeã europeia do escalão em 2014, com o tempo de 2:09.21.

Assim como nos 100 metros, também o tempo dos 200 metros dá a Egorova o 10º lugar no ranking mundial da prova. Um ranking bastante emparelhado – duas americanas, duas australianas, duas canadianas, duas russas e duas europeias (uma alemã e uma húngara).

5. Egor Kuimov (Rússia): 100 metros mariposa – 51.35

Foto: Relrus

Mais um destaque do último dia de competições. Protagonista do grande confronto entre Kuimov e Milak nos 100 metros mariposa que culminou com um novo record da Europa de Juniores para o russo.

Os 51.35 catapultam o jovem russo para o 6º lugar do top mundial do ano, a apenas 5 centésimos do terceiro melhor da temporada, o americano Tim Phillips.

Para a Rússia, um bom mariposista era mesmo o que faltava para poder apresentar um sólido 4×100 estilos. Com Rylov, Chupkov, Kuimov e Morozov, os russos passam a ser sérios candidatos a lutar de igual para igual com os EUA e a GBR pelo ouro.

6. Alexei Sancov (Moldávia): 200 metros livres – 1:47.00

Foto: Dean Ottati

O tempo é impressionante. E ainda mais impressiona, tendo em conta a nacionalidade do jovem nadador. Alexei Sancov vem de um país sem qualquer tradição na natação pura e marcou 1:47.00, novo record do Mundo de Juniores, superiorizando-se aos 1:47.10 do americano Maxime Rooney.

O nadador, que treina nos EUA, não bateu o record dos campeonatos que é anterior ao reconhecimento dos recordes mundiais de juniores e é pertença do campeão olímpico Yannick Agnel, com 1:46.58, mas tornou-se no 15º melhor de 2017.

O tempo resultou de uma prova muito renhida, na qual o húngaro Nandor Nemeth chegou apenas 14 centésimos depois.

7. Ajna Kesely (Hungria): 1500 metros livres – 16:11.25

Foto: Hungarian Swimmer’s Fun Page

Como referimos anteriormente, Kesely foi, conjuntamente com Egorova, a nadadora com melhor desempenho nos Campeonatos. Nadou 4 provas individuais, venceu as 4, com recordes dos campeonatos em três.

Na prova de 1500 metros bateu o máximo que a portuguesa Tamila Holub tinha estabelecido no ano passado e ascendeu ao 5º lugar do top mundial, três semanas antes de voltar a nadar a prova em frente ao seu público, por ocasião dos mundiais de natação.

Nestes campeonatos, os desempenhos da húngara foram bastante homogéneos e nivelados por cima.

8. Nicolo’ Martinenghi (Itália): 50 metros bruços – 27.23

Ele já era o recordista mundial júnior dos 50 e 100 metros bruços antes dos Europeus de Juniores e, apesar de não ter feito nos 50 metros o mesmo que fez nos 100, ou seja, melhorar o seu máximo mundial, melhorou o record dos campeonatos e logo nas eliminatórias.

Os 27.23 são 26 centésimos acima do seu record pessoal, mas chegam para ser o melhor tempo de sempre em europeus de juniores. De resto, bastou-lhe nadar 1 centésimo pior que esse tempo na final para se superiorizar ao seu compatriota Alessandro Pinzuti.

9. Ajna Kesely (Hungria): 800 metros livres – 8:31.81

Dos três recordes dos campeonatos batidos por Kesely, o dos 800 metros era o mais duradouro. Foi exactamente um dia depois de fazer 31 anos que o máximo de Heidi Grein foi batido.

Ajna está convocada para o Mundial como suplente de Katinka Hosszu, caso a Iron Lady abdique de nadar os 800 livres, como deverá ser o caso. Por isso, deveremos ter mais da jovem húngara muito em breve na prova onde, apesar de deter apenas a 20ª melhor marca mundial, pode chegar à final, uma vez que muitas das nadadoras que estão à sua frente no ranking não estarão presentes na Hungria por estarem “tapadas” por colegas de equipa e porque os tempos são muito próximos.

10. Daria Vaskina (Rússia): 50 metros costas – 28.18

As russas (e os russos) dominaram as provas de costas. Em 6 provas (3 femininas e 3 masculinas) venceram 5. Daria Vaskina superiorizou-se na dobradinha russa nos 50 metros costas, relegando a sua compatriota Polina Egorova para o segundo lugar.

Vaskina igualou o record dos campeonatos, de outra russa (Daria Ustinova), logo nas meias finais com 28.18. A marca toma um relevância reforçada pelo facto da russa ainda ser juvenil!

O que significa que ainda poderá participar nos Europeus de Juniores nos próximos dois anos.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter