23 Nov, 2017

Águas Abertas: natação na sua essência

Rodrigo ZaccaAbril 3, 20174min0

Águas Abertas: natação na sua essência

Rodrigo ZaccaAbril 3, 20174min0

O circuito europeu de águas abertas ganhou mais um motivo de interesse, o recordista europeu dos 1500 metros nado livre, Gregorio Paltrinieri estreou-se no circuito com um promissor 4º lugar, mas actualmente, será que basta ser muito bom nas provas de fundo em piscina para ter sucesso nas águas abertas?

Já se somam alguns atletas que tentam uma extensão de sua carreira, saindo das piscinas para as águas abertas. Recentemente tivemos a presença do Campeão mundial e olímpico dos 1500 metros nado livre, Gregorio Paltrinieri (ITA), na primeira etapa da Copa Europeia de Águas Abertas, circuito de cinco etapas que se iniciou no dia 26 de março em Eilat, Israel.

Paltrinieri, apelidado de “Greg”, teve seu primeiro contato com a natação aos três meses de idade, quando seus pais o matricularam em uma aula de natação para bebês. A carreira de Greg começou no nado peito, sua especialidade até os 12 anos. Posteriormente, graças ao desenvolvimento físico e estatura considerável, passou para o nado livre.

“Eu gostei da prova apesar de tudo, consegui acompanhar os outros durante a maior parte do tempo”(…) “Na última volta senti como se estivesse perdendo a energia necessária para ir com os líderes e eu fiquei para trás. Ainda assim, foi uma boa experiência, totalmente diferente da piscina, mas aprendi muito aqui. ” (…) “competir nos 10 km é um desejo de muito tempo ” … “A água é a minha eterna paixão. Quando comecei a treinar em Ostia quando ainda criança, tinha práticas tanto na piscina como no mar, competia nas duas disciplinas e naquela época eu não tinha idéia de qual escolheria ” (…)”Aos 17 era uma escolha óbvia concentrar-me na natação da associação e não arriscar meus preparativos com qualquer outra coisa, entretanto eu nunca desisti da possibilidade de testar meus limites no futuro.”(…) “Agora eu sinto que o tempo chegou para tentar algo novo. O 1500-m preparou-me bem para as distâncias mais longas e eu não quero perder qualquer oportunidade na minha carreira. Porém eu tenho que admitir que, embora eu esteja muito curioso e entusiasmado neste momento, estou também preocupado um pouco como a equipe italiana de águas abertas que é muito forte, assim como os outros rivais, vai ser uma grande competição, grande rivalidade, mas estou ansioso para isso! ” (Gregorio Paltrinieri)

Gregorio Paltrinieri almeja o que David Davies (GBR) e Oussama Mellouli (TUN) já alcançaram, ambos sagraram-se medalhados em piscina e águas abertas. Além destes, diversos nadadores tentaram e ainda tentam prolongar a carreira por meio das águas abertas como Jan Micka (CZE), Mateusz Sawrymowvicz (POL), Richard Nagy (SVK), Mireia Belmonte (ESP) e Stephanie Horner (CAN). O fato é que, ao contrário da piscina onde o ambiente é controlado e claramente observado nas palavras de Gregorio, muitos são os fatores que tornam a maratona aquática imprevisível, como por exemplo, temperatura, correntes marítimas, etc. Estratégias de hidratação, suplementação são também fatores muito relevantes. Da mesma forma que na piscina, o nadador também pode mudar a sua estratégia de uma prova dependendo de quem são seus concorrentes e quais são seus objetivos. Enfim, é uma ramificação da natação constituída de características muito peculiares.

Fonte: Rodrigo Zacca

Embora seja um nadador que vivenciou a natação fora da piscina desde cedo, é difícil prever se Paltrinieri terá sucesso neste novo desafio da sua carreira. O sucesso na piscina ajuda muito, mas não é tudo. E para a próxima etapa do mundial em Setúbal a maratona aquática terá mais uma peculiaridade, relacionada as novas regras relativas ao uso fato isotérmico. O fato é que a maratona aquática é sem dúvida um caminho que deve ser explorado desde a base pelos treinadores, para que o maior número possível de jovens nadadores possa vivenciar a natação em águas abertas de forma precoce.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter