16 Ago, 2017

La Flèche Wallonne: O Muro de Valverde

Davide NevesAbril 18, 20174min0

La Flèche Wallonne: O Muro de Valverde

Davide NevesAbril 18, 20174min0

Três dias depois da quinta vitória de Philippe Gilbert na Amstel Gold Race, seguimos a viagem pelas Ardenas com a Flèche Wallonne. Ou, se quiserem, a “Flèche Valverde”.

Percurso da Prova, com três passagens pelo icónico Muro de Huy. (Foto: ASO)

A passagem pelas Ardenas continua, esta quarta-feira, em Binche, onde a 81ª edição da Flèche Wallonne começa, com o término habitual no Muro de Huy.

O início da subida, sempre com muita expetativa por parte dos fãs. (Foto: Tim de Waele/ TDWSport.com)

No passado domingo, uma espetacular Amstel iniciou esta semana, com a quarta vitória do belga Philippe Gilbert, ao derrotar Michal Kwiatkowski no sprint final. O favorito do Fair Play, Alejandro Valverde, acabou na modesta 19ª posição. Já Rui Costa, com um furo na entrada dos últimos sessenta quilómetros, não passou do 38º lugar.

O Favorito

Alejandro Valverde procura a quinta vitória na Flèche Wallone. Em 2016, venceu Julian Alaphillipe (à esquerda) e Dan Martin (á direita). (Foto: Getty)

A lenda da Movistar, Alejandro Valverde, parte claramente como favorito para vencer, pela quinta vez (a quarta consecutiva para Valverde e a sexta para espanhóis, graças às vitórias de Joaquim ‘Purito’ Rodríguez e Daniel Moreno em 2012 e 2013, respetivamente). O espanhol tem vencido nas últimas passagens pelo Muro de Huy, daí o termo “Flèche Valverde” se enquadre tão bem.

Não é necessário voltar a recordar a forma incrível de Valverde esta época: na nossa antevisão à Amstel, encontra tudo sobre isso.

Pelotão de Estrelas

 A Flèche Wallone atrai, como sempre, os melhores punchers. Assim, é pena que nomes como Gilbert (diagnosticado com um problema no fígado depois da vitória no domingo) ou Alaphillipe não possam participar. Duras notícias para a Quick-Step Floors, que ainda assim tem em Daniel Martin um candidato à vitória bem sólido, num terreno que também o favorece.

Michael Albasini é um eterno candidato. Com seis top-10 nesta prova, também ele mostra que a idade de 36 anos para ele não é nada (tal como acontece com Valverde). O terceiro lugar no domingo é um excelente indicador para o suíço da ORICA-Scott.

A Sky volta a colocar dois planos para a vitória, com Kwiatkowski e Sérgio Henao. A capacidade explosiva do colombiano poderá dar outros argumentos à equipa inglesa na subida do Muro de Huy.

A AG2R aposta em Romain Bardet para a vitória, bem como em Alexis Vuillermoz. Já a Sunweb, por exemplo, tem em Wilco Kelderman e Warren Barguil apostas consolidadas. Outros favoritos são: Bauke Mollema e Jarlinson Pantano (Trek- Segafredo), com André Cardoso e Rúben Guerreiro no apoio, Tim Wellens (Lotto Soudal), Ion Izagirre (Bahrain-Merida) ou Samuel Sanchéz (BMC).

A equipa de Rui Costa volta a apostar no português como líder para a clássica, com o apoio importante de Diego Ulissi e de Louis Meintjes. Uma escolha sólida, que poderão dar ao campeão do mundo em 2013 razões para sorrir.

Em suma, estamos prontos para mais espetáculo, onde podemos ver ser feita história (novamente). Por isso, a nossa aposta volta a recair em Alejandro Valverde.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter