22 Out, 2017

Hurley Pro at Trestles 2016 – WSL

Eduardo MenezesSetembro 7, 20165min0

Hurley Pro at Trestles 2016 – WSL

Eduardo MenezesSetembro 7, 20165min0

A contagem decrescente para o Hurley Pro at Trestles 2016 está aberta. John John Florence defenderá a liderança; Matt Wilkinson lutará para ter sua t-shirt amarela de volta; Gabriel Medina voará para a vitória. A Califórnia – USA já está preparada para receber os melhores surfistas do mundo e determinar quem restará na batalha do título do Samsung Galaxy Championship Tour 2016.

Com janela de competição entre 07 a 18 de Setembro, as ondas norte-americanas poderão determinar quem buscará, para além dos 3 líderes, o título da WSL 2016. Uma vitória daqueles que estão entre 4º e 8º poderá incluir mais um concorrente ao título. O mais cotado a se inserir nesta acirrada disputa é o atual 8º colocado, Kelly Slater (24.450) que mostrou toda a sua magia, vencendo a última etapa em Teahupo’o, voltando as glórias da vitória, após mais de 2 anos, com muita emoção e determinação, para quem sabe lutar pelo seu 12º título.

O surfista norte-americano, sem surpresa nenhuma, é o maior vencedor das ondas de Trestles, 6 vezes campeão da etapa que está no circuito desde 2000. Chegou a 5 finais seguidas entre 2004 e 2008, vencendo 2005, 2007 e 2008. E após um “péssimo” resultado em 2009 (3º lugar), voltou a ser tricampeão da etapa (2010 a 2012). Mesmo não tendo ótimos resultados nos últimos 3 anos (round 2, meia-final e round 5), respectivamente, Kelly é sempre favorito nas ondas Californianas. No Tahiti mostrou que tem muito surf, mas muito mesmo, determinação para brilhar e vencer os atletas mais jovens e seus incríveis e potentes aéreos.

Lower Trestles [Foto: Kirstin Scholtz - WSL]
Lower Trestles [Foto: Kirstin Scholtz – WSL]
 

John John Florence (39.900) irá defender seu posto de líder do ranking. Após ser vice-campeão nas duas últimas etapas, nas ondas de J-Bay e no tubos de Teahupo’o. O Havaiano, que lidera a corrida pela primeira vez no ano, não pretende entregar seu posto a Matt Wilkinson ou Gabriel Medina. As ondas de Trestles, local onde foi vice-campeão em 2014, favorecem seu surf progressivo e com altos aéreos, nada melhor que uma vitória para se consolidar na melhor posição do ranking.

Wilko (36.000), após sair muito decepcionado do mar do Tahiti, pela sua eliminação ainda no round 3, deixando o caminho livre para Florence assumir a liderança, voltará a cair no mar para tentar reassumir o posto número 1, que lhe pertenceu até a última etapa. O Australiano terá que mostrar uma enorme força mental, não sucumbir a pressão e surfar como no início da temporada, quando ganhou 2 provas em seguida.

Medina (35.700), atual 3º colocado, pode atingir o topo caso tenha um bom desempenho, e não há dúvidas que o primeiro Brasileiro campeão mundial se esforçará ao máximo para conquistar a t-shirt amarela. Igualmente a Florence, as ondas Californianas se encaixam perfeitamente ao seu surf e não faltarão aéreos impressionantes e grandes ondas surfadas.

A disputa pela liderança:

John John Florence VS Matt Wilkinson: se enfrentaram 11 vezes, com 6 a 5 para o Havaino (54% de aproveitamento);

John John Florence VS Gabriel Medina: se encontaram 14 vezes no mar, Grabiel venceu em 10 ocasiões (85%);

Matt Wilkinson VS Gabriel Medina: 7 disputas e novamente vantagem para o Brasileiro, 6 a 1 (85%).

2016 Men's Championship Tour Jeep Leaderboard [Imagem:WSL]
2016 Men’s Championship Tour Jeep Leaderboard [Imagem:WSL]
Classificação completa:

http://www.worldsurfleague.com/athletes/tour/mct?year=2016

Outros destaques são: Mick Fanning volta aos holofotes do surf mundial para defender seu título de 2015 da etapa norte-americana, o aussie Adrian Buchan 3º colocado no Tahiti e atual 4ª do Jeep Leader, Julian Wilson (5º) outro expoente do surf australiano, Jordy Smith (6º) campeão da etapa em 2014 e Adriano de Sousa (7º) o último campeão do Samsung Galaxy Championship Tour e vice em Trestles 2015.

Uma vitória, para qualquer um dos citados acima (exceto Fanning, uma vez que poderá não participar em todas as provas até o final do ano por escolha própria), significará a entrada para a disputa do título nas 3 etapas restantes. Infelizmente, o inverso também é verdadeiro, um mau resultado é o início do planeamento do ano seguinte.

O campeonato chega em sua parte final, escolha seu surfista predileto ou favorito ao título, e façam suas apostas. Apenas um será o rei das ondas ao final do ano.

Em tempo, o Azores Airlines Pro 2016, válido pelo WQS, divisão de acesso a elite do surf internacional, já se inicou na ondas da Ilha de São Miguel, arquipélago dos Açores – PT. Não perca um detalhe e torça pelos surfistas portugueses.

Azores Airlines Pro 2016: 6 a 11 de setembro, com chamadas as 7h  (horário local).

Confira: http://www.worldsurfleague.com/events/2016/mqs/1494/azores-airlines-pro/live


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter