23 Out, 2017

CrossFit Open. Motivação, superação e inspiração

Cláudia Espirito-SantoFevereiro 1, 20176min0

CrossFit Open. Motivação, superação e inspiração

Cláudia Espirito-SantoFevereiro 1, 20176min0

“Já te inscreveste?” “Vais fazer scaled ou Rx?” “Achas que saem thrusters?”. São as conversas dos CrossFitters nesta altura do ano e estendem-se até entrarmos num infinito de vocábulos que pertencem exclusivamente a quem treina a modalidade e começa a fazer parte deste “universo” underground fit que está a conquistar o mundo box a box.

Mas o que é o Open e por que é que mexe tanto com a Comunidade do CrossFit?

Resumidamente é o apuramento para os CrossFit Games – a competição da qual resulta a pessoa mais “fit” do planeta.  E no âmbito extraordinariamente inclusivo desta modalidade, qualquer pessoa pode participar.  O Open é exactamente isto: ABERTO a toda a Comunidade não obstante a idade ou tempo de treino porque pode ser feito em modo adaptado, com cargas menores e exercícios que são transições para o movimento mais complexo.

Treinem CrossFit há um mês, um ano, uma década; é igual.  

Aliás, se acabaram de começar o treino de CrossFit, ainda recomendo mais participar.  É a Vossa oportunidade de conhecer melhor esta modalidade, a comunidade, de se conhecerem melhor a vocês próprios e acima de tudo de se inspirarem e serem uma fonte de inspiração.  Sim, leram bem: serem uma fonte de inspiração pelo Vosso esforço, empenho e dedicação.  São valores altamente valorizados no CrossFit e a vitória de um principiante é tão ou mais importante que a de um atleta profissional. São os momentos de superação que nos unem e não há quem se supere mais do que quem começou há pouco tempo neste percurso.

Crossfit Games e a força de sua comunidade. [Imagem: CrossFit Games]
 

Mas, custa US$ 20 participar.  Vou pagar mais US$ 20 para fazer WODs?

Sei que já pagam a box.  Sei que podem fazer os WODs sem se inscreverem, mas acreditem que não é a mesma coisa.  Falo por mim.

Em 2015 não me inscrevi oficialmente.  Pensava exactamente isso, não preciso pagar para fazer os WODs.  E efectivamente fiz os primeiros desafios com o entusiasmo de quem se tinha inscrito.  Até as borboletas sentia a esvoaçar na minha barriga antes de começar a fazer o meu WOD.  Até que saiu o 15.5 (último WOD do Open de 2015),  27-21-15-9 calorias de remo e thrusters. Se não praticam CrossFit, acreditem apenas que é uma tortura para uma pessoa com a minha pequena estatura, tenho 1m55 e por mais que dê a minha alma no remo, o meu ritmo continua a ser o de um gondoleiro pelos canais de Veneza. É frustrante.  É algo que não gosto e não faço bem.

Eu dispensava a existência desse WOD.  Não o queria fazer e como não estava inscrita, surgiram milhares de imprevistos prioritários face ao desafio.  Tornou-se imprescindível tomar aquele café com a amiga que não via há duas semanas e de repente o supermercado não podia esperar nem mais um segundo.  Não fiz o WOD, e arrependi-me. Porque podia até ter tido o pior tempo do país a fazer aquele desafio, mas tinha-o feito.  Ele teria sido meu.  Teria enfrentado o  meu medo e seria mais forte por isso.  Teria aprendido o que precisava melhorar.  E teria feito companhia aos meus colegas de treino que foram fazer o WOD.

A verdade é que quando assumimos um compromisso escrito, quando pagamos para fazer qualquer coisa, o nosso empenho é outro.  É a nossa condição inata de ser humano.  Olhem para isto como jogar poker: se o meu dinheiro está em jogo podem ter a certeza que o meu foco e o meu envolvimento serão completamente diferentes,  e a emoção de jogar também.

CrossFit Open é para todos! [Imagem: CrossFit Games]
 

E há 5 coisas que são emocionalmente insubstituíveis no Open:

São 5 semanas com 5 WODs diferentes.  Em algum deles vão fazer boa figura GARANTIDAMENTE. É uma questão estatística.  Vão descobrir algo que fazem bem no meio de tudo o que sentem que têm para melhorar. Nesse momento de iluminação o CrossFit vai ganhar uma nova dimensão para vocês.

  1. Vão se surpreender com tudo aquilo que são capazes de fazer. A SÉRIO. O efeito da adrenalina no ser humano é simplesmente mágico. Fazemos o inimaginável e sentimo-nos MAGNÍFICOS com isso (e eu cá gosto muito de me sentir magnifica 🙂 )
  2. Vão-se sentir inspirados e surpreendidos com o que os Vossos colegas de treino e amigos conseguem fazer. E acreditem que vão pensar mais do que uma vez “Se ele/ela consegue, eu também vou conseguir”.
  3. Vão inspirar os outros. Eu sei que já falei nisto, mas ser uma inspiração para os outros é uma sensação absolutamente inigualável. Ouvir o apoio dos nossos colegas e amigos enquanto damos tudo o que temos num WOD que pode ser o nosso maior pesadelo é simplesmente Único. Sentimo-nos invencíveis.  Somos mais do que alguma vez acreditámos possível ser. É um sentimento que não se explica… vive-se.
  4. Vão estar “nesta aventura” com centenas de milhares de pessoas no mundo.  Durante 5 semanas todas as boxes afiliadas (e muitas não afiliadas) vão estar a treinar para o mesmo com um único objectivo: a auto-superação. Isto sim é Comunidade.

E porque acho que todas as pessoas merecem sentir esta amálgama de emoções extraordinárias que se misturam com medo, ambição, orgulho, tristeza e VONTADE; uma VONTADE imensa de dar o melhor de nós, acho que todos se devem inscrever para o Open.

O Open começa no dia 23 de Fevereiro.  Já estás inscrito ou vais “jogar poker a feijões”?

Como participar:

  1. Fazer a inscrição no games.crossfit.com identificando a tua box afiliada;
  2. Pagar os US$ 20;
  3. Fazer os WODs, que são anunciados na sexta-feira de madrugada, em algum momento dos 4 dias que temos para os fazer, antes de submeter os nossos resultados.  Esta parte são os Vossos treinadores e a Vossa box que tratam, portanto, a Vossa preocupação é mesmo dar o Vosso melhor nos desafios que são propostos.
E fiquem atentos, o Fair Play também vos vai acompanhar com dicas e estratégias WOD a WOD, para obterem os melhores resultados no Open.

Nós estamos no Open, e tu?


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter