21 Nov, 2017

Critérium du Dauphiné 2017: Froome procura o ‘Tri’

Davide NevesJunho 3, 20174min0

Critérium du Dauphiné 2017: Froome procura o ‘Tri’

Davide NevesJunho 3, 20174min0

Terminado o Giro d’Italia, os olhos dos adeptos de ciclismo concentram-se em França, nos próximos dias. O Critérium du Dauphiné é uma das provas com mais prestígio, e serve de preparação para o Tour de France, que se inicia dentro de um mês. E Froome participa nas duas.

Expetativa. Esta será, talvez, a melhor palavra para descrever o 69º Critérium du Dauphiné. Todos querem ver como estarão os grandes trepadores, quando estamos tão perto do Tour. E muitos deles pouco fizeram até ao momento.

Os olhos estão todos virados para Chris Froome (Sky). O britânico não está a fazer um grande início de temporada, conforme o Tour de Romandie mostrou (18º na geral). Aqui, corre em zonas onde já foi feliz, de amarela. Mas existe (lá está) a expetativa para ver o que faz o regressado Fabio Aru (Astana), ou se existe espaço para um vencedor francês nesta prova, algo que não acontece desde 2007, com Cristophe Moreau. Assim, Romain Bardet (AG2R La Mondiale) e Warren Barguil (Team Sunweb) terão a ambição de um povo nos pedais.

O percurso é bastante acidentado. Quase todas as etapas têm subidas com alguma dificuldade, e os sprinters apenas devem disputar a 2ª e a 3ª etapa. Existe um contrarrelógio individual na etapa 4, de 23,5 quilómetros, onde Tony Martin (Katusha-Alpecin) deverá brilhar. As últimas duas etapas serão muito emocionantes, com a etapa 7 a ser a etapa rainha, com a ascensão final ao Alpe D’Huez, e a etapa 8 finaliza com 11 quilómetros numa pendente média de 9%.

Os favoritos

Chris Froome é o favorito para o Dauphiné. Defende as duas vitórias anteriores (tem 3) e procura ser o ciclista com mais vitórias nesta prova. Para isso basta-lhe vencer este ano. Numa equipa muito bem recheada, está também o “Plano B”, Michal Kwiatkowski, que deverá estar sempre atento para alcançar uma vitória de etapa.

Alberto Contador (Trek-Segafredo) também chega em grandes condições. Depois de uma quantidade enorme de segundos lugares, procura vencer, e dar prova da sua forma para o Tour. Na mesma situação está Alejandro Valverde (Movistar), que procura aqui a vitória, depois da temporada de clássicas fenomenal.

Richie Porte (BMC) é outro que deve lutar pela vitória. O australiano também está em boa forma, depois da vitória na Romandie, e esta curta paragem durante o Giro permitiu preparar o Tour em condições. Dan Martin (Quick-Step) é uma incógnita. O irlandês é muito forte na montanha, mas os maus contrarrelógios não ajudam para alcançar um possível top-5.

Romain Bardet irá tentar a vitória este ano, depois do pódio do ano passado.
Foto: Tim de Waele / TDWSport.com

Os dois franceses, Bardet e Barguil, chegam a esta prova em condições diferentes. O francês da AG2R chega aqui para vencer, e dar concorrência a Froome. Já Barguil tentará a melhor classificação possível.

Fabio Aru (Astana) é a grande incógnita. O italiano falhou o Giro por lesão, e procura dar uma alegria à época negra da Astana, quer a nível de resultados, quer relativamente à morte de Michele Scarponi. Leva como braço direito Jakub Fulgsang.

Existem outros que entram aqui também, e que poderão surpreender: Esteban Cháves e Simon Yates (Orica-Scott); Andrew Talansky e Davide Formolo (Cannondale-Drapac); Louis Meintjes e Diego Ulissi (UAE Team Emirates).

Relativamente aos sprínters, Nacer Bouhanni (Cofidis), Bryan Coquard (Direct Énergie), Arnaud Démare (FDJ) e Alexandre Kristoff (Katusha) são os nomes mais sonantes.

Os portugueses em prova serão Tiago Machado (Katusha) e André Cardoso (Trek-Segafredo). Podem rever aqui a entrevista de Tiago Machado ao Fairplay, na semana passada.

O Fair Play irá aqui lançar também um desafio: agora, podem inscrever-se na Liga Fair Play, no Velogames (www.velogames.com). Para tal, basta registar-se, escolher a sua equipa e registar-se nas ligas privadas, colocando o código abaixo:

Liga Fair Play

Código: 01233133


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter