14 Dez, 2017

Angélica André e Rafael Gil campeões da longa distância

João BastosFevereiro 25, 20177min0

Angélica André e Rafael Gil campeões da longa distância

João BastosFevereiro 25, 20177min0

A época de águas abertas vai arrancar, e como aconteceu em 2016, o Campeonato Nacional de Longa Distância disputou-se em Fevereiro, servindo de diagnóstico aos nadadores que se preparam para enfrentar o mar. Fique a saber quem foram os novos campeões da Longa Distância

Nadou-se em Rio Maior a fase final do Campeonato Nacional de Longa Distância, composto pelas distâncias de 5000 metros para os escalões Juvenil-A, Juniores e Seniores e os 3000 metros para os nadadores do escalão juvenil-B.

Tri-Angélica e nova prata para Vânia

Foto: Facebook Lfnunes

No sector feminino, e à semelhança do que já sucedera o ano passado, o título iria ser discutido pelas colegas de equipa no Fluvial Portuense e melhores especialistas portuguesas de águas abertas da actualidade, Angélica André e Vânia Neves.

Angélica iria tentar o seu 4º título nacional nesta prova (terceiro consecutivo) e a olímpica Vânia Neves vinha tentar o seu primeiro título de longa distância.

Desde o início da prova que se percebeu para que lado iria pender o título porque Angélica André começou “com tudo” e imprimiu um ritmo muito forte, com passagens de 4:31.58 aos 400 metros e 9:09.20 aos 800 metros, conseguindo manter o ritmo de 1:09/1:10 a cada 100, terminando com 1:05.91.

O tempo final de Angélica foi de 58:15.17, valendo-lhe o título sénior e absoluto, e constituindo nova melhor marca dos campeonatos no escalão sénior. O record absoluto continua na posse de Florbela Machado que nadou em 57:53.99 quando ainda era júnior.

Vânia Neves completou os 5km com o tempo de 1:00:16.20, a sua segunda melhor marca de sempre.

Com os dois lugares mais altos do pódio por absolutos a serem uma reedição do ano passado, o terceiro ficou para a sportinguista Raquel Ranito (também sénior) que completou a prova em 1:01:04.56, melhorando mais de um minuto ao seu anterior melhor registo.

Sara Alves leva o ouro júnior

Foto: Facebook Lfnunes

No escalão de juniores foi Sara Alves, da Columbófila Cantanhedense, a superiorizar-se à concorrência. A internacional por Portugal o ano passado tinha conseguido ir ao pódio de absolutos ainda em idade de juvenil. Este ano até tirou cerca de 1 minuto e meio ao tempo do ano passado (registou 1:01:21.12 este ano), mas não chegou para repetir a posição absoluta de 2016.

As juniores de primeiro ano estiveram em grande plano e ocuparam o pódio por inteiro. Filipa Rodrigues (União Piedense) ficou com a prata com 1:02:51.52 e Inês Martins (Fluvial Portuense) com o bronze, nadando em 1:06:08.77.

Mariana Mendes vence em juvenis-A

No escalão juvenil-A, a nadadora Mariana Mendes, do Colégio de Monte Maior, conseguiu uma melhoria significativa do que tinha feito na fase de qualificação e venceu com 1:02:09.97.

No sentido inverso, Alexandra Frazão, da equipa de Olivais e Moscavide, tinha-se qualificado para a fase final do campeonato nacional de Longa Distância com a melhor marca do escalão, mas ficou com a prata, nadando no tempo de 1:04:01.69.

A fechar o pódio ficou a nadadora do Benfica, Natacha Silva que nadou no tempo de 1:07:32.53.

Mafalda Rosa com record nacional

Foto: Facebook Secção Natação Cnrm

Na prova destinada ao escalão juvenil-B – os 3000 metros – houve nova melhor marca dos campeonatos. Mafalda Rosa, do Clube de Natação de Rio Maior, bateu o tempo que tinha sido obtido precisamente por Mariana Mendes no ano passado. 36:40.47 é o novo máximo nacional do escalão.

Joana Martins, do Benfica, ficou com a prata depois de nadar em 39:07.13. Logo a seguir chegou Inês Sousa, do Náutico de Coimbra, com 39:18.67  que valeu o terceiro lugar do pódio do escalão.

Rafael Gil é o novo campeão

Com a ausência do campeão e recordista em título, Guilherme Pina, Rafael Gil (Benfica) surgia como principal favorito a vencer a prova, mas tinha adversários de peso, nomeadamente o tri-campeão da prova (entre 2012 e 2014) e recordista nacional da prova, até ao ano passado, Mário Bonança, do Sporting.

A estes dois nomes juntou-se Diogo Marques (Columbófila Cantanhedense) e o trio proporcionou uma prova bastante equilibrada, que só se começou a definir a partir dos 2200 metros, altura em que Rafael Gil “meteu a quinta” e o ritmo tornou-se insuportável para os adversários.

Gil terminou com o melhor tempo absoluto e sénior de 55:37.65 que lhe deu o título que já perseguia há várias edições do CNLD, Marques ficou com a prata absoluta e sénior com o tempo de 55:52.03 e Bonança levou o bronze absoluto e sénior com o tempo de 56:15.95.

Tiago Campos domina nos juniores

Foto: Facebook Lfnunes

O nadador do Clube de Natação de Rio Maior, Tiago Campos, foi o grande vencedor dos 5000 metros no escalão júnior. Depois de na fase de qualificação já ter operado uma melhoria de 1 minuto face ao tempo do ano passado, nesta fase final voltou a melhorar e a baixar dos 57 minutos. 56:59.67 foi o tempo que valeu ouro.

O segundo classificado veio do Náutico de Coimbra. Lucas Bastos, ainda júnior de 1º ano, nadou em 57:39.66.

No terceiro posto ficou mais um júnior de primeiro ano (nascidos em 2000). Diogo Nunes, do Fluvial Portuense, piorou ligeiramente o tempo que tinha feito na fase de qualificação e terminou com 57:53.03.

Record Nacional para Diogo Cardoso

Foto: Facebook Lfnunes

No sector masculino só houve uma nova melhor marca nacional e foi no escalão juvenil-A. Diogo Cardoso, do Colégio de Monte Maior, teve um excelente desempenho, e no final marcou 56:39.38, novo record nacional, melhorando quase 1 minuto e meio ao anterior máximo.

Diogo José, da Columbófila Cantanhedense, ficou com o segundo lugar e o tempo de 58:42.40, relegando David Cristino, da União Piedense para o terceiro posto com 59:02.41.

À semelhança do ano passado, o nível do escalão juvenil-A foi bastante elevado com o pódio a nadar abaixo da hora!

Ivan Amorim vence nos B’s

Foto: Facebook Lfnunes

O juvenil-B do Fluvial Portuense, Ivan Amorim foi o melhor nadador do escalão na distância de 3000 metros. 35:40.86 foi o tempo gasto pelo nadador nascido em 2002.

Apenas com 13 segundos de diferença chegou Paulo Frota, da Fundação Beatriz Santos, para levar a prata com o tempo de 35:53.91.

A completar o pódio ficou Bernardo Cardoso, mais um nadador da Columbófila Cantanhedense, um clube com grande tradição em campeonatos de Longa Distância. Bernardo nadou em 36:33.40

Fluvial Portuense volta a vencer

Na classificação final por equipas, o primeiro lugar do pódio voltou a ir para o Clube Fluvial Portuense que obteve 85 pontos.

A Associação de Solidariedade Social Sociedade Columbófila Cantanhedense ficou com o segundo posto, garantido pela obtenção de 69 pontos.

O Sporting Clube de Portugal que no ano passado tinha sido segundo classificado, desta vez baixou um lugar no pódio, marcando 61 pontos.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter