20 Out, 2017

Os melhores veteranos da Ekstraklasa

Francisco da SilvaFevereiro 5, 20176min0

Os melhores veteranos da Ekstraklasa

Francisco da SilvaFevereiro 5, 20176min0

Os rótulos e as etiquetas nunca foram uma boa forma de averiguar a qualidade do conteúdo. No futebol, a idade continua a ser ainda um fator discriminatório, especialmente, quando se ultrapassa a casa dos 30. Estes são alguns trintões vindo da Ekstraklasa que têm desafiado preconceitos e estabelecido como figuras de proa das suas formações.

Konstantin Vassiljev (Jagiellonia Bialystok)

A liderança do Jagiellonia Bialystok na Ekstraklasa tem carimbo báltico, mais concretamente, assente no génio futebolístico de Vassiljev. Aos 32 anos, o estónio é a figura principal de uma equipa que saltou, no espaço de 12 meses, de lugares medíocres para o topo da liga polaca. Konstantin Vassiljev é um médio ofensivo, que também pode atuar como 8, de fortes recursos técnicos e táticos capazes de decidir um encontro numa fração de segundo. O craque do báltico, chegado a Bialystok em meados de 2015, é um médio que lê muito bem o posicionamento dos seus colegas atacantes, sabe aparecer oportunamente em zonas de finalização e ainda tem uma qualidade técnica e de remate que lhe permite assistir e rematar com enorme qualidade. Se as palavras podem sempre esconder alguma subjetividade, os números não deixam margem para dúvidas. Em 18 jogos na presente edição da Ekstraklasa, Vassiljev já fez balançar as redes adversárias por 10 vezes, bem como, já assistiu por 9 vezes os seus colegas de equipa para golo. Tudo somado, o estónio está presente em mais de 50% dos tentos da sua equipa.

Konstantin Vassiljev | Fonte: sport.delfi.ee

Flávio e Marco Paixão (Légia Gdansk)

Os gémeos portugueses de Sesimbra têm contribuído decisivamente para a boa temporada da formação de Gdansk. Apesar de terem chegado ao norte da Polónia há sensivelmente um ano, os manos Paixão não acusaram a mudança e têm respondido com golos e assistências aos desígnios de Piotr Nowak. Marco Paixão, um avançado centro móvel com faro para o golo, leva até ao momento 6 golos e 3 assistências em 20 jogos na Ekstraklasa. Já o seu irmão Flávio, avançado mais criativo e que gosta de descair para as alas, tem um pecúlio superior com 8 golos e 2 assistências em 17 jogos. Ao todo, Flávio e Marco estão envolvidos em 50% dos golos da sua formação. Com o Légia de Gdansk empatado na liderança com o Jagiellonia de Bialystok, os gémeos Paixão serão fundamentais para continuar a alimentar o sonho da formação de Gdansk de conquistar o ceptro da Ekstraklasa. Aos 32 anos, Flávio e Marco mostram que ainda têm muito futebol para esplanar e, sobretudo, títulos para conquistar na Polska.

Gémeos Paixão | Fonte: sport.se.pl

Miroslav Radovic (Légia Varsóvia)

O mágico sérvio tem sido o rosto principal do renascimento da formação da capital polaca, encetada sob o comando de Jacek Magiera. Após regressar no Verão de uma estadia em Belgrado no Partizan, o trintão Radovic começou a mostrar todo o seu QI futebolístico a partir de Outubro, quando começou a ser aposta regular do então novo técnico do Légia de Varsóvia. No alto dos seus 33 anos, Radovic apresenta números impressionantes na presente edição da Ekstraklasa. Em 12 partidas, o criativo sérvio já faturou por 7 vezes e já assistiu por 8 vezes os seus companheiros de equipa. A qualidade de passe, a inteligência tática e a liderança em campo dão dimensão a uma figura cada vez mais simbólica dos legionisci. Enquanto a matemática permitir, os 4 pontos que separam o conjunto de Varsóvia da liderança são suficientes para que seja ainda possível a Radovic pontificar 10 anos de Légia com um último título na Ekstraklasa.

Miroslav Radovic | Fonte: rte.ie

Matus Putnocky (Lech Poznan)

O gigante eslovaco tem sido até ao momento o melhor guardião da Ekstraklasa e um dos pilares da melhor defesa do campeonato. Chegou no Verão do Ruch Chorzow e perdeu os primeiros 4 jogos por opção técnica, contudo, Putnocky agarrou o lugar na formação de Poznan à 5ª jornada e desde então tem sido um dos trunfos defensivos de Nenad Bjelica. Em 15 jogos disputados, o guardião de 195 centímetros sofreu apenas 9 tentos, tendo mantido a sua baliza imaculada em 8 partidas. Este registo só é possível devido à enorme agilidade e reflexos de Putnocky, que aliados à sua compleição física, permitem ao eslovaco ser um keeper de grande envergadura e que sai muito bem dos postes. Outra das especialidades do guarda-redes de 32 anos é a parada de grandes penalidades. Na presente temporada, em duas tentativas adversárias, o eslovaco defendeu mesmos os dois penalties. Se o emblema de Poznan ainda sonha com algo bonito na Ekstraklasa, bem pode agradecer ao gigante que tem a guardar a sua baliza.

Matus Putnocky | Fonte: wiadomosci.onet.pl

Rafal Murawski (Pogon Szczecin)

A época tranquila do modesto emblema de Szczecin tem sido novamente catalisada pelo talento de um veterano de 35 anos, Rafal Murawski. Após uma época de estreia com o Pogon recheada de golos e assistências, a 2ª época de Murawski tem sido igualmente marcada pelo seu papel decisivo no equilíbrio defensivo, mas também na produção ofensiva da equipa. Apesar de atuar preferencialmente à frente dos centrais, o polaco pisa também com bastante qualidade terrenos mais avançados, uma vez que é mortífero na chegada à área adversária devido à sua qualidade de remate. Não é por isso de admirar que em 18 jogos, Murawski já faturou por 4 vezes na Ekstraklasa. Aos 35 anos, a forma física não é a melhor, contudo, a qualidade técnica e a leitura de jogo do capitão do Pogon Szczecin tornam-no num dos veteranos mais apreciados da liga polaca. Assim, vai agradecendo Kazimierz Moskal por ter ao seu dispor um ativo desta craveira capaz de dar tranquilidade a Szczecin no convívio dos grandes.

Rafal Murawski | Fonte: szczecin.naszemiasto.pl


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter