18 Nov, 2017

Jacek Magiera: O Mayor de Warszawa

Francisco da SilvaDezembro 12, 20166min0

Jacek Magiera: O Mayor de Warszawa

Francisco da SilvaDezembro 12, 20166min0

Guardiola, Inzaghi, Nagelsmann, van Bronckhorst, Magiera. Todos eles fazem parte de uma geração de treinadores formados nas academias dos clubes. Em Varsóvia, Jacek Magiera ressuscitou o seu Légia, após mais de 7 anos na sombra de outros técnicos. Com a Ekstraklasa ainda a meio, Magiera tem mostrado credenciais para levantar o ceptro de campeão com o emblema Legionisci.

Os últimos anos têm sido marcados pela aposta bem sucedida em jovens treinadores que, além de terem fortes vínculos emocionais a determinados clubes, iniciam mesmo a sua carreira de coach nas camadas jovens/reservas desses mesmos emblemas. Jacek Magiera, treinador do Légia de Varsóvia, é mais um bom exemplo do resultado que este tipo de apostas pode trazer a uma formação carente de resultados, qualidade de jogo e, sobretudo, dedicação durante os 90 minutos.

Aos 39 anos, o treinador nascido na cidade de Czestochowa, no sul da Polónia, está na sua “cadeira de sonho” e tudo leva a crer que se mantiver a qualidade técnica que tem evidenciado nestes 3 meses ao comando do Légia de Varsóvia, irá permanecer no Estádio Jozef Pilsudski por um bom período de tempo. Contudo, a relação entre Magiera e o emblema Legionisci não é de agora.

Jacek Magiera formou-se como jogador no clube da sua cidade, o Rakow de Czestochowa, porém, mudou-se com 20 anos para a capital polaca e aí estabeleceu uma relação contratual com o Légia de Varsóvia que durou quase uma década. Aos 29 anos de idade decidiu terminar a sua carreira como futebolista e dedicar-se ao próximo passo, ser treinador principal. Em 2006, ingressou como adjunto na equipa técnica do Légia de Varsóvia, acompanhando de perto um período bastante estéril em termos de títulos para o clube legionário. Durante 7 temporadas, Magiera esteve ao lado de vários técnicos como Dariusz Wdowczyk, Jan Urban, Stefan Bialas ou Maciej Skorza, no entanto, nunca conseguiu festejar no banco de suplente aquilo que conseguiu alcançar enquanto jogador, ser campeão da Ekstraklasa com o Légia de Varsóvia. Após uma curta passagem pela equipa de reservas entre 2014 e 2015, Jacek Magiera decidiu deixar o seu berço e tentar a sorte no 2º escalão polaco. Em Maio de 2016, assinou pelo Zaglebie Sosnowiec e não demorou muito até firmar os seus créditos: no final da 9ª jornada, a formação de Sosnowiec já liderava o campeonato após marcar 13 golos nos últimos 3 jogos. Contudo, um amor maior invocava Magiera.

Jacek Magiera

Após se ter sagrado campeão polaco ao comando do Légia de Varsóvia, Stanislav Cherchesov foi convidado pela Federação de futebol do seu país a assumir a liderança da Rússia. Para colmatar a saída do ex-guardião soviético, o presidente do Légia de Varsóvia, Bogusław Lesnodorski, confiou os destinos do clube ao albanês Besnik Hasi. Apesar de ter trazido uma série de jogadores da Jupiler League, o técnico albanês nunca conseguiu realmente convencer os exigentíssimos adeptos Legionisci. 18 jogos, 7 derrotas, 6 empates e 5 vitórias depois, Hasi foi despedido. O plantel do Légia de Varsóvia estava recheado de talento, mas era preciso alguém que reunisse as individualidades e desse maior consistência a um coletivo que sofria golos com bastante regularidade. Desta vez Lesnodorski não vacilou e elegeu o homem da casa, Jacek Magiera.

A estreia do técnico natural de Czestochowa não foi a melhor: derrota em Alvalade frente ao Sporting na 2ª Jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões (2-0). Seguiram-se mais 3 jogos que podiam ter vaticinado o fim de Magiera na sua “cadeira de sonho”, nomeadamente, depois de 2 derrotas dolorosas frente ao Pogon Szczecin (3-2) e Real Madrid (5-1). Contudo, a partir daí a equipa começou a interiorizar as ideias do novo comandante e a diferença foi abismal, deixando bem vincada a qualidade técnica e inteligência emocional de Magiera.

Desde meados de Outubro que o Légia de Varsóvia não perde na Ekstraklasa, somando 6 triunfos nos últimos 7 jogos. Face a isto, a equipa da capital polaca subiu da 14ª para o 3ª posição após 9 jornadas sob o comando de Magiera. Além disso, somaram-se exibições bastante interessantes nas competições europeias, especialmente frente ao Real Madrid (3-3) e frente ao Sporting (1-0), que permitiram aos Legionisci continuar nas competições europeias. Para se ter uma melhor perceção da qualidade do técnico polaco, o Légia de Varsóvia não vencia um encontro na fase de grupos da Champions há 21 anos (ou seja, desde Outubro de 1995)!

Miroslav Radovic ao centro de preto

Um dos encontros que melhor espelhou a filosofia de Jacek Magiera ocorreu em pleno Signal Iduna Park, quando a equipa polaca foi derrotada 8-4 pelo Borussia de Dortmund de Tuchel. Magiera é um treinador apaixonado pelo futebol atacante, rápido e incisivo. Prefere sofrer muitos, mas marcar mais: daí que em 14 jogos ao serviço do Légia, a sua formação marcou 37 golos e sofreu 28.

Ao contrário de Hasi, Magiera tem trabalhado muito bem a transição ofensiva e o aspeto psicológico dos seus jogadores, tendo “recuperado” vários jogadores que pareciam perdidos com o anterior técnico albanês. O trintão criativo Radovic renasceu (13 jogos, 8 golos e 8 assistências), o possante médio Odjidja-Ofoe confirmou créditos (14 jogos, 3 golos e 5 assistências), o matador magyar Nikolics recuperou o seu killer instinct (13 jogos, 8 golos e 1 assistência) e o rapidíssimo Guilherme tornou-se decisivo nas zonas de finalização (12 jogos, 5 golos e 3 assistências). Apesar da organização e consistência defensiva ainda serem o grande handicap deste novo Légia, o regresso de Rzezniczak ao eixo da defesa e a manutenção da dupla Moulin e Kopczynski à frente dos centrais tem permitido estabilizar o barco tricolor.

Com ainda muito campeonato pela frente, o Légia de Varsóvia promete intrometer-se na atual luta a dois entre o Légia de Gdansk e o Jagiellonia de Bialystok. 7 pontos não são nada para quem teve que esperar 7 anos para subir ao comando técnico do seu clube de sempre. Jacek Magiera promete reescrever os próximos capítulos na Ekstraklasa.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter