18 Fev, 2018

É preciso ainda mais algum reforço, Jorge Jesus?

João CastroJaneiro 29, 20186min0

É preciso ainda mais algum reforço, Jorge Jesus?

João CastroJaneiro 29, 20186min0
O mercado está mesmo nas últimas e o Sporting CP necessita de um reforço para a ala... Jorge Jesus tem algum alvo na sua cabeça?

O Sporting conquistou no sábado, em Braga, a Taça CTT, sendo agora considerado o Campeão de Inverno. A verdade é que o Campeão de Inverno não foi dominante com Jorge Jesus a desejar por mais reforços e, por sua vez, os adeptos sentem algumas fragilidades do elenco depois de uma semana de exibições menos conseguidas.

Obviamente que muitos adeptos depois de verem as pálidas exibições em Braga ficaram com uma ideia na cabeça:  Existe um Sporting com Gelson Martins e um Sporting sem o número #77.

Para quem foi a Braga na 4ª feira e ontem ficou com nítida ideia que o Sporting esta carente ou órfão de extremos na sua essência. Marcos Acuña está esgotado fisicamente muito devido ao dar tudo em campo, isto apesar de ser um elemento tão amado por uns e odiado por outro.

Em Braga a sua entrada foi decisiva mas rapidamente fez mais de lateral do que extremo, cedendo a profundidade e as idas à linha a Fábio Coentrão.

Jogar à Sueca com Extremos

Este jogo popular de cartas em Portugal, são necessários 4 elementos para ser jogado, divididos em dupla, tendo que estar coordenados e em sintonia para que seja possível ganhar. Ora bem o Sporting neste momento está a jogar à sueca com elementos sem sintonia, em que um deles é um jogador habituado a jogar Poker e não à Sueca.

Existem somente dois extremos, Gelson (lesionado), Acuña (de rastos), tudo o resto são puras adaptações que pouco trazem ao futebol leonino e se pensarmos que o Sporting ainda luta pela Liga, Taça e Liga Europa…

Bryan Ruiz, Ruben Ribeiro, Bruno Cesar, Bruno Fernandes, são tudo menos extremos… Se Gelson está em campo ainda disfarçam do outro lado. Se dois desses nomes jogam ao mesmo tempo o futebol leonino passa a ser um jogo lento, previsível e sem velocidade.

Resta Podence, mas será realmente Podence o jogador que Jesus vê como Extremo?

Foto: Lusa

Se já eram poucos…

A saída do talentoso Iuri Medeiros para Génova deixou o plantel leonina ainda mais carente de extremos. Iuri nunca foi solução para o técnico do Sporting, mas agora é por mais evidente que poderia ser um jogador útil, não conseguindo impor-se, o talentoso esquerdino falhou as poucas oportunidades que teve como ficou bem patente em Moreira de Cónegos.

Vamos às compras

Depois de Misic, Wendel, Ruben Ribeiro e Montero, o Sporting não só poderá ir ao mercado como deve mesmo ter que conseguir ir ao mercado. O tempo urge, não é fácil conseguir um jogador com a qualidade que os leões necessitam.

Se sabemos que poderá até dia 31 de Janeiro chegar um central, a verdade é que a grande lacuna são os extremos como demonstrámos em cima.

Faltam três dias até ao fecho do mercado, o Sporting (como o FC Porto e SL Benfica, que estão na mesma situação) tem que ser ágil e incisivo na busca de jogadores capazes de suprimirem a ausência de velocidade e de imprevisibilidade nas alas.

Apostar as fichas todas…

Muito da época do Sporting pode passar pela contratação ou não de um extremo. Existem várias possibilidades no mercado desde as mais conhecidas pela comunicação social até as mais desconhecidas e escondidas. Vamos tentar entrar na cabeça de quem decide no Sporting.

A primeira opção passará obviamente de um jogador com futuro mas com a perfeita noção da realidade do futebol português. Seria o caso de Raphinha do Vitória Sport Clube.

Com um época de bom nível e com números interessantes, 30 jogos com 15 golos marcados, o jovem brasileiro poderia trazer algo diferente ao futebol leonino. Rápido, habilidoso e com um excelente sentido de baliza, Raphinha poderia trazer irreverência à ala mas igualmente golo para aquela posição.

A contratação não será fácil, o Vitória não o quer deixar sair nesta altura da época mas a concorrência pelo jogador é igualmente feroz, interna e externa.

A segunda opção passaria por um jogador conhecido de Jesus, ou seja alguém que já tenha trabalhado com o técnico e que tivesse já a plena noção do que é jogar nas alas no esquema do Sporting.

Neste caso a opção seria Gaitan, contratação muito difícil tem todos os aspetos que não seria uma aposta de futuro, para além que o Sporting teria que convencer o jogador a regressar à Liga NOS e ainda por cima a um rival. A somar a isso o argentino dos colchorenos aufere um salário bastante elevado.

Qualidade não falta ao argentino, falta saber se a sua cabeça estaria com o projeto leonino, primeiro para aceitar a proposta e depois para colocar em campo toda a sua qualidade. O pensamento dos adeptos será sempre este “será um Coentrão ou um Markovic…”

A terceira opção e a mais arriscada passa por contratar um jogador fora da nossa liga mas um jogador já feito. É assim que Jorge Jesus quer, nesta altura, a opção para a ala, um jogador para entrar de imediato no onze.

A maior dificuldade passa pelo valor disponível para contratar tal jogador e conseguir o perfil ideal para encaixar no 4-4-2 de Jorge Jesus, em último caso um empréstimo com opção de compra.

Existem vários jogadores disponíveis mas a triagem tem que ser perfeita, para chegar ver e vencer.

A nossa aposta passaria pelo mercado Argentino ou o futebol Holandês, já que são jogadores que normalmente encaixam melhor no tipo de liga portuguesa. Lembrar que as últimas notícia veiculadas são neste sentido, com Pity Martinez, o pequeno mas totalmente explosivo extremo argentino.

A quarta opção e caso falhe todas as anteriores passaria por fazer regressar Matheus Pereira. O ala leonino tem feito uma época razoável, 16 jogos 2 golos, com a vantagem de ter evoluído nos últimos jogos estando a jogar mais solto e desinibido para além de ter crescido na leitura táctica, algo que Luís Castro impõe nas suas equipas.

Não seria a solução ideal mas seria a solução possível, alargando as opções do técnico para a as alas. O sucesso passa pela mentalidade do jovem jogador, teria que dar tudo neste regresso a Alvalade, mostrando que tem qualidade e mentalidade para se impor no plantel principal.

Outrora Matheus Pereira foi uma das novas coqueluches lançadas pelo timoneiro dos verde-e-brancos, podendo encaixar na lógica de jogo do Sporting CP.

As cartas estão lançadas, agora é baralhar, partir e dar.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter