18 Fev, 2018

10 promessas/pérolas da Ledman Liga Pro 2017/2018

Francisco IsaacDezembro 24, 20179min2

10 promessas/pérolas da Ledman Liga Pro 2017/2018

Francisco IsaacDezembro 24, 20179min2
São 10 as promessas e/ou pérolas da Ledman Liga Pro 2017/2018 que o Fair Play tem de destacar. Descobre quem são, o seu valor e potencial futuro!

A Segunda Liga, ou como é apelidada nos dias de hoje, Ledman Liga Pro, está recheada de novas “estrelas” que brilham com veemência e esperam uma oportunidade para subirem de divisão ou serem contratados pelos residentes actuais da Liga NOS.

Num campeonato altamente exigente a nível físico, em que pelo menos 7 equipas lutam pela subida e outras 7 lutam para não descer (isto num campeonato de 20 equipas), é possível encontrar de tudo: goleadores, patrões da defesa, assistentes de primor, guardiões “agigantados” e outros tipos de jogadores.

O Fair Play escolhe assim 10 atletas das várias equipas da Liga Pro que entram no perfil traçado por nós: entre os 18 e os 22 anos, com pelo menos 10 actuações confirmadas (80% têm de ser a titular) e que apresentem números/qualidade/dados de qualidade.

RUI COSTA (FC FAMALICÃO)

Apesar do fecho de ano menos feliz do Famalicão, não podemos deixar de referir o excelente papel de Rui Costa no centro do ataque.

Rápido e com um toque de bola de óptima qualidade, o avançado tem decidido alguns jogos da equipa nortenha que “sonha” em subir de divisão. Os seus 21 anos são um pormenor a adicionar aos 10 golos que leva nesta temporada, algo bem interessante para a realidade dos pontas-de-lança portugueses.

Para além disso, o avançado apresenta bons argumentos na saída para o ataque, sabe “roubar” bolas, ganhar faltas e, quando necessário, fazê-las também.

O seu futuro depende do resto da temporada e de saber se consegue convencer um clube da divisão cimeira do futebol português a confiar o ataque a um jovem português algo muito raro na realidade Nacional.

CHIQUINHO (ACADÉMICA)

É difícil não gostar do médio-centro da Académica de Coimbra, já que possui uma série de qualidades que fazem o adepto a apaixonar-se rapidamente pelo seu futebol. Um poço de energia com uma cadência para a recuperação de bola e lançamento rápido da mesma, o português tem se afirmado com preponderância no centro do terreno da Briosa.

A agressividade (no sentido positivo da palavra) que impõe permite criar uma espécie de impacto negativo aos seus adversários directos, fugindo muitas vezes ao confronto, o que lhes obriga a sair da zona de conforto, levando-os a perder o controlo do meio-campo.

A Académica está na luta pela subida de divisão, após um início de época menos conseguido, e em boa parte deve a jogadores como Chiquinho, que assumem um papel preponderante nas acções ofensivas da sua equipa assim como no trabalho de apoio ao meio-campo defensivo.

Chiquinho (Foto: AAC)

HERIBERTO TAVARES (SL BENFICA)

Não fosse Rui Vitória estar munido de boas opções para o centro do ataque, Heriberto Tavares já tinha recebido uma oportunidade para subir ao escalão máximo do futebol português.

Com 20 anos, o dianteiro do SL Benfica “B” tem se comportado bem na hora de fazer a diferença, com 10 golos em 17 jogos pelas “águias”. É um dos totalistas da equipa, o que demonstra a sua importância para o campeonato satisfatória da formação do Seixal.

Mas há algo de especial em Tavares? Não sendo o tecnicista mais espectacular de todos, o avançado é um “tanque” no ataque com faro para o golo, com uma boa capacidade de ganhar no jogo aéreo ou pôr pressão numa defesa que defenda alto.

Há três anos que milita neste escalão e merece uma oportunidade na Liga NOS, seja em clubes como o Feirense, Belenenses, Aves ou Estoril

LUTHER SINGH (SC BRAGA)

É impossível ficar indiferente perante a capacidade de Singh, o jovem avançado sul-africano que actua na equipa “B” dos bracarenses.

Móvel, irrequieto e disposto a galgar bons metros e metros no terreno, Singh é um jogador “chato” de lutar contra. O 1,71 pode colocar qualquer um na defensiva, uma vez que se trata de um avançado e não de um extremo.

Mas é precisamente aí que o sul-africano (já jogou por uma vez pela selecção do seu país) faz a diferença… a sua baixa estatura impede-o de lutar no “ar”, mas torna-o uma ameaça total no jogo pelo chão.

A velocidade e ritmo que apresenta já causaram sérios problemas a candidatos à subida de divisão como o caso do Nacional da Madeira (melhor exibição de Singh, com 1 golo e 2 assistências), Académico de Viseu ou Leixões.

É uma espécie de Podence (salvo a alguma-grande diferença entre ambos) que tem tudo para singrar no futebol português.

RAFAEL LEÃO (SPORTING CP)

Há um Sporting Clube de Portugal “B” com Rafael Leão e sem Rafael Leão. O avançado que só com 18 anos, já festejou por 6 vezes nesta Liga Pro 2017/2018, assumindo um papel importante no centro de ataque dos Leões.

Mas não é só pelos golos que se prova o bom futebol do jovem avançado (que já foi chamado ao plantel principal do clube de Alvalade), é também pelo ascendente que tem sobre a defesa adversária.

Leão cria espaços, mexe linhas, força os defesas a seguirem-no com atenção, tanto vagueia para os extremos como de repente surge no centro da área, fazendo uso da sua boa velocidade, capacidade de explosão repentina e “perfume” com a bola nos pés para ganhar sempre a frente, sempre que possível.

Não há dúvida que é um dos jovens valores desta Liga Pro e que merece ser seguido de perto… contudo, Leão tem de trabalhar melhor o apoio à defesa para atingir o nível que treinadores como Jorge Jesus procuram.

Rafael Leão (Foto: Lusa)

FEDE VARELA (FC PORTO)

Facilmente podíamos falar de André Pereira, mas Varela acaba por roubar todas as atenções do FC Porto “B”. O argentino-espanhol tem sido uma autêntica dor de cabeça para as defesas contrárias, com um armamento técnico pulsante e uma capacidade para decidir quase sem igual.

Tanto pode jogar a médio-ofensivo (o antigo 10 convertido agora num box-to-box) como nas alas, como aparecer ao lado de Galeno ou André Pereira no centro do ataque. Gosta de mexer nas dinâmicas ofensivas da formação azul-e-branca, abrindo bons espaços para garantir não só a conquista de terrenos mais altos como de oportunidades de golo.

Os 8 golos em 17 jogos são só um pequeno cartão-de-visita para quem gosta de ver bom futebol. Conseguirá Varela a subida à equipa principal que tanto anseia?

YURI (ACADÉMICA)

O central da Briosa tem aparecido a espaços na equipa de Coimbra e não fosse aquele vermelho logo na 1ª jornada teria pelo menos mais dois jogos.

O brasileiro é um central forte, raçudo, que não tem problemas em assumir o papel de “estanca” quando há uma hemorragia defensiva na sua equipa. Rápido e ágil, Yuri dá-se bem com avançados rápidos, “asfixiando” com qualidade as acções dos seus adversários.

A chegada de Zé Castro e a excelente forma de Diogo Real, tiraram-no durante três jogos do onze titular, mas frente à Covilhã e ??? voltou ao onze titular tendo sido fundamental para manter a formação dos “estudantes” inviolável.

O 1,86 é um bom e forte argumento a seu favor na luta pelo jogo aéreo, entrando muito na linha dos centrais tipo Maicon (ex-FC Porto) ou Jardel (ex-SL Benfica), sendo agora necessário mais jogos para ver a consistência do defesa.

 

FRANCISCO TRINCÃO (SC BRAGA)

Decorem o nome… Francisco Trincão… 17 anos. O Braga tem descoberto umas “pérolas” bem curiosas como Xadas, mas agora é a vez de Trincão “roubar” um pouco da luz do palco. O extremo tem estado em evidência no SC Braga “B” com golos, assistências e vários dribles de meter os seus marcadores mais cerrados com os “olhos trocados”.

Trincão tem uma qualidade especial com a redonda nos pés, controlando-a com qualidade, fazendo a diferença na ala esquerda (raramente “passeia” para o lado oposto), com boas variações de jogo e boas movimentações para o interior da grande área.

17 anos e uma das novas coqueluches da Liga Pro, que precisa de estas aparições prematuras! Com três golos e duas assistências em 15 jogos, cabe agora ao extremo português continuar a dar esperança ao Braga “B” de sobreviver à 2ª volta do campeonato.

Francisco Trincão (Foto: Lusa)

JOEL PEREIRA (ACADÉMICO DE VISEU)

Eficiência é uma palavra com que se pode adjectivar o trabalho de Joel Pereira no flanco direito da defesa do Viseu. O português de 21 anos tem sido responsável por boas/excelentes prestações na ala, percorrendo-a com classe e garra.

Dotado de um bom pé direito, o lateral dos viseenses não tem falhado na sua missão ao apoio ao ataque, com já 4 assistências confirmadas na Segunda Liga.

A concentração séria, o trabalho irrepreensível, a boa capacidade para reagir a contra-tempos, fazem de Joel Pereira um sério candidato a uma promoção à Liga NOS nos próximos dois/três anos.

IGOR RODRIGUES (SC COVILHÃ)

Não poderíamos “fechar” esta lista sem mencionar, pelo menos, um guardião. Os serranso têm tido em Igor Rodrigues um homem feito para grandes paradas, impondo um stop aos remates dos seus adversários.

Em 17 jogos pelo Covilhã, Rodrigues já conseguiu terminar por seis vezes sem consentir qualquer golo, dando à sua formação a estabilidade e paz necessária para sobreviveram à Liga Pro.

Os serranos são a melhor defesa do campeonato, com só 16 golos sofridos, algo importante para dar destaque a este guardião que tem um bom futuro à sua frente.

O Fair Play continua o seu acompanhamento à Liga Pro com artigos semanais dedicados ao segundo escalão do futebol português. Depois dos médios a seguir, dos maiores artilheiros e, agora, dos 10 jovens valores, seguem-se os patrões da defesa e os guardiões a confiar.


2 comments

  • Rui Pereira

    Dezembro 27, 2017 at 8:24 pm

    Caro Amigo Francisco Isaac estou completamente de acordo com a sua selecção dos 10 promessas (pérolas da Liga -Pro 2017/2018 mas 3 são estrangeiros o que não lhes retira o valor mas fico um pouco preplexo não indicar na sua lista 1 único defesa esquerdo ou (Flanqueador Esquerdo) que em Portugal parece que estão em via de extinção.Gostava quando lhe for possível que observe este jogador do Gil Vicente que joga nessa posição Henrique Jorge Brito nascido a 21 de Abril de 1997. No primeiro Ano de Sénior e neste Clube.fez 26 jogos. Este Ano tem 7 jogos pois teve duas pequenas lesões que lhe impediram de fazer mais jogos tem 1 golo e 2 assistências. Se poder vale a pena ver no You Tube da Época passada Gil Vicente -Santa Clara e o Portimonense -Gil Vicente e o Braga B -Gil Vicente e este Ano o jogo Gil Vicente -Benfica e o Nacional ~Gil Vicente onde marcou o golo do empate.Para já dou-lhe esta dica mas tenho mais jogadores de pequenos Clubes com grande qualidade mas com pouca visibilidade. Um Abraço Amigo (Rui Pereira)

    Reply

    • Francisco Isaac

      Dezembro 27, 2017 at 8:41 pm

      Caro Rui Pereira,

      A posição de lateral esquerdo parece-me que está bem servida a nível internacional (guerreiro, coentrão, rodrigues, entre mais uns quantos) e na Liga Pro apanhei mais uns quantos mas nenhum era entra os parâmetros anunciados… tinha visto o Henrique Brito mas o número de jogo deixou-me na “defensiva”, não pela sua qualidade mas porque os outros neste artigos tinha mais minutos e mais presença. Vamos num próximo artigo visitar os laterais e depois os centrais. Prometido! Obrigado! Se quiser converse comigo via facebook obrigaado

      Reply

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter