18 Nov, 2017

Procura-se guardião para um tetracampeão

Rui MesquitaJunho 24, 20175min0

Procura-se guardião para um tetracampeão

Rui MesquitaJunho 24, 20175min0

Já está fechado o negócio por Ederson. O guarda-redes brasileiro ruma ao Manchester City por 40M€ e deixa um buraco de 7.32m por 2.44m na defesa do tetra que o Benfica fará na próxima época.

É certo que a saída de Ederson não será a única a tirar o sono aos benfiquistas. Lindelof também rumará a Manchester (mas para o United) e Nelson Semedo parece seguir-lhe as pisadas. Mas a do keeper parece ser a mais preocupante, tanto pelo seu papel neste último título como pela falta de alternativas.

O problema

Costuma dizer-se que contra factos não há argumentos, mas quando o assunto é Ederson Moraes os factos juntam-se aos argumentos. E todos a favor do brasileiro: o Benfica foi a defesa menos batida da Liga NOS e, com Ederson, mostrou-se quase sempre impenetrável. A calma do guarda-redes alastrou-se à equipa e aos adeptos tornando o tetra num passeio.

Mas a magia de Ederson não para nas defesas incríveis nem nas saídas milagrosas. O jogo de pés deu tranquilidade à construção encarnada e as suas reposições foram demolidoras. Com as mãos para contra-ataques rápidos e com os pés aproveitando os pontapés de baliza.

O Benfica perdeu, ainda com o mercado de transferências fechado, o Salvador de alguns momentos cruciais e uma poderosa arma. É preciso, neste longo e quente verão, compensar essa perda.

A segurança nas saídas é uma das suas armas (Foto: OJOGO)

A solução interna

A primeira alternativa é olhar para o plantel e procurar uma resposta. Júlio César é opção natural para a titularidade, mas os seus 37 anos não asseguram uma época completa. Para além disso há ainda o interesse do Flamengo que pode deixar ainda mais crítica a situação encarnada. Há ainda, do plantel campeão, Paulo Lopes, mas o português de 38 anos é e será uma terceira opção importante no balneário.

Por seu lado, na equipa B, Fábio Duarte, André Ferreira e Ivan Zoblin não parecem contar, no imediato, para o plantel principal. Por fim, no lote de emprestados, o Benfica não tem nenhum guarda-redes.

Sobra o mercado e um verão agitado para trazer alternativas a Júlio César ou até render a sua saída.

Júlio César é o sucessor natural (Foto: Divulgação)

O mercado

Mesmo antes da oficialização da venda de Ederson, já surgiam viam rumores sobre o seu sucessor. André Moreira, guarda-redes de 21 ano do Atlético de Madrid, foi a primeira e principal opção. O jovem português não foi opção na capital espanhola (0 jogos disputados) e parece ser uma certeza na Luz. Apesar de ser um guarda-redes diferente de Ederson (mais alto e não tão forte nas saídas), André Moreira está uns bons furos abaixo do “Deus” brasileiro. Para além da tenra idade, outras caraterísticas que unem os dois guardiões são a calma e a serenidade em campo. Na época passada (em Moreira de Cónegos) vimos um guarda-redes seguro e com uma enorme margem de progressão. Não é, ainda assim, uma aposta direta para o 11 encarnado, como não era Ederson quando chegou, ou Oblak antes dele.

André Moreira é internacional sub-21 por Portugal (Foto: golo.fm)

Outro dos nomes falos é o de Makaridze, o gigante georgiano do Moreirense. Com 27 anos, Makaridze junta alguma experiência com uma boa margem de progressão. À semelhança de André Moreira, o georgiano é frio e calmo entre os postes, mas limitado nas saídas. São ambos altos e fortes no controlo da área. Não é coincidência, este é o “tipo” de guarda-redes que a estrutura encarnada acredita ser o melhor para substituir Ederson. Se é impossível manter toda a qualidade do brasileiro procura-se o que de mais importante ele deu no tetra: a segurança e a frieza a proteger as redes benfiquistas.

Makaridze foi uma das surpresas da Liga NOS (Foto: Record)

Com este perfil e pelos valores em questão estas são das opções interessantes a que se junta Bruno Varela. O jovem português já passou pelo Benfica e tem mostrado o seu valor, inclusive nos sub-21 de Portugal.

Há ainda, fora da Liga NOS e das seleções nacionais, imensos jovens guarda-redes que cairiam que nem uma luva na Luz. São exemplos disso: Timo Horn (Colónia), Lovre Kalinic (Genk) e Thomas Strakosha (Lazio).

O primeiro é um alemão de 24 anos que preenche aquilo que os encarnados precisam. É um jovem com experiência e com imensa qualidade. Apesar disso os 12M€ que o alemão pode custar são um handicap considerável.

Tal como Horn também Kalinic encaixa no perfil que o Benfica parece procurar. Do alto dos seus 2.01m o croata é exímio entre os postes mas débil nas saídas. Ao contrário de Horn, o seu valor de mercado encaixa-se no que a SAD estará disposta a gastar.

Por fim, o albanês Strakosha é um keeper mais à imagem de Ederson (sem a imponência física do brasileiro). É bom nas saídas mas não tem um controlo e calma entre os postes que as opções já enunciadas oferecem.

Apesar de todas estas opções, caso o “Imperador” rume mesmo ao Brasil a baliza encarnada ressentir-se-á da falta de experiência que estas apresentam.

Neste momento, a única certeza é que seja quem for o próximo “número 1” da Luz, o buraco de 7.32m por 2.44m que Ederson deixa não será nada fácil de tapar.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter