21 Fev, 2018

Os 5 artilheiros da Ledman Liga Pro até ao momento de 2017/2018

Francisco IsaacDezembro 19, 20178min0

Os 5 artilheiros da Ledman Liga Pro até ao momento de 2017/2018

Francisco IsaacDezembro 19, 20178min0

RUI COSTA (FAMALICÃO)

Falavam de escassez de avançados portugueses? Bem então aí está o jovem Rui Costa (na foto de destaque), que aos 21 anos está perto da liderança de goleadores da Liga Pro! O ponta-de-lança do Famalicão soma 10 golos em 15 jogos, mais três assistências o que prova que o avançado formado nas escolas do Famalicão teve incidência directa em 14 jogos… uma taxa de aproveitamento de quase 100%! Bem não é tão linear como isto, já que nas primeiras 5 jornadas não rendeu com golos ou assistências.

Após a 7ª jornada (derrota com o Académico de Viseu, em que o famaliquense só jogou meia-hora), Rui Costa decidiu apresentar a sua bota às redes e começou a facturar com 8 golos e três assistências em 6 jogos (tinha concretizado dois na 5ª e 6ª jornada).

Mas o que faz de Rui Costa um excelente jogador? Para além da mobilidade e capacidade de “farejar” os melhores espaços para aparecer e fazer a diferença, o ponta-de-lança é um apaixonado pelo futebol, com uma intensidade contagiante e uma taxa de trabalho altíssima (desgasta os adversários não pelo físico, mas sim pelas trocas de velocidade e capacidade de surpreender na explosão).

É um gosto ver Rui Costa dentro das quatro-linhas, com tanto futebol na veia, com uma noção do espaço quase única nos avançados portugueses, completando um remate bem “venenoso” que demonstra a eficiência do avançado do Famalicão, sendo que os seus 10 golos contribuíram directamente para duas vitórias pela margem mínima (Vitória SC “B” e Gil Vicente).

LUAN SANTOS (UNIÃO DA MADEIRA)

Tempos muito difíceis e tristes pela equipa da Camacha, já que o União está numa posição preocupante na tabela (ocupa o 18º lugar em 20 equipas) e está pelas ruas da “amargura” em termos financeiros. Contudo, há boas notícias em termos de “coqueluches” e jogadores que dão tudo em campo, um desses casos é Luan Santos.

Um dos avançados mais altos a jogar na Segunda Liga, o brasileiro que veio do Boavista Sport Clube do Rio de Janeiro, chegou à Madeira e conquistou o seu lugar no centro do ataque, afirmando-se com duas mãos cheias de golos em 19 jogos. Portentoso, forte no jogo aéreo, equilibrado com a bola nos pés e com um bom sentido de golo, Luan tem cativado o público do Estádio da Ribeira Brava, com um futebol puro de artilheiro.

Apesar de já ter passado por um certo jejum de golos, entre a 10ª e 15ª jornada, foi decisivo na última grande vitória dos unionistas contra o Académico de Viseu (não tem tido vida fácil o líder do campeonato nas viagens à Madeira) com um hattrick que deu para perceber o que vale. Na última vitória do União por 3-0 ao Famalicão, Luan Santos foi fundamental para criar desequilíbrios na defesa dos nortenhos.

Com 26 anos, Luan Santos deverá ser o típico avançado que dará o salto no final da época para equipas que sonham com algo mais na Liga Pro ou mesmo para projecto ambiciosos da Liga NOS (seria uma excelente adição para o Feirense), Luan Santos tem sido dos poucos jogadores de interesse do União da Madeira.

THIAGO SANTANA (SANTA CLARA)

O avançado emprestado pelo Vitória FC aos açorianos do Santa Clara tem estado em alta esta temporada, com 11 golos e 4 assistência em 22 jogos, algo fundamental para boa época da equipa de Carlos Pinto.

O momento não é o melhor, já que somam 5 derrotas nos últimos 5 jogos, o que lançou um sinal de alerta em relação às pretensões do Santa Clara em subir de divisão. Porém, Thiago tem sido um dos strikers em melhor forma da Liga Pro e os açorianos podem voltar ao rumo certo mal com os golos do brasileiro.

Dos seus pés vieram directamente duas vitórias (Covilhã e União da Madeira ambos por 2-1), dois empates (Nacional e Leixões por um igual) e uma tentativa de lutar contra o Sporting Clube de Portugal “B” (dos três golos, dois são de Thiago e o outro foi uma assistência do brasileiro), demonstrando que muito da capacidade de fogo dos açorianos vem dos pés do “flamejante” avançado.

Mas como joga Thiago? O brasileiro faz uso do seu 1,84 para ganhar bons espaços na frente do adversário, soltando muito bem a bola e surgindo, mais à frente, em boa posição de tiro. O remate forte e colocado só é ultrapassado pela forma como sabe ser frio nos momentos decisivos.

Tem tudo para ser um avançado caprichoso com um ritmo indispensável para as equipas que precisam de lutar por pontos… uma boa solução para um CF “Os Belenenses”? Talvez… mas era engraçado ajudar o Santa Clara subir de divisão e lutar pela manutenção no ano seguinte.

Em Agosto deu uma entrevista em que dizia que “Quero marcar pelo menos 10 golos esta época”… já vai em 11 e até onde poderá ir?

Thiago Santana um dos 5 artilheiros da Ledman Liga Pro (Foto: Lusa)

MARCOS VINÍCIUS (REAL SC)

Tem sido um desastre a temporada do Real Massamá, com 12 pontos em 48 possíveis, ocupando cada vez mais os últimos dois lugares do campeonato. Os golos marcados não são o grande problema, uma vez que têm mais que 11 adversários da mesma divisão e um tal de Vinicius foi responsável por 50% dos golos da equipa.

O avançado de 22 anos é um dos carimbos de qualidade desta Liga Pro, demonstrando que até nos “maus” momentos subsiste uma réstia de esperança… e essa esperança chama-se golos. Como dissemos, Vinícius é responsável por 50% dos golos da sua equipa, com os tais onze golos, três dos quais contra o candidato à subida Leixões SC!

Um “monstrinho” dentro da área, Vinícius sabe mexer o corpo dos centrais adversários, fazendo-os crer que o conseguem apanhar, mas acabam apanhados na armadilha montada pelo brasileiro. O remate violento e certeiro, é trabalhado com uma boa dose de velocidade (não é extremamente rápido como Rui Costa, mas sabe meter a bola na “gaveta”) e de visão, algo que o faz um adversário muito difícil para as equipas opositoras.

Novos patamares aguardam Marcos Vinícius que precisa de outra equipa para engrandecer o seu futebol.

DONALD DJOUSSÉ (ACADÉMICA)

Podíamos ter escolhido outro avançado, até porque Heriberto Tavares do SL Benfica “B” vai com 10 golos ou Rafael Leão com 6 em 12 jogos, mas era impossível não falar de Donald Djousse, o artilheiro que tem “mudado” a Briosa.

A Académica de Coimbra teve um dos inícios de época mais complicados dos últimos anos (incluindo os da Liga NOS), mas de um momento para o outro passou de 16º classificado para candidato total à subida de divisão e Djousse teve/tem um papel importante nessa mudança.

O avançado dos Camarões (mas com dupla nacionalidade georgiana) já fez as redes balançarem por 7 vezes esta temporada, 6 das quais na Segunda Liga. Mas sabem quando começou Djousse a marcar golos? Só a partir da 11ª jornada, altura que ainda não tinha sido titular uma única vez pela Académica… mas aqueles dois golos contra o Arouca mudaram tudo!

Djousse foi fundamental na vitória frente ao Nacional da Madeira (logo nos primeiros dez segundos), fez o golo da vitória contra o Real Massamá aos 90′ (quando todos já contavam com um empate) e tem metido as defesas contrárias em “pulgas” para agarrá-lo.

Bem veloz, altamente intenso e bastante bom em ganhar as costas de quem está a marca-lo, o camaronês tornou-se um perigo à solta dentro das áreas da LigaPro não só ameçando com remates (alguns remates originaram golos da sua equipa, quando o guarda-redes consegue defender à primeira com dificuldade mas metendo a bola nos pés do adversário de novo), mas com trocas de pés e bons arranques que deixam a defesa pregada no chão.

O Fair Play já tinha escolhido os seus 5 médios a seguir até ao momento! Poderíamos escolher outros avançados desde o experiente Rui Miguel, o móvel Heriberto Tavares, a “pérola” da Academia Rafael Leão ou Luther Singh do Sporting de Braga “B” (muita atenção para este jovem de 20 anos!), sendo que fará outros artigos de acompanhamento.

Golo de Djousse contra o Nacional da Madeira


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter