24 Fev, 2018

Onze do ano 2017 da Liga Francesa

José Nuno QueirósDezembro 18, 20178min2

Onze do ano 2017 da Liga Francesa

José Nuno QueirósDezembro 18, 20178min2
Estamos cada vez mais perto de encerrar o ano e como tal chegou a altura de fazer o onze do ano 2017 na Ligue 1, num ano onde a liga ficou ao rubro, principalmente no Verão.

Depois da surpresa que foi a conquista do título por parte do Monaco de Leonardo Jardim, este ano parece que o PSG regressou ao controlo do futebol gaulês e volta a parecer que corre sozinho pela conquista do título de campeão nacional, mesmo ainda estando em Dezembro.

Como tal decidimos fazer este onze em 4x4x2, mas onde só vamos incluir jogadores que passaram todo o ano de 2017 em França! O que significa que Neymar Jr. vai mesmo ter que ficar de fora.

Guard-redes

Subasic (AS Monaco)

Fonte: FourFourTwo

O Mónaco foi campeão nacional revalidando o título que já lhe fugia há largos anos e como em todos as equipas campeãs, o guarda-redes é uma peça importantíssima para o sucesso.

Numa liga que não apresenta nenhum guarda-redes de classe mundial, Subasic conseguiu ser um jogador sólido naquela que é a segunda defesa menos batida do ano (Areola sofreu menos golos, mas fica sempre na ideia que é o elo mais fraco da equipa onde atua). Com 49 golos sofridos até ao momento, o croata consegui ser bastante útil à sua equipa sem precisar de ser um fora de série.

Defesas

Meunier (PSG)

Fonte: The Sun

O lateral do PSG, tem vindo a perder espaço na equipa parisiense com a chegada de Dani Alves, no entanto o belga é claramente jogador para merecer mais minutos de jogo, prova disso é a qualidade demonstrada o ano passado, apesar de tudo esta época já leva 3 golos, impressionante para um lateral que esteve em apenas 8 jogos da Liga, tendo já bisado.

Um lateral com enorme capacidade ofensiva e uma qualidade técnica incrível, vai certamente chegar ao topo quando Dani Alves lhe abrir espaço.

Thiago Silva (PSG)

Fonte: FourFourTwo

É o patrão da defesa do PSG, capitão e um recuperador exímio de bolas, fazem dele o central perfeito desta equipa e não é por acaso que a equipa consentiu duas derrotas na sua ausência por lesão.

O jogador brasileiro alia a isto tudo uma eficiente saída de bola numa primeira fase de construção da sua equipa. Seguro na defesa e neste onze.

Jemerson (AS Monaco)

Fonte: Goal.com

O outro central brasileiro na equipa é o defesa do Monaco. Tendo feito quase todos os jogos dos comandados por Leonardo jardim este ano, Jemerson é a peça fulcral de uma das melhores defesas da liga e que conquistou o título este ano.

Não é pelas alturas onde faz mais estragos, apesar de se bastante competente, é pelo chão que assume a sua qualidade sendo muito bom no corte e a compensar as debilidades do seu colega polaco, Glik. Rápido e seguro o central tem tudo para entrar na lista final.

Kurzawa (PSG)

Fonte: Goal.com

Mais um jogador do desconcertante PSG, o lateral esquerdo Kurzawa entra nesta lista pela sua valência ofensiva na equipa sendo inclusive um defesa goleador, tendo até um hat-trick apontado.

Veloz a percorrer a lateral e com um ótimo jogo de pés ele é um jogador fortíssimo maioritariamente na zona ofensiva. Consegue desequilibrar sem nunca deixar as costas livres. Um talento ainda com alguma margem de progressão.

Médios

Fabinho (AS Monaco)

Fonte: Daily Mirror

O médio que já passou pelo Rio Ave (sem jogar nenhum jogo), foi o pilar do meio campo do Monaco  que levou à conquista do titulo juntamente com Bakayoko.

Apesar de forte defensivamente, é no aspeto ofensivo que ele se destaca mais, produzindo muitos golos, quer por assistências, quer pela sua finalização, esta época continua preponderante no jogo do Monaco, mesmo não sendo tão influente como na época passada.

Verratti (PSG)

Fonte: EuroSport

Provavelmente o jogador com mais classe que passou pelo futebol francês neste ano, aquele que melhor trata a bola e aquele que a serve sempre “redondinha” para os colegas. Tem vindo a evoluir ao longo dos anos e é uma peça chave neste PSG para lutarem por grandes objetivos.

É nele que Emery coloca a batuta para controlar o jogo do PSG e Verratti junta isso à sua enorme qualidade de passe e de leitura de jogo. Um craque em todos os sentidos!

Rabiot (PSG)

Fonte: 360nobs.com

Que jogador que Rabbiot se tem vindo a tornar, principalmente neste último ano. Ganhou uma enorme preponderância na equipa parisiense e é o médio que mais facilmente aparece na frente em zonas de finalização. Possui também ele uma qualidade técnica incrível a que junta o faro para golo, fazendo dele um médio muito forte e de apenas 22 anos!

Um diamante para Emery lapidar ainda mais, mas que já merece um lugar nesta lista.

Avançados

Falcao (AS Monaco)

Fonte: Metro

Reencontrou-se com os golos nestas duas últimas épocas com Leonardo Jardim e neste ano de 2017 voltou a ser o jogador letal que já não existia desde Madrid. 3º lugar nos melhores marcadores franceses na última época e atualmente no 2º lugar, Falcao tem com Lemar (outro fantástico jogador que poderia entrar na lista) uma relação dentro de campo muito boa e que rende muitos golos.

Falcao recuperou o instinto matador, regressou às grandes finalizações e hoje um dos melhores pontas de Lança da Ligue 1.

Kylian Mbappé (AS Monaco/PSG)

Fonte: Goal.com

É o jogador que mexeu com o futebol francês neste ano, muito jovem apareceu na equipa do Monaco, bateu recordes e cedo se afirmou como o maior jovem talento do futebol francês. Um avançado que junta velocidade, qualidade de passe, drible, técnica e uma finalização quase excelente tem tudo para ser um caso sério e para já mudou-se para Paris por um valor astronómico, onde continua a fazer estragos e onde se encaminha para ser bi-campeão.

Já é um valor afirmado no futebol e ainda só tem 18 anos (faz 19 anos no dia 20 de Dezembro), entra para já neste onze, mas no futuro de certeza eu vai entrar no nome dos melhores do mundo!

Cavani (PSG)

Fonte: Daily Mirror

É o mais letal de todos os jogadores da Ligue 1. Melhor marcador do último ano, melhor marcador deste ano e se juntarmos todas as competições ninguém marca mais que ele na Europa. Se Cavani já era um jogador matador e com golo fácil, ainda mais letal se tornou com a chegada de Mbappé e Neymar! O tridente que caminha para fazer história no futebol europeu tem sido destrutivo e Cavani é o homem da “sniper” que finaliza os lances.

É este o nosso onze onde facilmente podíamos incluir vários jogadores como Lemar, Thauvin ou Anthony Lopes, mas estes jogadores são ultrapassados por estes dois clubes que reúnem as maiores estrelas do futebol gaulês, levantando questões de competitividade neste último ano na liga. Também podiam estar representados Neymar Jr, Dani Alves, Tolisso, Lacazette ou até Mendy, mas estes atletas apenas representaram clubes franceses em metade do ano, ficando assim de fora do onze.


2 comments

  • Luis Mendes

    Dezembro 18, 2017 at 9:07 pm

    Mesmo autor do da Liga Italiana e volta a fazer a mesma borrada. Vocês criam estes artigos com base em que? Nas estatísticas do zerozero ou pelos jogos que as equipas fazem na Liga dos Campeões? E o super Nice da época passada, que inclusive está atualmente em 6º lugar e com o seu futebol a melhorar. Até o próprio Nantes. Se me for argumentar que individualmente não são superiores a estes, então o 11 seria exclusivamente do PSG.

    Não tenham mais critério nestes artigos, daqui a uns tempos quem joga FM publica todos os dias.

    Reply

    • José Nuno Queirós

      Dezembro 18, 2017 at 10:08 pm

      Os criterios usados sao os jogos da liga francesa, as estatísticas e a influência no jogo da equipa e de que modo determinado jogador faz da sua equipa uma equipa muito Melhor.

      Como dá para perceber neste tipo de onzes avaliamos a capacidade individual e a sua influência no jogo da equipa, como escolhemos um jogador por posição é óbvio que não há espaço para grandes jogadores como os referenciados no artigo (porque achamos que os que escolhemos são melhores do que os restantes), seria mais fácil para nós retirar jogadores como os guarda redes onde nenhum foi soberbo e colocar mais jogadores de campo, Seri por exemplo. Outro aspeto a considerar e o rendimento no ano todo e não apenas nesta época… A ideia não é estarmos a criticar as escolhas mas sim apresentar soluções concretas e justificadas (colocava o jogador x no lugar do jogador y pela razão tal).

      Posto isto quem acha que está a mais e quem acha que poderia ocupar essa posição?

      Reply

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter