19 Fev, 2018

A Febre dos 3 centrais

João NegreiraAgosto 28, 201710min0

A Febre dos 3 centrais

João NegreiraAgosto 28, 201710min0

Nova temporada, alguns treinadores novos com ideias novas, alguns treinadores na sua 2ª época a tentar mudar e vingar e alguns já com alguma experiência no clube a tentar mudar o rumo do que aconteceu no passado. Falamos dos sistemas que alguns treinadores adotaram nesta nova época. Mas o que têm eles em comum? 3 centrais. O Fair Play apresenta-lhe as equipas da Premier League que passaram a jogar com 3 centrais.

Arsenal

Os gunners são a única equipa, daquelas que vamos falar, que começou a utilizar um sistema com 3 centrais já na temporada passada. Após a derrota fora de portas com o Crystal Palace no início de abril por 3-0, Arsène Wenger decide mudar o sistema. Na jornada seguinte, 7 dias depois, o Arsenal já vinha com uma “pele nova”, acabando por ganhar o jogo ao Middlesbrough no Riverside Stadium. Num total de 8 jogos até ao final da temporada (jogou dois jogos que estavam em atraso), o Arsenal conseguiu alcançar 7 vitórias, sendo que a única derrota foi frente ao Tottenham.

Apesar da má classificação, os londrinos fizeram um bom final de temporada com este sistema. Assim, com a continuidade do francês no comando da equipa, o Arsenal voltou a utilizar o sistema na pré-época, na Supertaça Inglesa e já nos primeiros 3 jogos do campeonato. Com a vitória na Supertaça, a motivação era alta para o início do campeonato, tendo até começado com uma vitória suada sobre o Leicester, garantida com dois golos a darem a volta ao marcador, já nos minutos finais. No entanto, o Arsenal já tem 2 derrotas em 3 jogos (Stoke e Liverpool) ficando, por agora, num modesto 16º lugar.

A jogar num 3-4-3, com 2 homens muito móveis atrás do ponta de lança, o Arsenal tem obrigação de fazer muito mais, tendo em conta o seu plantel, que tem Sanchéz, Ozil e Lacazette. Será Wenger o problema? A verdade é que já são 21 anos e apenas 1 campeonato e já a começar tão mal, será desta que o francês sai dos gunners?

O Arsenal ainda ganhou a Supertaça esta época, mas já começa a escorregar. (Foto: RTP)

Crystal Palace

Não são só as equipas ditas “grandes” que utilizam este sistema. Algumas equipas como é o caso dos Eagles também mudaram de sistema. Com poucas mexidas no plantel, esperava-se que o Crystal Palace se afastasse da manutenção, o mais cedo possível, mas isso parece não estar a acontecer, sendo uma das equipas com 3 derrotas em 3 jogos. O 1º jogo foi em casa contra o recém-promovido Huddersfield, em que sofreram uma derrota por 3-0. Seguiram-se jogos com o Liverpool e Swansea, e 2 derrotas vieram com eles. Sem ainda terem marcado golos, parece haver algum problema na equipa de Frank De Boer.

Também a jogar num 3-4-3, o ataque do Crystal Palace parece estar, no mínimo, enferrujado e a defesa não parece coesa o suficiente para aguentar o poderio atacante dos adversários. Será preciso tempo para os jogadores assimilarem as ideias do novo treinador para a nova tática? Mas quanto mais tempo terá o Palace? O tempo, e principalmente, o campeonato estão a contar e não esperam!

Everton

O Everton comprou muito e bem. Gastou 167 milhões de euros em 5 jogadores e não parecem estar para brincadeiras. Com o apuramento para as provas europeias, os toffees precisavam de mais qualidade no plantel e de mais profundidade. No entanto, saiu a estrela de maior nome do plantel, Romelu Lukaku. Ainda assim, parecem estar a aguentar-se, tendo em conta o seu calendário. Começaram com uma vitória caseira frente ao Stoke, mas nos 2 jogos a seguir, contra City e Chelsea, conseguiram apenas um empate e uma derrota; para ficarmos com a certeza que o Everton está à altura do desafio, seguem-se Tottenham e Manchester United. Os toffees tiveram que jogar as pré-eliminatórias da Liga Europa frente ao Hadjuk Split da Croácia, sendo que nesses jogos, o sistema com 3 centrais não foi utilizado.

O sistema de 3 centrais que o Everton usa é, também, o 3-4-3, (usou o 3-5-2 apenas no jogo contra o Manchester City; Gylfi Sigurdsson ainda não tinha chegado) sendo que os 3 homens da frente têm muita mobilidade, havendo várias trocas entre eles; destaque para o reforço Michael Keane que pode dar muita segurança na defesa. Apesar do calendário difícil que tem, o futuro parece estar do lado do Everton, tendo tudo para conseguir fazer a época que quer.

Manchester City

Pep Guardiola vai entrar para a sua 2ª época, tendo agora implementado um novo sistema. Com 246 milhões de euros gastos, espera-se que esta seja a época do treinador espanhol em Inglaterra. Mais uma vez, o City entra bem no campeonato, com uma vitória, sendo que nos dois jogos seguintes, assegurou um empate e uma vitória frente a Everton e Bournemouth, respetivamente. Com uma enorme qualidade no plantel, espera-se que os cityzens, alcancem grandes feitos esta época, também na Europa.

Guardiola parece ter posto o City a jogar como nos habituou. Num 3-5-2, a equipa da cidade de Manchester parece já poder jogar de olhos fechados e como o seu treinador quer (sempre com algumas falhas como é óbvio); com “tabelinhas” simples e imensa mobilidade e dinâmica ofensiva; com a pressão alta e organizada (um dos médios centrais ajuda a pressionar); com as bolas paradas muito bem treinadas também; e o que faz muitas vezes a diferença: jogam muito perto uns dos outros, que com um guarda redes como Ederson, é muito seguro jogar com as linhas muito subidas.

Na pré-época, Guardiola começou por testar o novo sistema com 3 centrais. (Foto: 90Min)

Stoke City

Em Stoke-on-Trent, o sistema também mudou. Saíram alguns jogadores importantes, mas também entraram outros que podem fazer a diferença. Jesé, Tymon e Zouma chegaram para substituir Arnautovic, Bardsley e Muniesa, respetivamente e as esperanças não são assim tão baixas. No entanto, o Stoke, já parece ser inconstante, sendo que começou com uma derrota forasteira contra ao Everton; seguiu-se uma vitória surpreendente frente ao Arsenal; e na 3ª jornada acabou por empatar com o WBA.

À semelhança das primeiras equipas que vimos, os potters jogam em 3-4-3, também com os 3 homens muito móveis no ataque. De destacar Jesé, que no seu primeiro jogo, deu a vitória à sua equipa e pode ser uma grande mais valia durante a época. Sempre com plantéis a poder sonhar com a Europa, o Stoke acaba quase sempre por ficar apenas na primeira metade da tabela; será devido à instabilidade, que até já foi mostrada nestas 3 primeiras jornadas? É esperar para ver se o Stoke se aguenta neste sistema.

Swansea City

Como já foi dito, não são só as equipas a aspirar à Europa e ao título que utilizam o sistema de 3 centrais, também as mais pequenas procuram este sistema, a fim de tentarem algo diferente na presente época. Ao começar com um resultado menos positivo frente ao Southampton, a equipa do País de Gales quis logo mudar o sistema, sendo que no primeiro teste contra o poderoso Manchester United, foram goleados por 4-0. Não obstante, no jogo seguinte alcançaram a sua primeira vitória no campeonato frente ao Crystal Palace. De mencionar que Sigurðsson saiu para o Everton, mas espera-se que jogadores que foram contratados para o meio-campo como Sam Clucas e Roque Mesa (que não são, de todo, jogadores iguais ao islandês) o façam esquecer.

A jogar num 3-5-2, o Swansea vai sempre lutar pela manutenção, sendo que quer o mais cedo possível, afastar-se da zona de despromoção. Apesar de ainda estar lesionado, os swans contam com Llorente para lhes dar muitas alegrias.

Tottenham

Apesar de ter contratado pouco e nenhuma das contratações ter sido sonante, há que colocar os spurs na órbita do título. Com Pochettino a formar uma equipa desde há vários anos, o Tottenham parece ser uma equipa coesa e solidária. Apesar da equipa já estar habituada a jogar entre si e com a sua própria tática, o argentino decidiu aderir, também, ao sistema de 3 centrais apesar de ainda parecer indeciso. Ao contrário de algumas equipas aqui referidas, os londrinos obtiveram uma vitória no seu primeiro jogo do campeonato. Não obstante, perderam o segundo contra o Chelsea e empataram o terceiro contra o Burnley. Apesar das qualidades já referidas, os spurs podem ver-se ser ultrapassados pelos rivais, tendo em conta que não compraram quase ninguém.

Só utilizaram o sistema com 3 centrais frente ao Chelsea, mas esse, foi o jogo em que perderam e por isso, é questionável se Pochettino vai continuar, ou não, a usar o sistema. Com grandes estrelas na equipa como Kane, Alli e Eriksen, o Tottenham pode ser perigoso na época que agora começou.

Van Gaal bem que tentou, mas…

Estava a caminho a época 2014/2015, aquando da chegada de Louis van Gaal ao Manchester United. O holandês veio substituir Moyes que não conseguiu corresponder às expectativas. E é então na primeira jornada que nos surpreende com um sistema de 3 centrais, jogando num 3-4-3. As coisas não correram muito bem para van Gaal que nas primeiras 3 jornadas teve 1 derrota e 2 empates. Na jornada seguinte, muda o sistema e goleia por 4-0 o QPR. Durante a época voltou ao sistema com 3 defesas, mas nunca se saiu muito bem, acabando a sua primeira época em 4º lugar. Acaba por ficar apenas mais uma época no clube, não voltando a utilizar o sistema e sem ter ganho nada de importante.

Van Gaal caiu ao utilizar o sistema de 3 centrais. (Foto: Globoesporte)

… foi Conte quem descobriu a fórmula secreta

Como sabemos o sistema com 3 centrais é maioritariamente utilizado pelas equipas italianas; a própria seleção usa o sistema. Desde as camadas jovens que os jogadores são ensinados a jogar nesses sistemas, numa maneira própria de jogar. Na época passada, chega ao Chelsea, um treinador italiano, acabado de vir da seleção transalpina e surpreende tudo e todos por começar a jogar com um sistema de 3 centrais e muitos até chegaram a pensar que poderia ser um “flop” como van Gaal. Mas Antonio Conte faz um trabalho fantástico e acaba por ganhar o campeonato com 7 pontos de diferença para o segundo classificado, o Tottenham. Na temporada 2016/2017, o italiano contou com jogadores como Kanté, Diego Costa e Hazard, que permitiram que o grande feito acontecesse. Este Chelsea joga em 3-4-3, sendo que Kanté, é imperial no roubo de bola e Hazard e Willian são autênticas setas apontadas à defesa adversária.

Posto isto, será que Conte descobriu a fórmula secreta e agora muitos querem copiá-la? Alguns deles estão a tentar…

Conte foi bem sucedido ao utilizar o sistema de 3 centrais. (Foto: Globoesporte)

 

Não obstante, nenhumas destas equipas que usa o sistema de 3 centrais está a deixar por terra os seus adversários, sendo que, com 3 jornadas jogadas, quem vai na frente isolado, é o Manchester United de José Mourinho.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter