22 Fev, 2018

FC Porto: 3 Jogadores Para o Dragão Sonhar Com o Título

Francisco da SilvaJulho 9, 20176min0

FC Porto: 3 Jogadores Para o Dragão Sonhar Com o Título

Francisco da SilvaJulho 9, 20176min0

O ténue equilíbrio que se vive no Dragão entre as finanças do clube e os resultados desportivos, colocam um enorme desafio a Luís Gonçalves e Sérgio Conceição na definição de um plantel azul e branco suficientemente competitivo para fazer sonhar os portistas. O Fair Play dá o seu contributo e faz 3 recomendações cirúrgicas perfeitamente de acordo com os padrões de qualidade exigidos e com a realidade financeira do emblema portista.

Defesa Central – Duje Caleta-Car (Red Bull Salzburg)

A principal certeza que existe nesta zona do terreno é que a dupla Marcano-Felipe continuará a ser um dos pilares defensivos do FC Porto. No entanto, apesar de bem entregue a titularidade, existe uma necessidade premente de adicionar pelo menos uma alternativa válida à aliança hispano-brasileira que mantenha os níveis exibicionais elevados. Apesar de contratualmente ligados ao clube, dificilmente Reyes e Martins Indi farão parte do atual plantel portista. Tanto o mexicano como o holandês seriam mais do que suficientes para preencher o quarteto de centrais, porém, os dois jogadores têm mercado e parecem pouco focados no FC Porto, como tal, surgindo uma proposta minimamente interessante devem sair. Neste sentido, a sugestão do Fair Play seria que o FC Porto contratasse Duje Caleta–Car.

Duje Caleta-Car é um central croata formado no modesto HNK Sibenik e que nos últimos 4 anos concluiu o seu processo de formação na Áustria, tendo sido contratado pelo Red Bull Salzburg em 2015. Apesar da sua última temporada em Salzburgo ter sido discreta, Caleta-Car tem demonstrado ter potencial para atingir novos patamares futebolísticos, nomeadamente, por reunir um conjunto de características fundamentais. O croata de 188 centímetros é um defesa central com uma mentalidade extremamente competitiva (e tipicamente dos Balcãs), que alia o seu enorme poderio físico a uma boa capacidade de antecipação, leitura de jogo e passe longo. Por outro lado, Caleta-Car é um defesa que desequilibra com a sua envergadura nas bolas paradas defensivas e ofensivas, tornando-se uma ameaça constante sempre que sobe à área contrária ou uma segurança adicional sempre que defende a sua grande área. No Dragão, o internacional croata teria espaço e tempo para amadurecer as suas qualidades mentais e táticas, corrigindo alguns defeitos como a excessiva agressividade e irregularidade numa escola de centrais que conseguiu “domesticar” e projetar nomes como Bruno Alves ou Pepe. Por último, Caleta-Car está avaliado em 2,5 milhões de euros*, nesse sentido, o esforço exigido aos cofres portistas estaria de acordo com a frugalidade da tesouraria do clube.

Médio Centro – Jordan Veretout (Aston Villa)

A casa das máquinas azul e branca tem sido um dos principais responsáveis pelo fiasco desportivo das últimas temporadas. A nível defensivo, o meio campo portista tem em Danilo Pereira um “polvo” de elevado quilate capaz de dar equilíbrio às transições do FC Porto. O principal problema reside na incapacidade que elementos como André André, Óliver Torres e Héctor Herrera têm em organizar o jogo ofensivo portista e em aparecer com qualidade nas zonas de finalização. Na época transata, este trio de jogadores contribuiu totalmente com apenas 6 golos e 10 assistências na Liga NOS, ou seja, o equivalente ao produzido por um único jogador do SL Benfica, Pizzi (10 golos e 9 assistências). Assim, para comandante do meio campo portista, a sugestão do Fair Play seria que o FC Porto contratasse Jordan Veretout.

Jordan Veretout é um centrocampista de 24 anos formado nas escolas canaris do Nantes que em 2015 deu o salto para a Premier Leaguer, mas sem grande sucesso, nomeadamente, devido à enorme instabilidade institucional e técnica do clube que o recebeu, o Aston Villa. Na temporada transata, regressou em grande à Ligue 1 para confirmar novamente toda a sua qualidade. O box-to-box francês é um jogador de altíssima rotação, capaz de “comer” metros de terreno durante o jogo todo com a mesma lucidez e discernimento, ora em missões defensivas ora em tarefas mais criativas no ataque. Veretout é um médio bastante completo também no aspeto técnico-tático: a nível defensivo, sabe posicionar-se e compensar muito bem a equipa nos momentos de transição, já a nível ofensivo, é um exímio executante de lances de bola parada e um bom playmaker que sabe assistir os seus colegas e aparecer em zonas de finalização. Na equipa de Sérgio Conceição, o médio francês entraria diretamente para a formação titular no lugar de André André ou Óliver Torres, dependendo se o técnico português procurasse maior criatividade ofensiva ou maior consistência intermédia, respetivamente. Quanto a valores, atualmente o Aston Villa pede entre 8-9 milhões de euros por Veretout, ou seja, um valor comportável para o orçamento do FC Porto e desportivamente justificável.

Ponta de lança – Léo Bonatini (Al Hilal)

O “9” do FC Porto não merece contestação. Francisco Soares parte justificadamente como artilheiro-mor e indiscutível no onze portista. Contudo, as saídas de André Silva e de Laurent Depoitre abrem pelo menos uma vaga no ataque portista. Ora, Rui Pedro seria uma solução natural para funcionar como alternativa a Tiquinho, no entanto, o processo de crescimento e maturação do jovem avançado português ainda mal começou e não deve ser descurado, pelo que urge-se a contratação de um elemento desequilibrador, com margem de progressão e acessível aos cofres portistas. Nesse sentido, a sugestão do Fair Play seria que o FC Porto contratasse Léo Bonatini.

Léo Bonatini é um avançado que dispensa grandes apresentações aos adeptos portugueses. Formado no Cruzeiro de Belo Horizonte e com uma fugaz passagem pela formação da Juventus, Bonatini chegou a Portugal pelas mãos do Estoril Praia em 2015 e, logo na segunda temporada com a camisola dos “canarinhos”, viria a sagrar-se o 4º melhor marcador da Liga NOS (apenas atrás de Jonas, Slimani e Mitroglou) com 17 tentos apontados. Atualmente, o brasileiro de 23 anos que representa o emblema saudita do Al Hilal, é um dos avançados mais indicados para ingressar no Dragão. Avaliado em cerca de 3,2 milhões de euros*, Bonatini podia oferecer maior profundidade ao plantel do FC Porto, maior mobilidade ao ataque portista, bem como, podia ainda aumentar o raio de ação do arsenal azul e branco com o seu potente remate capaz de fazer estragos fora do limite da grande área. Habituado à realidade competitiva portuguesa e com uma boa margem de progressão, Bonatini encaixaria que nem uma luva no conjunto de Sérgio Conceição, quer sozinho no ataque quer em parceria com Tiquinho Soares, a um preço apetecível e pouco inflacionado.

*valores mencionados de acordo com a plataforma Transfermarkt.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter