20 Ago, 2017

Jorge Sampaoli chega à Europa

Fair PlaySetembro 2, 20166min0

Jorge Sampaoli chega à Europa

Fair PlaySetembro 2, 20166min0

Jorge Sampaoli é um dos treinadores que gera mais expectativa e entusiasmo para esta época. O treinador argentino de 56 anos chegou esta época ao futebol europeu e tem logo entrada directa numa das principais ligas europeias, a Liga Espanhola. O ex-seleccionador chileno chega ao Sevilla e tem o desafio de fazer esquecer Unai Emery, que conquistou três Ligas Europa nas últimas três épocas ao serviço do Sevilla.

O argentino de 56 anos começou a sua carreira como técnico principal em equipas modestas da Argentina, equipas maioritariamente amadoras e onde as condições não eram as melhores, mas mesmo aí já se via a faceta rigorosa e obsessiva de Sampaoli. As boas prestações em equipas de menor nomeada na Argentina levaram-no a emigrar para o Peru, onde pela primeira vez orientou uma equipa da Primeira Divisão, o Juan Aurich. Seguiram-se o Sport Boys, o Bolognesi e o Sporting Cristal. Após a experiência no Peru, o técnico argentino manteve-se a treinar longe do seu país natal, a Argentina. Seguiu-se o campeonato do Equador e do Chile. E foi no Chile que se deu a conhecer ao Mundo futebolístico, primeiro na Universidad do Chile e depois na selecção chilena. Ao serviço da Universidad do Chile conquistou 4 títulos, entre os quais a Copa Sul-Americana (equivalente à nossa Liga Europa), 2 Liga Apertura e 1 Liga Clausura. O sucesso obtido na “La U” levou-o ao cargo de seleccionador chileno. Teve 4 épocas ao serviço da selecção chilena e conseguiu impressionar no Mundial de 2014, onde apenas foi eliminado pela equipa da casa nas grandes penalidades, e em 2015, no Chile, conseguiram vencer pela 1ª vez a Copa América.

Jorge Sampaoli é admirador de Marcelo Bielsa e de Pep Guardiola, e efectivamente, as suas equipas têm uma forma de jogar que se assemelha muito às equipas de Bielsa e Guardiola. O seu Universidad de Chile até chegou a ser conhecido como o “Barcelona do Chile”, pela forma como jogavam. Equipa de posse, equipa com futebol ofensivo e pressão. O Chile foi igual e as suas ideias de jogo mantiveram-se ao serviço da selecção do Chile. No Mundial 2014 surpreenderam o Mundo com o trio de centrais com uma altura inferior a 1,80m. Medel (1,71m), Jara (1,78m) e Francisco Silva (1,78m). Além disso surpreenderam quando venceram categoricamente a Espanha por 2-0 e fizeram um jogo brilhante. Na Copa América repetiram o trio de centrais abaixo de 1,80m e mais uma vez as exibições foram determinantes para levar a cabo o desejo de vencer a Copa América em casa. O futebol ofensivo do Chile encantou o Mundo e o nome de Sampaoli começou a ser associado aos grandes clubes europeus.

Jorge Sampaoli chegou este verão ao Sevilla e o desafio que tem pela frente não será fácil, a equipa andaluz quer manter-se na elite do futebol espanhol e tem legítimas aspirações a fazer uma Liga dos Campeões a bom nível. Os primeiros jogos oficiais não foram fáceis, até porque teve pela frente o Real Madrid e o Barcelona. Acabaram por perder a Supertaça Europeia e a Supertaça Espanhola, mas mais que os resultados, o que saltou à vista foram as ideias que a equipa já colocou em prática em ambos os jogos. Equipa ambiciosa, aguerrida e ofensiva. Sampaoli quer que a equipa pense primeiro na baliza adversária e só depois na sua baliza. Essa ideia foi talvez levada demasiado à risca na 1ª jornada com o Espanhol de Barcelona, foi a primeira vitória de Sampaoli ao leme do Sevilla, vitória por 6-4! Houve de tudo um pouco neste jogo. Um espectáculo.

8 jogadores no meio-campo do Real Madrid
8 jogadores no meio-campo do Real Madrid

O Sevilla neste defeso de verão apostou sobretudo na contratação de jogadores que vão ao encontro do perfil traçado por Sampaoli. Jogadores de cariz ofensivo e criativos, sobretudo por alinharem como médio-ofensivo, aquilo que usualmente se chama do ‘10’. Chegou Paulo Henrique Ganso, Jorge Correa, Sarabia, Franco Vazquez, Hiroshi Kiyotake e mesmo no fecho do mercado o francês Nasri. A expectativa é grande para ver toda esta gente jogar, pessoalmente quero ver como será a adaptação do Paulo Henrique Ganso ao futebol europeu e ao modelo de jogo frenético do Sampaoli. Mas chegaram mais jogadores com o tal perfil Sampaoli. São eles: Salvatore Sirigu, Gabriel Mercado, Matías Kranevitter, Vietto e Ben Yedder. O Sevilla mexeu-se muito bem neste mercado e conseguiu colmatar com precisão as saídas de Banega e Kevin Gameiro. Nestes reforços vejo o Matías Kranevitter com funções muito similares às que Marcelo Díaz desempenhava na selecção chilena, e a dupla Vietto-Ben Yedder muito similar à dupla Vargas-Alexis, com muita mobilidade no ataque.

Foto: Sky Sports
Foto: Sky Sports

Com Jorge Sampaoli chegou também Juanma Lillo, uma das grandes fontes de inspiração de Pep Guardiola, e um dos treinadores mais procurados para realizar palestras acerca de futebol e do juego de posicion. Sampaoli quer estar rodeado de gente competente e o espanhol Juanma Lillo conhece o futebol espanhol como poucos e as suas ideias acerca do jogo vão ao encontro das de Sampaoli. Será o braço direito do argentino no seu dia-a-dia para preparar o seu Sevilla vencer.

Foto: lagrinta.fr
Foto: lagrinta.fr

Agora é deixar Jorge Sampaoli e o seu staff trabalhar para que sejam bem-sucedidos ao leme do Sevilla. O desafio não será fácil, porque Emery deixou a fasquia alta quando saiu do clube e como já dito anteriormente, ter vencido por três vezes a Liga Europa é um feito notável e histórico. Saíram também jogadores de peso no clube como foi Krychowiak, Banega e Gameiro e não será fácil o público sevilhano os esquecer logo, apesar das boas exibições de Franco Vázquez e Vietto no arranque. Uma coisa é certa, o público do Sevilla (e não só!) vai-se divertir imenso ao ver este novo Sevilla a jogar futebol.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter