21 Nov, 2017

Bundesliga- 3 Reforços para os Grandes

Gonçalo MeloJulho 2, 20174min0

Bundesliga- 3 Reforços para os Grandes

Gonçalo MeloJulho 2, 20174min0

A Bundesliga é um dos campeonatos mais poderosos do futebol europeu, a nível de qualidade futebolística mas também a nível financeiro. Por esta razão, contratar jogadores neste campeonato é tarefa árdua, como o Wolfsburgo fez ver ao Sporting há um ano atrás aquando do elevado investimento em Bas Dost (contratação mais cara da história dos leões).

Ainda assim, deixamos aqui três possíveis reforços para os grandes portugueses, aqueles que têm capacidade financeira para os trazer do campeonato mais equilibrado da europa a seguir ao inglês, (tirando o Bayern, as restantes equipas pautam-se pelo equilíbrio entre si, podendo uma equipa lutar pela Champions numa época, e lutar para não descer na época seguinte, como sucedeu com o Wolfsburgo) algo que torna a Bundesliga fascinante e cativante.

Timo Horn

Posição: Guarda-Redes
Idade: 24 anos
Nacionalidade: Alemã
Clube: Colónia

Numa altura em que o sucessor de Ederson no Benfica parece não estar ainda encontrado (parece ser André Moreira mas ainda não foi oficializado) e com as permanências de Casillas e Rui Patrício a serem motivos de desconforto para os grandes portugueses devido às notícias bastante recorrentes sobre as suas possíveis saídas, dificilmente qualquer um dos clubes portugueses ficaria melhor servido. Timo Horn, que fez toda a sua ainda curta carreira no Colónia, e que é internacional sub 21 pela Alemanha, faz valer os seus 192 cm entre os postes, sendo uma barreira quase intransponível devido aos seus apuradíssimos reflexos e à sua impressionante agilidade para um guarda-redes com a sua estatura.

Aos reflexos apurados junta ainda uma rapidez notável a sair da baliza, bem como um à vontade grande com a bola nos pés (tem um belo pé esquerdo, que coloca a bola onde quer, à semelhança de toda a nova geração de guarda redes alemães) e muita confiança nas bolas pelo ar, bolas que raramente não agarra com segurança. Contudo, contratar um dos melhores e mais jovens guarda-redes da Bundesliga  implicaria sempre um investimento avultado, nunca inferior a 10 milhões de euros, quantia elevada até para os grandes portugueses. Até porque Horn tem na próxima época, o aliciante de se estrear nas competições europeias, devido ao 5º lugar do Colónia.

Marc-Oliver Kempf

Posição: Defesa Central
Idade: 22 anos
Nacionalidade: Alemã
Clube: Friburgo

Recentemente campeão europeu de sub 21 pela Alemanha Marc-Oliver Kempf foi uma das grandes afirmações da ultima edição da Bundesliga, o que lhe valeu a chamada para o europeu. Dotado de um excelente pé esquerdo, duma boa capacidade de passe, construção e progressão com bola, o jovem do Friburgo foi um dos principais obreiros da boa época dos homens do sudoeste da Alemanha, que terminaram num fantástico 7º lugar.

À elegância e capacidade na saída de bola, Kempf alia uma leitura de jogo e cultura tática elevada para um jovem da sua idade. O timing de entrada à bola e capacidade de desarme fazem dele um jogador pouco faltoso, característica sempre interessante e rara num defesa central. O jovem podia ser um excelente substituto para Victor Lindelof, ou o parceiro ideal para Coates, não sendo de estranhar se o promissor defesa estiver nas cogitações dos grandes lisboetas, uma vez que a sua transferência se poderia realizar por valores comportáveis para os cofres de Benfica e Sporting.

Filip Kostic

Posição: Extremo Esquerdo
Idade: 24 anos
Nacionalidade: Sérvia
Clube: Hamburgo

Numa altura em que diariamente se fala no interesse do Sporting em Gonzalo Martinez e Marcos Acuña, o antigo jogador do Estugarda, atualmente no Hamburgo, é igualmente uma boa opção para o lado esquerdo do ataque leonino. Outrora associado aos verdes e brancos, quando ainda representava o Groningen, o sérvio era neste momento um reforço bomba em Portugal, tanto para Sporting como para FC Porto, que irá certamente precisar de um extremo caso se confirme a saída de Yacine Brahimi, que tem sido associado a clubes ingleses e franceses.

Filip Kostic foi muitas vezes uma espécie de oásis no deserto de ideias que foi a equipa do Hamburgo, provocando estragos com a sua técnica, velocidade e explosão. Uma autêntica locomotiva pelo lado esquerdo, capaz de tirar excelentes cruzamentos ou de procurar zonas mais interiores para finalizar com o seu potente pé esquerdo. O sérvio iria ver certamente uma transferência para Portugal com bons olhos, que lhe permitiria disputar as competições europeias, o que em época que antecede o campeonato do mundo poderia ser vital para garantir a presença de Kostic nos eleitos sérvios, onde tem forte concorrência de elementos como Zoran Tosic, Dusan Tadic, Lazar Markovic e Andrija Zivkovic.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter