17 Ago, 2017

500 (e um) dias de Luisão

Pedro AfonsoFevereiro 21, 20176min0

500 (e um) dias de Luisão

Pedro AfonsoFevereiro 21, 20176min0

Numa altura em que os Milhões se apoderam do futebol, os românticos do futebol apregoam que “fazem falta jogadores com amor à camisola”, jogadores que cresçam e sirvam apenas um clube, à imagem de Maldini, Totti, Gerrard, Iniesta, entre outras lendas do futebol. O Capitão Luisão, não sendo formado no SL Benfica, já dedicou 13 anos à causa encarnada. Foram 500 jogos na passada Terça-feira, 501 com a vitória sobre o Braga. Uma análise ao percurso do “Girafa”.

Era o verão de 2003 e o treinador José António Camacho. Noticiava-se a chegada de um reforço para as hostes encarnadas, de seu nome Ânderson Luís da Silva, mais conhecido por Luisão. Desconhecido para a grande maioria dos benfiquistas, o central brasileiro chega a troco de 1 milhão de euros, pronto para disputar o lugar no centro da defesa benfiquista. A primeira época é difícil, levando o jovem brasileiro a considerar abandonar o clube, devido a lesões, exibições menos conseguidas, exigência da massa adepta que ambicionava lutar com o FC Porto de Mourinho. Argel, que se tornou o “pai” de Luisão, relembra essa fase como crítica para o futuro de Luisão, tendo sido importante a intervenção dos colegas de equipa para apoiar o jovem brasileiro. Não obstante, na sua primeira temporada ao serviço do Benfica apresentou bons números: 22 jogos e 4 golos marcados (o primeiro na sua estreia, com uma destreza técnica pouco vista nos anos vindouros).

Desde há 13 anos para cá, que Luisão é o Patrão da defesa encarnada, um esteio de todos os treinadores que por lá passam, um elo de ligação à massa adepta, o líder do balneário que qualquer equipa precisa. Após estes 500 (e um) jogos de Luisão com a camisola encarnada, fica uma análise a alguns números e momentos, protagonizados pelo Girafa:

Registos

  • 501 jogos oficiais pelo SL Benfica, apenas atrás de Néné (578), Veloso (534) e Coluna (528). Talvez seja possível atingir Veloso e Coluna, contudo, a marca de Néné parece já demasiado distante para os 36 anos do capitão;
  • 8 treinadores passaram pelo Benfica, desde que Luisão chegou a Lisboa: José António Camacho; Giovanni Trapattoni; Ronald Koeman; Fernando Santos; Quique Flores; Fernando Chalana; Jorge Jesus; Rui Vitória.
  • 45 golos marcados com a camisola do SL Benfica
  • Duplas memoráveis com uma panóplia de jogadores: Argel; Ricardo Rocha; Anderson; David Luiz; Garay; Jardel…

Pontos Altos

  • Sedentos de títulos, os adeptos benfiquistas mataram a sede que os perseguia desde 1994, muito graças a Luisão. Sob o comando de Giovanni Trapattoni, o Benfica chega à penúltima jornada proveniente de uma derrota por 1-0 frente ao Penafiel. O adversário é o Sporting e o título tão perto… Aos 83 minutos, um livre marcado por Petit, um falhanço de Ricardo e o golo de Luisão. O Benfica sagrou-se campeão nessa temporada.

  • Na época de 2005/2006, Ronald Koeman leva o Benfica a uma caminhada Europeia verdadeiramente memorável, restaurando (um pouco) do orgulho Benfiquista na Liga dos Campeões, perdido com tantos anos de seca. Luisão, para além da dupla brilhante que fez com Anderson e manteve a baliza encarnada incólume frente ao Liverpool, campeão em título, nos oitavos-de-final, ainda foi capaz de marcar o golo que deu a vitória em casa aos encarnados.
  • Conhecido pela sua superior capacidade aérea, Luisão nunca se destacou pela sua capacidade técnica. Contudo, isso não impediu o bom gigante de surpreender tudo e todos na noite de 14 de Abril de 2011, no Philips Stadion, frente ao PSV. A perder 2-0 ao intervalo, apesar da vantagem de 3 golos levada de Lisboa, a equipa encarnada tremia. À passagem dos 42 minutos, uma obra-de-arte.

  • Luisão sempre teve como companheiros de defesa jogadores de enorme craveira. Contudo, nenhum se complementou com o brasileiro como Garay. Entre 2011/12 e 2013/14, argentino e brasileiro fizeram, talvez, a melhor dupla de centrais encarnados dos últimos 25 anos. Jorge Jesus assentou a sua defesa numa dupla que garantiu segurança tanto nas competições internas, como nas europeias. Juntos, chegaram a duas finais da Liga Europa, deixando pelo caminho equipas como Juventus e Tottenham.

Pontos Baixos

  • Os constantes rumores de transferências não são novidade para o jogador profissional de futebol. Luisão, fazendo uso da sua enorme qualidade futebolística e peso dentro do balneário, utilizou diversas vezes esse mesmo pretexto para forçar a saída ou receber aumentos de ordenado. Apesar de, como profissional, ter toda a legitimidade de perseguir novos desafios, as exposições na Comunicação Social foram um método de “chantagem” que Luisão usou e abusou, principalmente após a conquista da Superliga em 2004/2005.
  • A 5 de Janeiro de 2008, Luisão, na altura um dos capitães da equipa, envolveu-se numa acesa discussão em pleno relvado com Kostas Katsouranis. José António Camacho, na sua segunda passagem pelo Benfica, foi peremptório em retirar ambos de campo, num jogo que terminou empatado a 1 bola como o Vitória de Setúbal.

  • No Verão de 2012, um momento verdadeiramente insólito: Luisão “agride” o árbitro do jogo de preparação entre Benfica e Dusseldorf. O resultado? Uma suspensão de dois meses para o central benfiquista.

  • Na 2ª jornada da Liga Portuguesa 2013/2014, o Benfica recebia o Gil Vicente. Aos 90 minutos, os minhotos ganhavam por 1-0 e os adeptos encarnados, agastados com o falhanço da época transacta, começavam a assobiar a equipa encarnada. 90+1′ e Markovic empata o jogo; 90+2′ e Lima dá a vitória aos encarnados. Nos festejos, Luisão manda calar os adeptos benfiquistas, com Jorge Jesus e os seus colegas a apressarem-se a reprimir a explosão do “Girafa”.

Passados 13 anos, Luisão continua longe de ser um jogador consensual na Luz. Os 36 anos começam a pesar e os “rins” já não são os mesmos, levando muitos benfiquistas a pedir banco para esta instituição do SL Benfica. A verdade é que o brasileiro continua a segurar a defesa encarnada, a garantir assistências, como frente ao Dortmund, a marcar golos e a fazer cortes providenciais, ganhando a amizade de (quase) todos os guarda-redes que passaram pela Luz. Numa época de mercantilismo, Luisão é uma lufada de ar fresco; Luisão é o Benfica personificado.

Obrigado, capitão!


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter