20 Out, 2017

O que é o Fair Play? – Uma Mensagem de Fim de Ano

Fair PlayDezembro 24, 201613min0

O que é o Fair Play? – Uma Mensagem de Fim de Ano

Fair PlayDezembro 24, 201613min0

Muitas vezes não sabemos o que significa a Palavra, a importância da mesma ou para que serve, perdendo-se nos “pergaminhos” do site. O Fair Play, ao fim de 5 meses de existência, dá-se a conhecer ao público. Quem são os autores, as suas histórias e as suas mensagens

De acordo com o Dicionário Português, Fair Play significa:

Palavra inglesa que significa “procedimento leal”, isto em inglês, sendo um substantivo masculino de dois números

  1. Comportamento leal (ex.: o fair-play não era o seu forte).
  2. Jogo franco e segundo as regras.
  3. Respeito pelas regras e pela lealdade desportiva. = DESPORTIVISMO

A definição é conclusiva e indica claramente para um comportamento justo, correcto e de respeito para com as leis, as regras, prestando um “serviço” ao desportivismo.

Um comportamento, um conceito e uma atitude que devia imperar em todas as modalidades, em todos os jogos, em todos os desafios e todas as discussões. No nosso caso, hoje partilhamos com vocês algumas histórias do nosso Fair Play para ficarem a conhecer melhor os autores e colaboradores deste website.

De vários pontos do país, com escritores portugueses e brasileiros, o Fair Play partiu de uma vontade mútua de 20 membros que decidiram juntar conhecimentos, ideias e “sonhos” para construir algo que permitisse dar espaço aos mesmos de escrever e produzir artigos e textos que despertassem o interesse não só a ler, mas a discutir e até participar nas nossas reflexões ou apontamentos.

Posto o que é o Fair Play, qual é o nosso objectivo, passamos agora ao quem somos. Esta apresentação será em formato de história com uma narração de alguns episódios da vida de alguns dos nossos autores, num estilo de narração mais “livre” e com outra vida.

O Fair Play, desporto com opinião (Foto: Fairplay)

Quem são os autores do Fair Play?

Para quem gosta de conversas e diálogos de debate sobre o Brasil e o Brasileirão, não há dúvida que ficam bem acompanhados com o samba do Victor Abussafi. O autor, oriundo de uma das cidades mais animadas da América do Sul, São Paulo, tem uma larga experiência relacionada com desporto.

Agora a viver em Lisboa, Victor guarda memórias dos tempos em que trabalhava com a “assessoria” do São Paulo FC, seu clube de coração, onde nos contou histórias do tempo do Raí (avançado que fez parte da equipa que conquistou o Mundial em 1994), dos Mundiais conquistados pelo Tricolor Paulista (lembrando que o Palmeiras não tem Mundial!) e do actual momento da equipa onde milita Maicon, que nas palavras do próprio Victor “tornou-se um símbolo para a torcida e tem feito grandes exibições”.

É entre um dedilhar e um sambar  que o Brasil vai ganhando fãs entre o Fair Play, seja pelos textos brilhantes sobre os Grabieies (goo.gl/cWcvIn) ou do novo Brasil de Tite (goo.gl/S5fzVG), onde polvilha aquela alegria tão própria dos paulistas.

Ainda na onda do samba, temos outro Veracruzense, o nosso redactor sobre surf e desportos radicais, Luiz Eduardo. Com um estilo próprio e mais “fora da caixa”, Luiz Eduardo é um santista de coração, que tem vindo a conquistar o seu espaço em Portugal. O surf é uma paixão antiga e as recentes mudanças que a modalidade atravessa já o levaram a publicar um artigo sobre os Jogos Olímpicos de 2020 (goo.gl/I4BiAI), que merece particular atenção de todos aqueles que gostam da maior prova do Desporto mundial.

Deixando a onda de Eduardo, para quem gosta de campeonatos diferentes temos o Diogo Alves que está ao serviço da Argentina (goo.gl/NgLlXT ); Tomás da Cunha, o treinador do ISCTE e jornalista que se dedica a acompanhar a Croácia e a batalha do Rijeka para quebrar a hegemonia do Zagreb (goo.gl/nuCP83); Francisco da Silva o nosso residente da polska e do Ekstraklasa, principal divisão da Polónia (goo.gl/iYmGe6); o soccer devidamente “espremido” pelo adepto incondicional do Oriental, António Pereira Ribeiro; entre outras ligas “exóticas”.

Existe uma que merece ser assinalada pela grandiosidade do trabalho realizado por Ricardo Lestre, a Chinese Super League (CSL). O autor que cunhou a sua secção como New Dynasty, em alusão às dinastias da China de Outros Tempos, tem vindo a fazer um trabalho soberbo a favor de uma liga mal compreendida e mal aceite pelo público em geral. Lestre começou o seu trilho pela Muralha da CSL em outros blogs, demonstrando uma vontade tal que já está a especializar-se em mandarim (recomendamos esta leitura: goo.gl/4q73l1

Nesse sentido não percam pitada do que o nosso Romário Ivo vos pode ensinar das ligas secundárias asiáticas. Um adorador das antigas artes dos mistérios da Ásia, o autor do Passe Pra Gol traz-vos todo um submundo de histórias e episódios devidamente narrados na voz dos seus protagonistas (fiquem com a entrevista com Borja Montero: goo.gl/AUUYhK).

Se procuram as ligas mais reputadas da Europa, que tal falar-vos dos managers das mesmas? Pedro Nunes é o Bonaparte português já que após dominar o perfume e champagne da Ligue 1, conquistou as terras da Bundesliga, onde o peso da indústria do futebol e o crispar de novas potências fazem-se sentir (investiguem o que o autor pensa do Leipzig: goo.gl/ivJKhs); em terras de Sua Majestade, pontapeia a bola Nélson Silva, um autor que está por dentro do jogo, adepto do excêntrico Kloppismo (sobre o tema ver: goo.gl/MOR721) que se faz sentir em Liverpool; para La Liga, casa dos extraterrestres Lionel Messi e Cristiano Ronaldo, está Bruno Dias um autêntico aficionado pelos detalhes sórdidos das estratégias e tácticas que se desenrolam no campeonato espanhol (recomendamos a leitura da história actual da Real Sociedad: goo.gl/vnFF5E).

Porém, é mais para norte que destacamos uma das crónicas mais incríveis de seguir no Fair Play: a Eredivisie. O campeonato holandês é a “mansão” dos antigos gigantes Ajax, PSV ou Feyenoord que vivem entre o olhar analítico e caprichoso de Filipe Coelho. Um entusiasta do futebol bonito, da compreensão da linguagem da redonda, o autor do Fair Play é um engenheiro em criar uma “tapeçaria” de emoções na redacção da Eredivisie (um dos textos do ano do FP: goo.gl/qd6j9I).

O Fair Play em Coimbra (Foto: Fairplay)

Se querem saborear o nosso cantinho português, então são convidados a ler as nossas diferentes “casas”: a típica, mas não menos interessante Liga NOS a cargo de Marcelo Brito e Francisco Cabrita, o primeiro é um jornalista cada vez mais apaixonado pelo mundo do jornalismo desportivo e o segundo um autêntico Pastel de Belém que esgrima pela igualdade entre todos; os Leões de Alvalade com um rugido de José Duarte e Rubén Cardoso, dois cavalheiros de classe dos verde-branco; a raça diabólica das Águias da Luz, onde Pedro Afonso se lança num voo de críticas e análises de construção sobre o Universo do SL Benfica; ou o Misticismo do Dragão tão bem vociferado por Diogo Alves que entre as garras dos azuis-e-brancos trilha por novos caminhos;

O Fair Play entre todas as modalidades!

Mas deixemos a redonda e passemos à oval, isto é, ao rugby. Modalidade que é jogada por cavalheiros, apesar de ser um jogo de selvagens pelo seu conteúdo físico, de sacrifico intenso e de risco total, é destilada por Francisco Isaac e João Duarte. Rugbistas de coração, os “compositores” do rugby têm lutado por cada metro, que neste caso representa cada visualização, cada análise e cada observação por entre os campos enlameados (aconselhamos as análises de jogo: goo.gl/h8YGc8).

Claro que o formato da bola oval pode não vos convencer e nesse caso vos apresentamos aos diferentes Universos do Fair Play: por entre piruetas, cotoveladas “amistosas”, raça pura e voos espectaculares temos os ritmados diálogos do Andebol pela “voz” de Tomé Brito. O membro mais jovem do Fair Play já é um viajante, tendo experimentado as ligas secundárias da bela Dinamarca, percebendo a forma como se vive e respira na modalidade.

E que dizer daquele jogo que todos pensamos ter jeito em jogar? Não, não falamos de futebol, mas sim de Snooker. O estalar das bolas de bilhar, o raspar do giz no taco e o olhar profundo alongado nos mantos verdes são devidamente “escutados e discutidos” por Xavier Oliveira. O eterno carinho que sente para com esta arte prova que há muito mais do que um simples jogo de um contra um. É a emoção, a “agressividade” controlada e a estratégia de fazer jus ao perfeito desafio de Xadrez.

Há ainda toda uma panóplia de “campos” de jogo: o Basket, mais em concreto a Liga Milionária da NBA, balanceada entre as mãos de João Portugal, um eterno filho do Kobe Bryantismo. Portugal é um conimbricense de gema, um apaixonado pelo rugby, um adorador confesso da magia de Messi ou da classe lendária de Roger Federer. Todavia, é entre os cestos que devem seguir o autor do Fair Play, com os artigos educacionais (um exemplo desses artigos: goo.gl/tjz3xL) para compreendermos melhor os ritmos e dinâmicas da NBA.

Se formos na lógica de Roger Federer, então devem seguir o nosso correspondente internacional do Ténis, André Dias Pereira. Um aristocrata na forma de desenhar as letras, o autor da secção tem provado uma classe e charme nas opiniões e resumos dos diferentes eventos internacionais da modalidade.

Gostam de sol, calor e praia? Então o futebol de praia de André Calado Coroado é um dos pontos de foco do nosso site. O treinador do Nacional da Madeira (subiu à Elite em 2016), já foi uma das vozes da modalidade na Eurosport, sendo agora o homem que nos explica os feitiços e a física quântica que acontecem nos areais portugueses e internacionais.

Um pouco de futebol dentro da quadra é sempre bom de juntar ao nosso cardápio, área onde Gonçalo Santos tenta demonstrar que a pressão, o impacto e a velocidade do futsal devem ser entendidos como um verdadeiro poema desportivo (o 1º artigo do futsal no Fair Play: goo.gl/n8fMmt).

E que tal optarmos por não ter qualquer bola ou objecto como o factor decisivo do jogo? Nesse caso temos a Natação, uma das modalidades Rainhas do Fair Play. João Bastos ajuda-vos a “mergulhar nas águas profundas” da natação nacional e internacional, provando que vai para além de umas quantas braçadas. As ideias, os pensamentos ou o planeamento são postos em prática em meros segundos naquilo que é uma batalha contra nós próprios. João Bastos fez a “carreira”, desde nadador, passando por treinador findando como presidente, o que prova que há uma ligação eterna entre nós e as águas profundas (goo.gl/FL3HxX).

Mas se gostam de estar sob rodas então não percam a velocidade infernal e frenética da Fórmula 1, liderada pelo nosso piloto Luís Pereira. O som dos pneus a roçar o desditoso alcatrão, o apertar das mãos em redor do volante e o foco na linha de meta que esvoaça a cada nova volta, são trilhadas da melhor forma pelo nosso autor.

Para aqueles que gostam da malhação dos ginásios, não há melhor que a opinião de Daniel Faria. Um entusiasta do trabalho individual, do suor na caixa e da vontade de crescer, o jornalista madeirense traz-nos as suas ideias e estratégias para melhorar nesse campo (deitem um “olho” neste artigo: goo.gl/vSV5Jb).

A nossa Paixão

É uma paixão eterna a de escrever, a de compor, a de analisar e a de sentir as diferentes modalidades, ligas e jogos que decorrem a cada momento, a cada suspiro e a cada olhar. O Fair Play é o Desporto com Opinião, é onde os nossos leitores são o a nossa primeira preocupação, numa entrega total da nossa parte, na necessidade de entregarmos não a polémica, não a notícia mas a crítica, a análise e o comentário do detalhe ou do pormenor. O Fair Play é aquela voz que ouve a ideia que muitas vezes acaba perdida no meio do sufoco da notícia em primeira mão, num “Universo” em que o Fair Play, conceito, parece muitas vezes esquecido por entre a lista do nosso vocabulário.

Juntem-se a nós no Fair Play! (Foto: Fairplay)


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter