23 Out, 2017

FP Scouting – Aymen Barkok

Gonçalo MeloAbril 30, 20175min0

FP Scouting – Aymen Barkok

Gonçalo MeloAbril 30, 20175min0

O futebol alemão vive dias saudáveis em relação à sua formação, sendo cada vez mais os jovens a conseguirem ser mais valias nas suas equipas desde tenra idade. O Fair Play, juntamente com a Talent Spy, dá-lhe a conhecer um dos mais recentes projetos futuros da escola alemã, o médio ofensivo do Eintracht Frankfurt, Aymen Barkok.

Olhando para o paradigma atual do futebol germânico podemos constatar que a maioria dos clubes tem evoluído e investido fortemente na formação, procurando criar melhores condições para os seus atletas crescerem a todos os níveis e poderem ser mais-valias nas equipas principais. Na atrativa e renovada equipa do Eintracht Frankfurt, orientada pelo antigo capitão da seleção croata Niko Kovac, tem surgido mais um jovem valor do futebol alemão, internacional pelos sub 17 e sub 19 da Mannschaft. Falamos de Aymen Barkok, médio ofensivo de apenas 18 anos.

Tendo começado a jogar aos 15 anos ao serviço dos juvenis do Kickers Offenbach, na época seguinte iria chegar ao Eintracht ainda com idade de juvenil, onde iria ter o seu primeiro impacto com uma maior competitividade e exigência. Jogou duas épocas nos juvenis do clube até completar 16 anos, altura em que chegou à equipa de juniores, onde na época seguinte viria a ser uma das principais figuras da equipa. O protagonismo que foi ganhando valeu-lhe a ascensão à equipa principal do Eintracht esta temporada, onde Barkok já realizou 17 jogos e apontou 2 golos, sendo um dos responsáveis pela boa época da equipa e pela chegada à final da taça onde vão defrontar o Borussia de Dortmund.

Fonte: Soccerway

Barkok é um médio ofensivo que se destaca pela sua estampa física (tem 1,88m), que lhe permite ganhar bastantes duelos com os seus adversários. A esta estatura o jovem médio destaca-se também pela capacidade de drible e de progressão com bola, algo que o faz ter semelhanças com Anderson Talisca, com a exceção de ser destro. A sua velocidade de ponta é também assinalável (não é muito forte no arranque mas após os primeiros 5 metros é um jogador muito rápido) bem como a capacidade no 1×1, algo que lhe permite também jogar a partir de uma ala, onde pode privilegiar movimentos interiores e passes de rotura para os companheiros ou até disferir perigosos remates quando aparece em diagonais da esquerda para o meio.

No entanto, o jovem alemão com dupla nacionalidade (é descendente de marroquinos) denota ainda várias lacunas e debilidades próprias de um jovem da sua idade. Barkok peca bastante ao nível da decisão e do último passe, demorando muitas vezes demasiado tempo a soltar a bola e tomando muitas vezes decisões que não são as mais indicadas (passa quando deve finalizar e tenta finalizar quando deve passar), algo que um jovem de 18 anos irá certamente melhorar.

Do ponto de vista defensivo, Barkok permuta muito entre uma agressividade excessiva em busca dos adversários com um desligar-se do jogo quando a equipa não tem a bola, algo visível quando apareceu nos primeiros jogos mas que Nico Kovac já conseguiu corrigir minimamente, sendo o jovem Barkok um jogador bem mais maduro nesta fase da época.

BOA OPÇÃO PARA…

Wolfsburgo – Após a saída de Julian Draxler para o PSG, existe falta de criatividade e irreverência no meio campo ofensivo dos lobos, algo que Yunus Malli e Daniel Didavi não conseguiram até agora acrescentar. O jovem internacional alemão sub-19 do Eintracht poderia acrescentar algo mais ao meio campo da ex equipa de Julian Draxler e Kevin De Bruyne, sendo mais um criativo a brilhar pela turma patrocinada pela Volkswagen.

RB Leipzig – Com a boa época realizada e a presença assegurada nas competições europeias a turma de Ralph Hasenhüttl vai ter de elevar o nível do plantel e garantir mais reforços para atacar as várias frentes, e numa equipa que prima pela enorme quantidade de jovens promissores e talentosos, Barkok poderia ser uma mais valia, tanto como alternativa a Emil Forsberg e Marcel Sabitzer como opção para jogar com ambos no apoio a Timo Werner.

SC Braga – Apesar de quase impossível de se realizar esta transferência iria acrescentar criatividade e irreverência a uma equipa que parece muitas vezes presa a um 4-4-2 clássico com pouco imaginação, algo que se tem tentado mudar com o avançar de Battaglia e a aposta no 4-3-3.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter