25 Fev, 2018

FIFA 98… ou de como conquistar uma paixão pelo futebol!

Francisco IsaacOutubro 30, 20175min0

FIFA 98… ou de como conquistar uma paixão pelo futebol!

Francisco IsaacOutubro 30, 20175min0
Quem é que não jogou um dos melhores vídeos-jogos de futebol de sempre, o FIFA 98? Descobre que "pérolas" o jogo continha e o que revolucionou!

FIFA e Pro Evolution Soccer (PES) são os grandes e únicos video-jogos de futebol, que têm dominado as consolas e pc’s nos últimos 20 anos. O terceiro jogo da série FIFA a sair para a Playstation foi o FIFA 98 (e o 2º para a Nintendo 64), que mereceu uma atenção especial, uma vez que estávamos em ano do Mundial realizado em França, o France98! Para as várias pessoas que viveram a sua juventude ou início dela nos anos 90, o FIFA: Road to World Cup 98 marcou uma Era nos vídeos-jogos.

E porquê é que marcou uma era? Bem, o FIFA 98 trouxe uma série de novidades para o jogador, que pedia cada vez mais realismo, mas ao mesmo tempo reclamava por autonomia para “brincar” com o Mundo do Desporto Rei.

A regra do fora-de-jogo, uma lei fundamental para o futebol contemporâneo, foi altamente “apurada” pelos devs (sigla para os developers ou seja os “criadores” do vídeo-jogo) com a “realidade” a chegar à “realidade-virtual“. O que isto significa? Até ao FIFA 98, sempre que tinham um jogador para lá da linha de fora-de-jogo, sempre que este fazia alguma acção, imediatamente soava o apito do árbitro e era marcado uma falta. O “limar desta aresta” possibilitou ao jogador repor o jogador em jogo sem ter uma falta a ser assinalada.

Para além disto, a equipa de arbitragem apresentava-se mais “rígida”, mais rápida a reagir e a “estudar” as situações de jogo e de ir concedendo faltas, penaltis e livres dependendo da gravidade da situação. Todavia, os devs do FIFA 98 instalaram duas opções para o utilizador escolher… duas opções bem “maldosas”: 1ª- maior tolerância ao contacto físico e, subsequentemente, menos faltas; 2ª- retirar por completo as faltas, isto é, “pancadaria” gratuita.

Mas onde o FIFA 98 se revelou por completo foi na composição de equipas. O FIFA: Road to World 98 trouxe, pela primeira vez, realismo em termos de nomes, com as equipas actualizadas e com os verdadeiros atletas a servir o clube e selecção. Como esta edição da série de video-jogos sobre o Desporto Rei era em associação com o Mundial de Futebol de 1998, a equipa da EA Sports preocupou-se em ter tudo bem alinhavado e certo.

Portugal (que ficaria de fora na realidade, mas no video-jogo poderiam levar Figo, Rui Costa, Vítor Baía, Fernando Couto e os outros da Geração de Ouro à glória máxima), Espanha, Itália, Inglaterra, Colômbia, Uruguai, Brasil, Japão, Nigéria e todas as outras selecções tinham os seus onzes e bancos de suplentes actualizados, algo que levou os adeptos à loucura. Um marco não só para o vídeo-jogo mas também para toda a indústria do desporto, dando outra dimensão não só ao futebol, mas também aos seus “interlocutores”.

Baía nunca esteve melhor! (Foto: FIFA98)

David Beckham, Luís Figo, Ronaldo Nazário, Paolo Maldini, Raul Gonzalez, Rui Costa, Lilian Thuram, Philip Cocu, entre outros surgiam como as grandes caras do video-jogo que dava assim um passo de “gigante” em termos de dar “realidade” aos seus utilizadores. Garantir nomes e as equipas correctas conferia uma oficialização do jogo aos olhos da FIFA, UEFA e as outras organizações continentais do Desporto Rei.

As ligas que surgiam no FIFA98 eram as seguintes: Premier League, Eredivisie, La Liga, Serie A, Ligue1, Fußball-Bundesliga, A-League (EUA). Contudo, o “prato principal” era o Mundial de 1998 e não as ligas, com a maior preocupação a ir nesse sentido. No total, o FIFA 98 continha 360 clubes, mais de 11 ligas, com 6400 jogadores disponíveis e 189 selecções por optar.

Mais, pela primeira vez era possível criar jogadores, mudar equipamentos e dar vida aos mais “loucos” sonhos! Os gráficos eram, na altura, revolucionários dando outro aspecto aos nossos ídolos (bem, olhando para o jogo hoje em dia, talvez os nossos olhos na altura conferiam ainda mais qualidade do que realmente possuíam), munindo outra dimensão ao vídeo-jogo.

Hoje em dia os utilizadores do FIFA ou PES precisam de ter um jogo vastamente profundo, cheio de funcionalidades, com ligas quase tão intermináveis como o Football Manager, com o Modo Carreira e o Modo Treinador incluídos. É, sem dúvida alguma, um Mundo completamente diferente, extenso e, por vezes, exaustivo. Olhando para o FIFA 98 é como observar uma Peça de Arte que fez furor no seu tempo e que abriu mil e uma possibilidades para o que viria a seguir.

Ah… e a banda sonora? Pela primeira vez aconteceu algo de formidável, com a inclusão de uma super banda-sonora em que os Blur faziam ressoar a “Song2” no vídeo de introdução ao jogo… um game-changer para muitos e uma “revolução” total para outros!

P. S.: Um pormenor do FIFA98 que só voltou a ser referência no FIFA17… o futebol indoor de 5 para 5 que os utilizadores podiam “brincar”. Esta funcionalidade deixou grande saudades, pois criava outro tipo de problemas, de funcionalidades, forçava ao utilizador ir mais além e apaixonar-se pelo futsal, que na altura não era a referência que hoje em dia o é. Não estaria o FIFA 98 à frente do seu tempo?

Podem fazer download do jogo em: Old Pc-Gaming


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter