18 Fev, 2018

O Fanatismo dos adeptos pelos clubes pequenos

João NegreiraAgosto 21, 20174min0

O Fanatismo dos adeptos pelos clubes pequenos

João NegreiraAgosto 21, 20174min0

Em Portugal, cerca de 90% dos adeptos são apoiantes do Benfica, do Sporting ou do Porto. No entanto, tem havido um enorme crescendo de adeptos a apoiarem o clube da sua terra, motivando um movimento em querer deixar de apoiar os clubes que só ganham, apoiando também os clubes mais pobres, quer desportiva, quer financeiramente.

Tendência ou Amor?

Num país como Portugal, somos educados a gostar de futebol e por conseguinte, a gostar de um dos três grandes. É quase inevitável isso não acontecer. Mas isso tem vindo a mudar; cada vez mais vemos um D. Afonso Henriques repleto de adeptos do Vitória S.C., mesmo sem estar a jogar contra um dos grandes, e quem não gosta de ver isso?

No entanto, o tópico do artigo refere-se àquilo que esses adeptos, por vezes, pensam ou dizem. Ouvimos falar que os adeptos do Benfica, Sporting e Porto só o são, não por amor, mas, devido às vitórias que o clube alberga; que são adeptos desse clube porque ele tem reconhecimento internacional; que apoiam o clube por causa dos grandes jogadores que são transferidos para lá; mas isso nem sempre é verdade, aliás nem metade dos adeptos são assim.

Mas e os adeptos dos clubes mais pequenos? É moda criticar os outros adeptos? Serão apenas eles os verdadeiros “fiéis” aos seus clubes? Questiono se só porque nasci em certo sitio tenho que ser adepto do clube dessa terra; questiono se só porque um clube tem menos dificuldades do que o outro, já não posso ser apoiante desse clube e tenho na verdade que apoiar o clube com mais dificuldades. Não descuro que possam querer apoiar esse clube, mas porque não pode o outro apoiar outro clube? Gostos são gostos e gostos não se discutem.

O desprezo dos media e a (falta de) competitividade

Não sendo aqueles que mais vendem jornais, os clubes mais pequenos e claro os seus adeptos, queixam-se também do desprezo que lhes é dado pela imprensa.  Muito raramente é-lhes dada importância e quando é dada, por vezes, é errada e pouco útil ou interessante. Ou seja, os noticiários só dão peso aos clubes grandes, e os outros ficam a um canto sem ser-lhes dada a relevância que, na verdade, por vezes, merecem. É, ainda, normal que a opinião e gosto das pessoas seja influenciada pelos media, e o leque de diferenças entre o clube de cada adepto é cada vez maior. E com isso é obrigatório falar da falta de competitividade que se vive na Liga; citando Manuel Machado numa conferência de imprensa: “Isto conta é o campeonato dos 3, o resto é carne para canhão.”. Referindo-se à hegemonia dos clubes grandes em termos de títulos. E o mesmo se pode aplicar aos adeptos, a maioria é dos três grandes, o resto são minorias.

Os clubes mais pequenos têm menos apoio das bancadas. (Foto: MF)

Apoio às minorias

Façamos uma analogia para com a politica. Por vezes, os partidos mais pequenos solicitam o voto múltiplo para com aqueles que não votam. Tendo em conta que esses partidos têm pouca relevância, o voto múltiplo, ajuda-os a ganharem importância, neste caso, em assembleias. Cruzando com a parte futebolística, os adeptos, têm vindo a dar cada vez mais importância aos clubes mais pequenos, na maior parte dos casos, os da sua terra. É normal um cidadão português já ter clube, mas apoiar um clube com pouca massa associativa, pouco orçamento e poucos ou nenhuns títulos, é pouco usual e de dar valor.

Fanatismo?

Mas com tudo contra eles, creio que os adeptos das minorias, criticam mais os outros do que apoiam o seu próprio clube. Acredito que esses adeptos não permitem que se goste de outros; acredito que esses adeptos só vejam o seu clube à frente; acredito que esses adeptos sejam fanáticos!

A questão principal é que esses adeptos, por vezes, gostam mais do seu clube do que futebol, e é isso que está errado. Todos temos o direito de gostar de um clube, mas não temos o direito de inferiorizar o outro, ainda mais sem fundamentos viáveis. Os clubes mais pequenos são inferiorizados, e não conseguem competir com os outros, começando por uma simples comparação de orçamentos. É também verdade que existem este tipo de adeptos nos clubes grandes, mas parece-me que os adeptos dos clubes mais pequenos estão irritados pelo valor que não lhes é dado e acabam por ser radicais e fanáticos.

A discussão que se mantém nas várias redes sociais é, por vezes, inútil, pois todos temos o direito de gostar de um clube, e se o outro gosta de um clube, eu como adepto de outro clube, apenas tenho que respeitar.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter