19 Fev, 2018

Conheça melhor a “Liga das Nações”, a nova competição da UEFA

Daniel FariaSetembro 27, 20179min0

Conheça melhor a “Liga das Nações”, a nova competição da UEFA

Daniel FariaSetembro 27, 20179min0
Repensar os amigáveis entre seleções, conferindo-lhes uma nova “roupagem”, com objectivos em jogo para as equipas nacionais, é o principal propósito da nova competição criada pela UEFA, a “Uefa Nationais League”, que arranca em setembro de 2018.

Esta nova prova da UEFA – uma espécie de “Liga dos Campeões” para selecções – terá ligação com a qualificação europeia, dando uma oportunidade adicional de apuramento para a fase final do europeu. A competição e as alterações propostas ao formato de qualificação para a qualificação europeia, a começar a partir do Euro 2020, surgiram após um processo de consulta minucioso com as federações-membro da UEFA, iniciado em 2011.

A criação desta nova liga, surge no âmbito da recepção de vários pedidos das federações-membro da UEFA, no sentido de analisar o futuro do futebol de selecções no seio do enquadramento do calendário de jogos internacional aprovado. Ou seja, a ideia-chave na origem da “Nations League” é a integridade desportiva, já que federações, treinadores, jogadores e adeptos sentem, cada vez mais, que os amigáveis internacionais não proporcionam competição desportiva adequada.

Para além disso, a competição surge para ajudar a UEFA a concretizar o objectivo assumido de melhorar a qualidade e prestígio do futebol de selecções, ao mesmo tempo que mantém o equilíbrio entre o futebol de clubes e de selecções.

O que deu origem à competição?

O rejuvenescimento do futebol das selecções nacionais – e a UEFA Nations League – decorre do desejo da UEFA e das suas 55 federações membro de melhorar a qualidade e o prestígio do futebol das selecções nacionais. A UEFA e as federações pretendiam conferir um maior significado desportivo ao futebol das selecções nacionais, com federações, treinadores, jogadores e adeptos cada vez mais de acordo de que os jogos amigáveis não estão a permitir a competitividade adequada às selecções nacionais.

Amigáveis não eram vistos como viáveis dado o seu enquadramento. (Foto: Gazeta Esportiva)

Amplas consultas e debates foram iniciados em 2011 na Reunião Estratégica da UEFA, no Chipre, e tiveram sequência numa série de encontros do Programa Top Executive (TEP) ao longo dos últimos três anos. A UEFA Nations League foi aprovada por unanimidade no XXXVIII Congresso Ordinário da UEFA, em Astana, a 27 de Março de 2014.

Em cada ano par haverá um vencedor do Mundial ou do EURO; agora, a cada ano ímpar, haverá um campeão da UEFA Nations League. O futebol gira à volta da competição e agora, tal como no futebol de clubes, haverá um campeão de selecções no fim de cada temporada.

O formato

O formato da UEFA Nations League vai contar com subidas e descidas de escalão, dividindo as 55 selecções nacionais europeias em quatro ligas, de acordo com as respectivas posições no ranking de coeficientes de selecções nacionais da UEFA a 11 de Outubro de 2017. A Liga A incluirá as selecções mais bem posicionadas – Portugal insere-se nesta Liga – enquanto que a Liga D incluirá as piores posicionadas.

As Ligas A e B serão compostas por quatro grupos de três equipas. Já a Liga C, será composta por um grupo de três equipas e três de quatro, enquanto a Liga D será formada por quatro grupos de quatro equipas.

Portugal estará na Liga A, com o estatuto de campeão europeu. (Foto: MF)

Em cada Liga, os vencedores dos quatro grupos são promovidos (ou disputam a fase final) enquanto outras quatro equipas são despromovidas para a Liga abaixo na edição seguinte da competição, a disputar em 2020.

O ranking geral da UEFA Nations League determinará, depois, os potes dos sorteios para as Qualificações Europeias subsequentes.

O sorteio da fase de grupos terá lugar no Centro de Convenções SwissTech, em Lausanne, a 24 de Janeiro do próximo ano.

Como se disputará?

Os jogos dos grupos serão disputados ao longo de seis jornadas, em forma de “jornadas duplas”, em Setembro, Outubro e Dezembro de 2018. Seguidamente, a fase final prova, para as equipas que vencerem os quatro grupos da Liga A, está agendada para Junho de 2019.

A competição estará dividida por quatro ligas/grupos. (Foto: UEFA)

Para essa fase final, os vencedores dos quatro grupos da Liga A jogarão entre si em encontros a eliminar (meias-finais, jogo de atribuição do terceiro lugar e final) em Junho de 2019, de forma a consagrar o campeão da UEFA Nations League. Os embates das meias-finais serão decididos por sorteio e o local da realização dos encontros será analisado pelo Comité Executivo da UEFA em Dezembro de 2018, sendo o anfitrião escolhido de entre os quatro finalistas.

O funcionamento desta Liga das Nações é em tudo semelhante ao das ligas nacionais e fases de grupos da Liga Europa e Liga dos Campeões: duas voltas, todos contra todos, vitória vale 3 pontos e no fim há um vencedor.

Mais oportunidades de apuramento para o Euro

Dez grupos, com as duas melhores equipas de cada grupo a apurarem-se automaticamente e os restantes quatro lugares a serem atribuídos aos vencedores do “play-off” da qualificação europeia, nos quais têm direito a participar os vencedores dos 16 grupos da UEFA Nations League.

Posto isto, o sorteio da fase de qualificação para o Europeu, será realizado após a conclusão da UEFA Nations League, colocando quatro selecções presentes na fase final da UEFA Nations League em grupos de cinco equipas.

A qualificação para o Euro 2020 começará em Março de 2019. Haverá duas rondas de jogos em Março, Junho, Setembro, Outubro e Novembro de 2019. Ao todo, serão constituídos seis grupos de cinco selecções e quatro grupos de seis selecções (dez grupos no total), a disputar ao longo de dez jornadas (tal como acontece actualmente). O vencedor e o segundo classificado de cada um dos dez grupos garantirão o apuramento automático para a fase final do UEFA EURO 2020 (a disputar em Junho de 2020).

A prova introduz uma pequena alteração no apuramento para o campeonato europeu. (Foto: UEFA)

As restantes quatro vagas no Euro serão decididas através do “play-off”, a disputar em Março de 2020 pelos vencedores dos 16 grupos da UEFA Nations League.

Se algum dos vencedores dos grupos tiver garantido o apuramento através da qualificação Europeia, então a posição no “play-off” será atribuída à selecção com melhor ranking na Liga em questão. Se numa Liga não restarem selecções ainda não apuradas suficientes, os restantes lugares passarão para selecções de outra Liga, tendo em conta o ranking geral dessa Liga.

O apuramento para o Europeu permanece quase o mesmo, apesar de agora a fase de qualificação após uma grande prova de selecções começar em Março, ao invés de imediatamente em Setembro, com quatro países a apurarem-se para cada fase final através da Nations League.

Vantagens para as federações e para as selecções nacionais

As federações e seleccionadores consultados pela UEFA revelaram sentir que os amigáveis não permitem competitividade desportiva adequada. A UEFA Nations League vai permitir jogos mais significativos e competitivos às selecções e um calendário e estrutura dedicados ao futebol de selecções.

As selecções de topo lutarão também para atingir a fase final da UEFA Nations League, um novo evento de nível superior.

Para as nações de “ranking” médio e mais pequenas, a UEFA Nations League vai permitir uma possibilidade extra de qualificação para a fase final do Euro. As nações pior classificadas – as últimas 16 do “ranking” – têm agora garantido um lugar nas 24 vagas para o Europeu.

Seleções com menos estatuto ganham novo fôlego com a Nations League. (Foto: MF)

As equipas com menor “ranking” que tenham sentido dificuldades contra equipas com um “ranking” consideravelmente superior que o seu irão agora ter a oportunidade de participar em jogos equilibrados, lutando pela sua evolução enquanto equipa.

Com a UEFA Nations League a substituir a maioria dos jogos amigáveis, ainda assim haverá espaço no calendário para essas partidas, especialmente para as selecções de topo que podem querer defrontar adversários de fora da Europa, já que integrarão grupos de três selecções.

As federações e as selecções irão beneficiar da melhor definição do calendário de jogos, existindo agora alguma folga entre o final do EURO e do Campeonato do Mundo, e vice-versa, além de estabilidade nas receitas.

Decréscimo nos amigáveis

Haverá, certamente, menos jogos amigáveis e, sem dúvida, menos amigáveis desprovidos de sentido. Contudo, haverá espaço no calendário para jogos internacionais amigáveis – em particular jogos de preparação para fases finais de grandes competições. A UEFA também faz questão de que as selecções europeias continuem a ter a possibilidade de jogar com adversários de outras confederações.

Aprovada por unanimidade

De realçar que a competição foi aprovada unanimemente pelas 54 federações-membro da UEFA. As 54 federações-membro da UEFA adoptaram unanimemente uma resolução de quatro pontos, denominada “Competições de selecções principais masculinas 2018-2022 (disponível em inglês)”, no XXXVIII Congresso Ordinário da UEFA, em Astana, que vai possibilitar o lançamento da UEFA Nations League a partir de 2018.

A competição vai contar com promoções e despromoções e vai substituir grande parte dos amigáveis internacionais.

Em suma: a UEFA, em conjunto com as federações que a compõem, concluiu que os jogos amigáveis ou de preparação nos interregnos das competições (quer de clubes, quer de seleções) não atingem os níveis competitivos desejáveis, levando as equipas a “queimar recursos” e a dar pouco retorno, tanto financeiro como ao nível da emoção, procurando melhorar essa questão com uma competição que consolide a posição das maiores seleções, dando oportunidade aos mais “pequenos” de apurarem-se para o Euro.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter