14 Dez, 2017

João Moreira. “O nível tem vindo a crescer pois cada vez há mais interesse de jogadores estrangeiros actuarem na Nova Zelândia”

Romário IvoJaneiro 2, 20178min0

João Moreira. “O nível tem vindo a crescer pois cada vez há mais interesse de jogadores estrangeiros actuarem na Nova Zelândia”

Romário IvoJaneiro 2, 20178min0

No exuberante campeonato da Nova Zelândia, uma antiga promessa, e que hoje já é um experiente atacante português, tem vindo a brilhar. João Moreira, que conta com passagens pela selecção nacional, vem fazendo história com gols e títulos importantes desde a sua chegada ao Auckland City FC, um clube amador que possui as maiores glórias e conquistas no contingente neozelandês. Leia mais na entrevista exclusiva do Fair Play a João Moreira.

Perfil


Nome: João Vítor Rocha de Carvalho Moreira
Idade: 30 anos                                                                                                                                       Naturalidade: Lisboa
Principais títulos: 3 vezes campeão da Liga dos Campeões da Oceânia, 2 vezes campeão da Liga Nova Zelândia
Principais clubes: Estrela Da Amadora, Valência CF, Beira-Mar, Brunei DPMM, Auckland City


fp: Como surgiu a oportunidade de atuar no Auckland City FC e como é a vida na Nova Zelândia? 

JM. A proposta surgiu através de um empresário conhecido, a pedido do meu actual treinador, sabendo que eu terminava contrato com o Brunéi Dpmm. A vida é muito saudável e tranquila. Tem zonas verdes incríveis e o centro da cidade é muito acolhedor. 

fp: Como foi a sua adaptação à vida na Nova Zelândia? Você tem alguma preocupação com desastres naturais que assolam o país e o que mais impressionou você desde a sua chegada a Nova Zelândia?

JM. Na verdade, não. Tudo foi fácil e rápido, não houve dificuldade de adaptação, talvez apenas ao horário diferente. Na verdade, tenho tido uma vida bastante saudável desde que lá estou, em termos de ciclones e tornados Auckland nunca foi afectado por esses fenómenos, graças a Deus!!! O que mais me impressionou foi ver pessoas a andarem descalças com muita tranquilidade no centro da cidade!

fpComo é a estrutura dos clubes da Nova Zelândia?

JM. As estruturas são quase todas de futebol amador na Nova Zelândia, pois o futebol não é um desporto Rei no país. São quase todas similares.

fpComo é o nível do campeonato neozelandês? Hoje pode-se dizer que você vive o melhor momento da sua carreira?

JMO nível tem vindo a crescer, pois cada vez há mais interesse de jogadores estrangeiros em actuar lá e isso traz melhorias para a liga, evidentemente. O campeonato está a evoluir significativamente e isso demonstra que algo se está a fazer bem e espero que continue assim, para que se torne também num desporto-rei como é o Rugby no país. Não é o melhor momento da minha carreira mas é um dos melhores.

fp: Existe alguma semelhança e também diferença no futebol português e o futebol neozelandês?

JM. É muito diferente, pois a liga portuguesa tem mais qualidade e mais fontes financeiras. A partir daí a diferença é muito grande, já que os clubes portugueses são profissionais.

João Moreira e o sabor a títulos (Foto: AucklandCity.nz)

fp: Contando com o técnico, são outros 11 estrangeiros no seu clube, de quase todas as partes do mundo. Quão importante é a presença desses outros estrangeiros na equipe do Auckland City para o desenvolvimento do trabalho e das conquistas? E com qual deles você tem uma relação de amizade mais próxima?

JM. Sim, pelo que conheço, o Auckland City é um clube que opta pela contratação de jogadores de outros países e isso tem resultado na conquista de todas as competições nos últimos anos. É uma prova que a política do clube vai no bom caminho. Dou-me bem com todos, são todos muito simpáticos, mas sem dúvida que tenho mais afinidade com o Ryan De Vries (atacante da Selecção Neozelandesa de Futebol).

fp: Como você avalia o seu período no futebol português? E como você descreve sua passagem pelo seu primeiro clube que foi o Estrela da Amadora? Qual o seu clube de coração?

JM. A minha passagem foi curta mas pude aprender um pouco. Talvez não estivesse tão maduro como estou agora, mas estava em fase de aprendizagem. O Estrela foi quem me proporcionou a possibilidade de ser profissional e estou muito grato, foram vários anos de esforço, trabalho e sofrimento que no fim penso que valeram a pena. Os meus clubes do coração são o FC Porto e o Estrela da Amadora.

fp: Você teve algumas experiências no futebol espanhol, passou por 5 clubes no país, mas o que faltou para que você tivesse um melhor desempenho nesses clubes?

JM. Sim, joguei por vários clubes em Espanha, não sei o que faltou para me afirmar, não tive a oportunidade…se calhar devia ter tido mas isso não me chateia, tudo se deve a decisões e só tenho que estar feliz de ter conseguido seguir no futebol, que não é coisa fácil.

Pelas Quinas (Foto: Getty Images)

fpComo foi fazer parte da selecção de base e da selecção principal de Portugal? E como você descreve a conquista da Euro 2016?

JM. Sem dúvida que é um bónus e um orgulho para qualquer jogador poder representar o seu país, ainda mais desde jovem, como eu tive o privilégio. A conquista de Portugal não tem palavras para descrever, algo muito grande para o país e eu estou super feliz de ver ex-colegas meus fazerem parte do elenco vencedor. Momento Único!

fp: Recentemente você participou no Mundial de Clubes e infelizmente foram eliminados pelos japoneses que foram até à final. O que faltou para que a equipe obtivesse um desempenho melhor? E como foi essa experiência para você?

JMÉ sempre bom poder jogar uma competição como o Mundial de Clubes. É uma montra para nós, penso que nos faltou mais ritmo competitivo na alta competição… estivemos perto!

fp: No campeonato neozelandês, o Auckland City ocupa a vice-liderança, restando muitas rodadas para o fim. O que a equipe precisa fazer para alcançar a primeira posição e consequentemente o titulo da liga?

JM. Agora no campeonato só no resta juntar forças e fazer as coisas bem e de certeza que isso nos trará alegrias. Vamos no bom caminho pois vencemos a semana passada e passamos os líderes do campeonato.

Auckland (Foto: AucklandCity. nz)

fp Você obteve e alcançou tudo aquilo que almejava para a sua carreira? Tem o desejo de retornar ao futebol português? E quais são os seus planos futuros para a carreira?

JM. Sim. Continuo aqui contente e feliz de poder fazer o que amo, que é o futebol e espero poder continuar com muita saúde por vários anos. Sou muito feliz com a minha carreira. Eu de momento sou muito feliz no Auckland City FC, as pessoas são fantásticas comigo e trabalham bem, o futuro só a Deus pertence. Os meus planos futuros são, como já disse, poder desfrutar ao máximo do futebol enquanto puder e ser feliz neste momento com o Auckland City FC.

fp Tem alguma mensagem final para os nossos leitores e uma mensagem de desejo de ano novo?

JM. Em primeiro lugar, deixar um obrigado pelo momento ao Fair Play e desejar um Feliz Natal atrasado e um Feliz Ano Novo a todos os leitores. Que tenham um 2017 cheio de saúde e alegrias! Abraço.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter