23 Out, 2017

Arquivo de Andebol - Fair Play

img_770x4332017_06_20_20_31_59_1279692.jpg?fit=770%2C433
João de MatosJulho 31, 20173min0

Depois de dois anos consecutivos de muitas conquistas por parta da equipa minhota, entre eles, campeonato de Andebol 1, taça de Portugal e uma taça Challenge, o seu maior obreiro das conquistas, Carlos Resende, rumou para um clube da 2ª circular, o Sport Lisboa e Benfica.

Com ele, seguiram Pedro Seabra e Ricardo Pesqueira, central e pivot que desempenhavam um papel preponderante na formação do ABC. Nuno Grilo, melhor marcador dos minhotos, também fez as malas e rumou ao Créteil, da primeira divisão francesa, tendo assinado um contrato válido por dois anos.

No sentido inverso, a equipa agora orientada por um ex-treinador das águias, Jorge Rito, conta com a aquisição de Belmiro Alves, atleta de 23 anos que vestirá a camisola academista durante os próximos dois anos. Belmiro cumpriu a sua formação no FC Porto, chegando, já como sénior, ao Águas Santas, onde esteve entre 2014 e 2016. Na última época atuou no AC Fafe e foi um elemento importante na manutenção dos fafenses na primeira divisão do andebol português.

Outra contratação foi a do lateral Hugo Rosário para os próximos dois anos, regressando a uma casa que foi a sua entre 2003 e 2011. O atleta, de 26 anos, fez a formação no clube de Braga, estreando-se como sénior em 2009, precisamente às ordens do prof. Jorge Rito, que agora volta a orientar a equipa principal do ABC. Com a camisola academista, nas camadas jovens, Rosário venceu duas Taças de Portugal de juvenis, em 2007/2008 e 2008/2009. Depois de sair do Flávio Sá Leite, passou a época 2011/2012 no Madeira SAD, transitando na temporada seguinte para o FC Porto. Entre 2014 e 2016, representou o Águas Santas, voltando a jogar na Madeira na época que agora terminou.

Fonte: FC Porto

A terceira aquisição do ABC foi o central Nuno Silva, tendo assinado contrato por dois anos. O atleta, de 26 anos, representou o AM Madeira Andebol SAD nas últimas três temporadas. Embora represente pela primeira vez a camisola academista, este novo elemento da equipa sénior já tem, indiretamente, alguma história no clube, já que é neto de um antigo presidente do ABC, António José Lopes de Sousa.

Fonte: AA Madeira

Será uma época muito atribulada para a equipa de Braga, pois vê sair peças fundamentais do seu plantel como o treinador Carlos Resende e Nuno Grilo, melhor marcador dos academistas nas duas épocas transatas. Veremos se Jorge Rito, conseguirá manter os níveis deixados por Resende na equipa minhota, e se, a aposta na formação irá ser algo a ter em conta.

desconto-de-tempo-Andebol-1-Jornada-3-FC-Porto-SL-Benfica-17-09-16-2.jpg?fit=610%2C340
João de MatosJulho 30, 20172min0

Há 2 anos que o título de campeão foge à equipa das antas. Depois de celebrado o hepta campeonato, já são 2 anos sem levantar o caneco de campeão.

Apesar de uma primeira metade de época quase perfeita, sem derrotas, o Porto demonstrou uma vertente de equipa que estremece nos minutos finais dos jogos, perdendo alguns deles nos últimos lances das partidas. Falta algo no Porto para além da garra e raça que sempre demonstrou sobe o comando técnico de Ljubomir Obradović, o obreiro dos setes campeonatos consecutivos.

Nesta equipa do FC Porto precisam-se de jogadores com garra e com experiencia de balneário. Sempre foi uma regra a cumprir a aposta nos jovens provenientes da formação, o expoente máximo dessa regra é Miguel Martins, lapidado por Ljubomir tem demonstrado ano após ano que é o futuro do FC Porto.

O antigo capitão dos dragões Ricardo Moreira depois de 13 épocas consecutivas ao serviço da equipa de andebol do FC Porto, decidiu colocar um ponto final na carreira. O ponta-direita, capitão dos azuis e brancos desde 2009, vai assumir o comando técnico das equipas B e de juniores do clube.

Fonte: FC Porto

O que prova que o Porto necessita de ir ao mercado para fazer frente aos outros 3 candidatos ao título, Sporting, Benfica e ABC.

O FC Porto confirmou a contratação de Lars Walther para o cargo de treinador da equipa de andebol, sucedendo a Ricardo Costa.
É o regresso do dinamarquês, agora com 51 anos, a Portugal, depois das passagens pelo Sporting (1987/88) e pelo Marítimo (1995/96) enquanto jogador.
Como treinador, passou pelos campeonatos da Alemanha, Eslovénia, Itália, Polónia, Roménia e Rússia, tendo conquistado os títulos de campeão nacional no Wisla Plock (2011), no Baia Mare (2015) e no Kadetten (2016).

O FC Porto anunciou o empréstimo do andebolista Alexis Borges ao Barcelona, com o clube espanhol a ficar com opção de compra por mais duas temporadas.

Fonte: Mundo Desportivo

Nascido em Cuba, mas também com nacionalidade portuguesa, o ‘pivot’, de 26 anos, chegou ao FC Porto em 2013 e conquistou dois campeonatos nacionais e uma Supertaça.

SCP-Campeão.jpg?fit=760%2C506
João de MatosJulho 29, 20172min0

O mais recente campeão nacional de Andebol 1 tem começado a sua história de revalidação do título não na contratação de reforços mas na renovação dos contratos dos seus craques.

A primeira renovação foi a do lateral luso-croata Bosko Bjelanovic. O jogador de 30 mostrou-se bastante feliz com a renovação e prometeu muita luta e conquistas aos adeptos leoninos.

A segunda renovação do plantel foi Ivan Nikcevic, ponta-esquerda que chegou à equipa de andebol dos leões na época passada, proveniente do Wisla Plock, equipa onde atua o internacional português Gilberto Duarte.

A terceira renovação confirmada pelo Sporting é a do técnico Hugo Canela, que continuará no comando da equipa de andebol do clube. Luís Cruz e André Teixeira, treinador-adjunto e treinador de guarda-redes, também se mantêm no clube.

O clube de Alvalade confirmou também a contratação do lateral cubano Pedro Valdés, primeiro reforço que chega proveniente do Avanca.

A maior contratação até agora por parte do clube de alvalade é Tiago Rocha. O internacional português, que já vestiu a camisola do FC Porto, deixa a Polónia, onde representava o Wisla Plock.

Fonte: Sporting Clube de Portugal

O Sporting anunciou também o acordo com o andebolista internacional brasileiro Felipe Borges para a época 2017/18. Proveniente dos franceses do Montpellier, Felipe Borges tem mais de 100 internacionalizações e atua a extremo esquerdo.

Outra cara nova no Sporting é Carlos Galambas. É o novo diretor da secção de andebol do clube de Alvalade.

Trata-se do regresso do antigo pivot ao clube que representou entre 2009 e 2011, tendo na altura feito parte da equipa que conquistou a Taça Challenge, o primeiro troféu que Portugal conquistou nas competições europeias de clubes.

O Sporting tem, nesta época que se avizinha, a disputa da liga dos campeões e possui como objetivo ultrapassar a fase de grupos, na liga milionária de andebol. Tendo já assegurado a continuidade de jogadores experimentes nesse palco, como Carlos Ruesga e Ivan Nikcevic, ambos com um bom historial de jogos na maior liga europeia de clubes.

O sorteio do campeonato de Andebol 1 ditou que o Sporting, campeão em título, vai iniciar a defesa do campeonato em casa com o Fafe, a 02 de setembro, naquela que será a estreia da equipa leonina no seu novo reino, o pavilhão João Rocha.

Na quinta jornada, marcada para 30 de setembro, o FC Porto visita o Sporting e duas jornadas depois é a vez dos ‘verde e brancos’ jogarem em casa do Benfica, a 14 de outubro, no pavilhão nº2 da Luz.

18871453_1863926407266174_1715478631_n.jpg?fit=960%2C640
João de MatosJunho 3, 20173min0

O Andebol Universitário não foi só inserido no campeonato universitário pela competição, mas também para que os atletas se divirtam e aproveitem os benefícios que a modalidade proporciona, tais como a salutar convivência entre os colegas a par com a prática de um desporto que proporciona bem-estar físico.

Sendo as regras muito parecidas à dos campeonatos nacionais, existem, no entanto, algumas pequenas diferenças como o tempo regulamentar ser de apenas 50 minutos ou a utilização de um cartão verde (time-out) em cada parte (sem contar com o prolongamento, caso exista “Final Four”) entre outras pequenas diferenças. A estrutura consiste em várias equipas inscritas na região de Lisboa, varia por época, mas ronda sempre cerca de oito equipas.

Existem treinos semanais para as equipas melhorarem as suas capacidades individuais e colectivas, porém nem sempre isto acontece por questões de tempo, já que a vida de um universitário é cheia de convívios, festas e um pouco de estudo, tornando-se difícil de conciliá-la com a prática da modalidade. Também existem casos em que os jogadores de alta competição têm treinos com as suas respectivas equipas federadas e depois torna-se uma sobrecarga de esforço no atleta. A intensidade do treino universitário é diferente de um clube que compete pelo primeiro lugar nacional, sendo as intensidades do treino mais alta no clube do que no universitário.

Um facto interessante é que se uma determinada faculdade quiser treinar e não tiver possibilidade de usar um pavilhão no Campus, a ADESL cede o pavilhão da Cidade Universitária, onde por norma se realizam todos os jogos, de forma a não prejudicar nenhuma das equipas.

Entre a panóplia de equipas de Lisboa, existem umas com jogadores federados que praticam ao mais alto nível do andebol nacional de alta competição e outras que só realizam desporto escolar, existem casos em que o contacto com a modalidade é quase nulo, e o contacto do atleta com a modalidade se restringia às aulas de Educação Física. As equipas, por regra geral, são equilibradas, havendo algumas com um naipe com bons atletas. Existem também equipas cujos atletas não possuem grande aptidão para a modalidade.

ISCTE campeão regional 2016/2017 Fonte: ADESL

Realizam-se jogos entre todas as equipas, só com uma ronda para em seguida se apurarem os 4 primeiros para a próxima fase a chamada Final Four. Sendo que o 1º classificado joga com o 4º classificado e o 2º com o 3º classificado. Os vencedores de ambos os jogos disputam uma final, enquanto os perdedores jogam o terceiro e quarto lugar. Por regra, os jogos são realizados no pavilhão da cidade, porém existem equipas que preferem jogar em “casa” devido ao facto de terem um maior número de adeptos a motivarem a respectiva equipa como é o caso da equipa da Faculdade de Motricidade Humana ou do Instituto Politécnico de Setúbal.

ISCTE sagrado campeão Fonte: ADESL

Para além do campeonato regional, existe ainda o campeonato nacional, europeu e mundial. O apuramento dos campeonatos desde o nacional até ao europeu varia. Neste ano do campeonato 2016/2017 o campeonato nacional que foi realizado em Coimbra pela FADU onde apenas foram apuradas duas equipas de Lisboa (1º e 2º classificado), porém no anterior campeonato nacional que foi realizado em Lisboa foram apuradas 4 equipas de Lisboa. No caso do campeonato europeu também se mantém o mesmo critério do exemplo anterior sendo que este ano foram apuradas duas equipas de Portugal. Já no mundial é por convocatória, sendo os melhores de Portugal que participam no campeonato universitário, e mesmo alguém que não tenha jogado nenhum jogo pode ser convocado para este campeonato.

CwajZzvWgAAC_VE-e1493480539121.jpg?fit=843%2C801
João de MatosAbril 28, 20175min0

Em Portugal, o deporto que reina é o futebol, mas é preciso ter atenção às jovens promessas de outras modalidades, mais concretamente no Andebol. Muitos são os jovens que no nosso país praticam andebol, mas só alguns conseguem chegar a um patamar de alto nível, neste artigo destaco os 3 principais jovens do andebol português.

MIGUEL MARTINS | FC PORTO | 19 ANOS

Será o jovem com maior potencial e com grande margem de progressão, desde cedo começou a praticar a modalidade, com 7 anos. Apenas com 5 anos de andebol já era convocado para a seleção nacional.

Chegou ao FC Porto com 17 anos, e desde cedo foi aposta muito acertada pelo antigo treinador da equipa portista Ljubomir Obradovic. Começou com poucos minutos na equipa principal, mas desde cedo conquistou o seu lugar na equipa. Logo na sua primeira época a vestir azul e branco (2013/2014) conquistou o titulo de campeão nacional de Andebol 1, feito que conseguiu repetir na época a seguir.

Fonte: FCPorto

Miguel Martins, ainda é júnior, mas apenas joga no escalão sénior, as suas principais características são a velocidade que impõe no jogo, sendo um central muito alto, o que juntamente com a sua grande colocação de remate, fazem dele um central a ter em conta no ataque. Apresenta uma grande visão e leitura de jogo, para um jovem de apenas 19 anos.

ANDRÉ GOMES | ABC | 18 ANOS

Não despertou interesse tão cedo, mas a cada época que passa se torna um jogador a ter em conta. Lançado por Carlos Resende, em 2015/2016, atualmente a realizar a sua 2ª época como sénior, tem mostrado que a confiança depositava em si, tem dado frutos.

Realizando sempre jogos muito constantes, o Lateral Esquerdo, que na sua época de estreia de Andebol 1, se tornou campeão Nacional é um jovem com grande impulsão o que o ajuda e muito na altura do remate, é muito forte fisicamente, sendo também uma peça importante no eixo defensivo do ABC.

A realizar uma grande época este ano, já conta com mais de 130 golos, e o seu melhor registo na presente temporada foram 11 golos marcados ao Boa-Hora FC, sendo o melhor marcador da equipa nesse encontro.

Errado será dizer que é um jogador de ocasião, mas a verdade é que tem realizado jogos mais notáveis contra as melhoras equipas do campeonato, marcou 7 e 6 golos nos 2 jogos que realizou frente ao FC Porto, marcando outros tantos golos contra o Madeira SAD, nos jogos a contar para a taça de Portugal. Durara pouco tempo a sua permanência no ABC, casa que o fez crescer para a modalidade, pois mais tarde ou mais cedo será aposta de outros grandes clubes nacionais e internacionais.

Fonte: OJogo

GONÇALO RIBEIRO | SL BENFICA | 20 ANOS

Gonçalo é jogador do SL Benfica, mas esta época foi emprestado ao Clube de Futebol “Os Belenenses”. Este jovem começou a praticar esta modalidade no mesmo clube onde este ano foi emprestado. Este central de 1.91mts, é muito forte no jogo ofensivo, marcando inúmeros golos de anca, é muito forte fisicamente, algo que para um jovem de 19 anos é crucial para batalhar e disputar qualquer bola com os veteranos do andebol português.

Fonte: OsBelenenses

Apesar de uma grave lesão o ter deixado fora dos pavilhões durante meses, este ano era tempo de se reafirmar, e voltar aos tempos gloriosos de outrem, algo que levou o Benfica a optar pelo empréstimo do central à equipa do Restelo, para que assim possa ter mais minutos e experiência no campeonato português. Muito esforço e dedicação revelam o caracter de Gonçalo que apesar do passado fustigado de lesões encontra-se neste momento em 3º lugar na lista de melhores marcadores do campeonato de Andebol 1.

Estas são três grandes promessas que se deve ter em atenção nos próximos anos do campeonato de Andebol 1 e Seleção Nacional. Estes jovens jogadores, são todos juniores, mas só realizam jogos no escalão de seniores, o campeonato de Andebol 1.

Todos eles têm potencial para chegar ao topo do andebol português, mas apenas um em teoria, pelas suas características e versatilidades conseguirá singrar no andebol europeu, representando um gigante como um PSG, Barcelona, Kiel ou Kielce, são todas equipas com andebol rápido, duro, e muito preciso. Três particularidades que assentam no jovem Miguel Martins do Futebol Clube do Porto, com muito trabalho, suor e humildade um dia conseguirá chegar aos grandes palcos como é a VELUX EHF Champions League.

Tanto Gonçalo Ribeiro como André Gomes apresentam imenso potencial, mas pelas suas características mais dentro do comum será mais difícil chegarem a um patamar como aquele que teoricamente está destinado a Miguel Martins, tanto André como Gonçalo, são muito fortes no aspeto ofensivo, mas o atleta do Belenenses peca mais em termos defensivos, pois o trabalho intensivo de pernas realizado na outra ponta do terreno não é a sua praia.

André Gomes, é mais ágil que Gonçalo, sendo o seu jogo defensivo muito superior, já em termos atacantes ainda terá que crescer em timings de decisão, não ser tão precipitado na hora de agir. Todos eles têm uma idade muito tenra, e só com o treino, jogo e os anos futuros ditarão as suas evoluções e aquilo que ainda têm para mostrar. Espera-se que o futuro seja muito risonho para estes atletas, e que elevem o andebol português a um maior patamar, pois estes jovens são o sangue novo da nossa seleção nacional.


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS